quarta-feira, 4 de junho de 2014

Vamos a isso, autarcas e cidadãos?


Por toda a Europa, o problema da convivência entre populações sedentárias e populações nómadas tem vindo a ser tratado de modo pouco satisfatório, para residentes permanentes como para viajantes.
Ignorar o problema ou fingir que expulsando-os daqui eles não vão encontrar-se ali, é uma maneira de prolongar indefinidamente o problema, "descarregando-o" para os outros. Na Europa ocidental existem países que adoptaram leis específicas, obrigando as autarquias a construir e equipar parques de trânsito, onde os grupos nómadas (aqui: Ciganos, mas podem ser não-Ciganos) podem instalar-se para breves estadias. A maior parte dos incómodos causados provém da falta de insfraestruturas sanitárias (águas, esgotos, recolha do lixo), que faz com que os sítios em que se instalam se tornam insalubres para quem neles vive e para os vizinhos. Propor alternativas, isso sim, é política inteligente. E não ficar-se pela eterna denúncia, fortemente marcada muitas vezes por um racismo que nem procura disfarçar-se. Tratar os nossos concidadãos Ciganos (ou nómadas não-Ciganos) com a dignidade que exigimos para nós próprios, não exclui que actividades ilegais devem ser condenadas, como para qualquer cidadão. Pergunta concreta e prática: se os Ciganos em questão forem expulsos daquele sítio, o que até pode parecer necessário, para onde irão? Para outro sítio semelhante, onde o mesmo problema se colocará? E não será possível criar um espaço de estacionamento para nómadas (Ciganos ou não), com as devidas infra-estruturas de modo a evitar a maior parte das poluições? Antecipo as reacções: "gastar dinheiro com "eles" ?" São nossos concidadãos, pagam impostos (não esquecer que é o IVA que representa a maior parte dos NOSSOS impostos, o de todos), e ... existem. O modo como tratamos os mais fracos (socialmente) diz quem somos e que sociedade temos. E onde se faria? e como seria estruturado? E que modalidades de acesso, e de permanência? Aí estão verdadeiras questões: as respostas não são impossíveis, mas exigem trabalho. Vamos a isso, autarcas e cidadãos?

José Rodrigues dos Santos
4 Junho, 2014 07:35

18 comentários:

  1. “Ciganos não são cidadãos”
    Esta frase colocada num post deste blog, isto só demonstra a miséria cultural de um país que há quarenta anos se diz democrata.
    Não foi para isto que se fez o 25 de Abril, este ódio puro e duro aos ciganos neste caso, mas que acaba por ser um ódio a todos aqueles que não pensam como ele, este anónimo é no mínimo uma espécie de gente, pois infelizmente nem personalidade possui.
    São pessoas como esta que geram convulsões e atritos numa sociedade que deveria ser solidária. Mas não, são indivíduos “grunhos” que no mínimo deveriam estar numa clinica de recuperação.
    Normalmente este tipo de gente que advoga ideologias neo-nazis, nem existiriam se esta ideologia tem vingado, pois seriam exterminados à nascença.
    Era bom que se pensa-se um pouco, o porquê deste modo de vida dos ciganos, que para a maioria das pessoas não trabalham e só vivem da droga, mas se alguém com um pouco de cérebro pensar poderá concluir que esta pessoas só fazem este tipo de vida porque são afastados pelo resta da sociedade, assim como um conjunto de factores que passo a enumerar:
    - Não trabalham! pois e quem lhe dá emprego?
    - Vendem droga! Pois e quem lha fornece? E quem lha compra?
    A droga infelizmente é uma das maiores pragas da nossa sociedade, mas de quem é a culpa, dos ciganos? Peço desculpa mas discordo completamente. Primeiro porque os consumidores existem e não pensem que são apenas jovens, há muito boa gente com estatuto de importante que se droga; segundo, qual a proveniência da dita droga? Sabem que é uma das grandes fontes de riqueza de alguns países, como Paquistão, Colômbia, etc..e como chega cá, não vem de burro de ciganos certamente.
    Terceiro, há ciganos e ciganos, quero com isto dizer que há muitos ciganos que até já se encontram integrados na sociedade, que trabalham que estudas que tem cursos superiores, logo não podemos falar duma etnia como um todo, segundo sei existem em Portugal cerca de trinta mil ciganos, e existem cerca de oitocentos mil desempregados em Portugal, são todos ciganos e malandros? Segundo as estatísticas, cerca de duzentas mil recebem o Rendimento mínimo, porra, afinal há muito mais ciganos do que eu pensava.
    Os ciganos são uma etnia que deve ser compreendida e estudada, de modo a que possam ter uma vida o mais estável possível e o mais aproximada da nossa sociedade, mas com estudos e acima de tudo com atitudes e não com palavras racistas, principalmente ditas por pessoas que não possuem o mínimo de moral para os acusar.
    MdM

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. MdM:
      você ataca a pessoa que escreveu o que não lhe agrada e não ataca os seus argumentos. Isto é desonestidade intelectual. É falacioso.
      Você conhece o autor(a) dessas afirmações para escrever que é grunho e não tem moral? Você ataca outro por ele(a) atacar ciganos. Já reparou que está a fazer o mesmo que ele(a)?
      Este povo não gosta de ciganos, isto é um facto. Faz parte da cultura portuguesa (e não só) a rejeição dos ciganos (que eles retribuem na mesma moeda). Pouco há a fazer acerca disto.
      Talvez MdM pudesse aproveitar o tempo que gasta a escrever parvoíces aprendendo a escrever em português ("pensa-se" em vez de "pensasse" é apenas uma das muitas asneiras que escreveu). Diz que quer estudar os ciganos. Estude antes a sua língua que talvez seja melhor ideia.

