segunda-feira, 23 de junho de 2014

Alteração de contrato com a Rodoviária do Alentejo diminui de 7 para 15 minutos frequência de autocarros da linha Azul, mas poupa 35 mil euros


Em reunião pública de 18 de junho, o Executivo camarário aprovou, com cinco votos favoráveis (CDU e PSD) e duas abstenções (PS) a primeira fase da reestruturação de serviços da Câmara Municipal de Évora. A proposta agora aprovada seguirá para deliberação em sessão da Assembleia Municipal e inclui, entre outros aspetos, aprovar o modelo de estrutura orgânica e de nuclear, definindo as correspondentes unidades orgânicas nucleares, o seu número máximo e respetivas competências. Após a deliberação em Assembleia, a Câmara debaterá em reunião pública a proposta já em termos concretos.
Foram pela primeira vez apresentados em reunião pública de Câmara os trabalhos realizados pelos alunos do Agrupamento de Escolas nº 4 de Évora/ Escola Secundária André de Gouveia referentes ao projeto Nós Propomos/Cidadania e Inovação na Educação Geográfica 2013/2014. O Executivo foi unânime em realçar a qualidade dos projetos, felicitando todos pelo trabalho desenvolvido. 
Os três projetos propostos foram: a recuperação de um moinho de vento degradado em S. Sebastião da Giesteira e melhoria da área envolvente; a proposta de melhoramento da Mata de S. Sebastião e a requalificação dos moinhos da Malagueira.
Uma proposta referente à modificação objetiva do Contrato de Concessão da Gestão do Serviço Público de Transporte de Passageiros no Município de Évora foi aprovada com cinco votos a favor (CDU e PSD) e duas abstenções (PS). A negociação entre o Município e a empresa, que decorreu ao longo dos últimos meses, obteve resultados concretos, tendo sido possível separar a dívida do restante processo, sendo esta alvo de uma segunda negociação.
De sublinhar que o contrato existente, prejudicial ao Município em termos de fatura mensal, teve diversos aspetos alterados, o que significa para a autarquia uma considerável poupança. Um exemplo disso foi, segundo o Vereador João Rodrigues, a decisão de alterar a frequência dos autocarros da Linha Azul que será de 15 minutos em vez dos habituais sete, o que permite reduzir, de 70 mil para 35 mil euros, a mensalidade que a autarquia pagava.
No período antes da Ordem do Dia, o Presidente da Câmara Municipal, Carlos Pinto de Sá, informou, com visível preocupação, da repentina decisão do Governo – sem negociar e à revelia do que ficou decidido no congresso da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) – de aprovar em Conselho de Ministros a proposta de criação do Fundo de Apoio Municipal que, nas condições por si estabelecidas, é bastante lesivo para os municípios.
A proposta do Governo é de que o Fundo (que visa a ajuda às autarquias em dificuldades) conte com 650 milhões de euros, 70% destes financiados por todas as autarquias e que estes sejam de imediato descontados das verbas municipais. Em caso de incumprimento, as autarquias sofrerão sanções ainda mais graves do que as estabelecidas no PAEL. Face a tal, a ANMP reuniu de urgência e mandatou a Direção para procurar um acordo global com o Governo, pois existe um conjunto de questões que pretende ver resolvidas. No caso da Câmara de Évora, informou o Presidente, esta seria obrigada a pagar entre dois milhões e trezentos mil euros a dois milhões e quinhentos mil, o que seria uma situação incomportável para o Município, dadas as conhecidas dificuldades financeiras que já atravessa.
Por indicação do Presidente da autarquia, foi ainda aprovado por unanimidade um voto de pesar pelo falecimento do filho da Delegada Regional da Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE), Maria Reina Martin, e o envio de condolências à família. (Nota de imprensa da cme)

13 comentários:

  1. Se diminuírem a frequência dos autocarros para um por semana, vão ver que conseguem poupar ainda mais. E se os eliminarem, melhor ainda...é só poupança.

    Carvalho

    ResponderEliminar
  2. Restruturar é preciso..............Serviços de Higiene e Limpeza,Urge Mudar


    Ruas do Centro Histórico: bastante ervas.

    Av.São João de Deus:lixo

    Circular:candeetiros cheios de propaganda das europeias.

    Parque de estacionamento Porta de Aviz:ervas e lixo.

    Urge Mudar:continua a FALTAR BRIO PROFISSIONAL .

    ResponderEliminar
  3. Linha Azul passar para 15 minutos é uma medida certa...........muitos autocarros andam VAZIOS........uma cidade pequena como Évora não se justifica intervalos de SETE MINUTOS.

    ResponderEliminar
  4. Diminuiram na limpeza, nos jardins, nos arruamentos,uma vergonha.
    Há estradas municipais que não têm um sinal de pé . E as passadeiras por pintar! Estão à espera de atropelamentos?
    Só não diminuiram nos controleiros e nos MELROS que polulam na câmara.

    ResponderEliminar
  5. E o que não poupariam se cortassem nos salários dos dirigentes políticos, prescindissem dos secretários e outros afins e evitassem os desperdícios nos gastos para contentarem amigos e correligionários...

    ResponderEliminar
  6. Uma excelente medida. Parabéns dados por um Socialista.

    ResponderEliminar
  7. E , qualquer dia acaba !

    The End !

    Faz-me lembrar as fábricas oriundas da CEE ou as estufas da CEE , depois passados uns anos , tudo acaba .

    Mas no entanto se forem ver , os projetos foram metidos com um determinado princípio meio e fim , como ninguem vem ver ... arrecadam os euros nos bolsos e a pouco e pouco , batem as botas !


    Jorge


    ( ciclista )

    ResponderEliminar
  8. Reduzir a frequência de passagem da Linha Azul: é o que se chama melhorar o serviço público... A hipocrisia da "defesa dos serviços públicos" pelo PCP: quando se trata de fazer contas, cortam, como os "outros"... Quem ainda se ilude com eles?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Serviço Público não passa por andarem autocarros meses inteiros sem um único passageiro e a CME a pagar como se andassem cheios.
      O que está em causa é continuar a pagar (encher o bandulho, se assumir qualquer risco!) a uma empresa privada para andar a passear autocarros vazios, ou acabar com as inutlidades.

      Eliminar
  9. Diminui de 7 para 15 ?

    ResponderEliminar
  10. OLHA SE FOSSE UMA CAMARA DE OUTRO PARTIDO A FAZER ISTO.
    OS COMUNISTAS REALMENTE SAO UNS GRANDES MENTIROSOS.
    AGORA COMO SAO ELES A FAZER,JÁ NAO ESTAO A DESTRUIR UM SERVIÇO PUBLICO?
    QUE CAMBADA DE ALDRABOES!
    O MEU VOTO NUNCA MAIS O APANHAM !!!!!!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deves estar a ver o filme ao contrário.
      Pagar a empresas por um serviço que não presta ou não é necessário (sem a dita empresa assumir qualquer risco pelos serviço), não é serviço público