      Eliminar
    2. Não ataco os seus argumentos?, pois parece que não leu bem aquilo que referi, já que rebato praticamente todas as afirmações daquele post. Se acha bem que alguém diga que os ciganos não são cidadãos, das duas uma ou é o dito individuo, ou possui a mesma estrutura moral dele. Também lhe digo que não é necessário nenhuma votação para saber que 90% da população portuguesa é contra os ciganos, mas prefiro pertencer as 10% que são a favor da integração dos ciganos na nossa sociedade, é isso que distingue a barbárie da civilização. Já agora, o senhor que deve ser professor primário, pelo vistos verificou e bem, que eu errei no tempo do verbo pensar, tem razão falhei, mas isso também não lhe dá direito de dizer apenas que aquilo que escrevi são asneiras, pois, nesse caso você também só disse asneiras, pois não adiantou nada e novo.
      MdM

      Eliminar
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  2. Ciganos que vivem do trafico de heroina e do crime como estes,todos enforcados.
    É uma vergonha misturar verdadeiros ciganos nomadas com estes criminosos.

    ResponderEliminar
  3. É esse o grande problema mistura e confundir realidades,este José Santos devia só ir uma manha o local o trafico e continuo,a circulação de membros do clã de audis mercedes e outros topos de gama,juntando litrosas de cerveja e droga na festa é brutal,e no clã ainda á quem receba rsi,a ficha criminal do clã cigano Dorico Simão Adelina Carlos ze maria Guido etc..dava varios livros para contar todas as penas e todos os crimes praticados.

    ResponderEliminar
  4. Em Borba tiveram uma manha acapados depois de corridos a tiro de Estremoz,vieram parar a Évora e estão a um mês em total impunidade cagando e mixando no espaço publico,que vergonha de autarquia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "cagando e mixando no espaço publico" há muita gente e a maioria não são ciganos.
      Infelizmente, há muito pássaro a comer trigo, mas só os pardais é que pagam.

      Eliminar
    2. estás a defender os ciganos e a trair a tua raça. ou és cigano....ou és um parvalhao.

      Eliminar
  5. Vivo a frente desta lixeira municipal,pago imi 0.5 taxa maxima,para quê?Sou obrigado a pagar e a calar e a mamar o pato,já tenho queixa apresentada a psp o vereador Eduardo Luciano ou chefe do departamento Augusto pereira e passado um mes tudo igual.
    Noutra cidade nem tinha acampado e o espaço estava devidamente vedado a espera de obra de requlificação,é de terceiro mundo ver pessoas a utilizar a via publica como wc a céu aberto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «pago imi 0.5 taxa maxima,para quê?»
      O IMI pode servir para muita coisa, mas não creio que sirva para afastar ciganos da porta de cada um.
      Se fosse para isso, eu exigiria pagar IMI à taxa zero.

      Eliminar
  6. Compete ao Estado resolver os problemas inerentes à integração dos ciganos, tal como resolve ou tenta resolver a integração de outras culturas.Normalmente fá-lo mal já sabemos.A esmagadora maioria são nómadas e assim continuarão em espaços que se possam disponibilizar para esse efeito. Os que comprovadamente pretendem integrar-se na sociedade deverão ter essa oportunidade e ser considerados como cidadãos normais. Tempos houve em que a câmara de Évora tentou integrar ciganos nómadas no bairro da Malagueira.Foi um trabalho mal conseguido embora se louve a atitude.Insistir-se na «pacificação» da situação apresentada no post é mera fraqueza governativa e como tal merecedora de total repúdio.

    Emanuel

    ResponderEliminar
  7. O valor patrimonial tributário dos prédios urbanos resulta da seguinte expressão
    Vt = Vc x A x Ca x Cl x Cq x Cv
    em que:
    Vt = valor patrimonial tributário;
    Vc = valor base dos prédios edificados;
    A = área bruta de construção mais a área excedente à área de implantação;
    Ca = coeficiente de afectação;
    Cl = coeficiente de localização;
    Cq = coeficiente de qualidade e conforto;
    Cv = coeficiente de vetustez.
    CI=coeficiente de localização-estar junto de uma lixeira municipal devia ter direito a um desconto no minimo!14:23

    ResponderEliminar
  8. Eu vivo na Rua das duas arvores comprei o imovel com garantia de ter junto desta rua um espaço infantil,já passaram mais de 10 anos e só tenho dito estes acapamentos degradantes,agora com o calor nem a janela que dá para o terreno consigo abrir devido o cheiro terrivel a trampa.
    Évora no catalogo é a exelencia e o quintal para o cão e na realidade...uma porcaria!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Parque Infantil, esse sim pode ser considerado para efeitos de avaliação dos prédios e cálculo de IMI.
      Para afastar cidadãos da rua (independemente da etnia), não serve, nem conta.

      Eliminar
  9. 19,08 falamos de um terreno municipal que tinha um fim se ficar o abandono cheio de ervas e lixo torna-se num antro de degradação com este tipo de campistas.

    ResponderEliminar
  10. ciganos e comunistas sao iguais.

    ResponderEliminar
  11. A Malagueira foi um projecto pensado desenhado e projectado,destruiram varias quintas e no fim ficaram varios espaços publicos que tinha varios projectos estacionamento jardins parques infantis etc...o abandono.
    Pergunto quando o promotor da obra autarquia de Évora concluie o projecto,esses espaços estão arruinar todo o resto,existe dinheiro no prohabita.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.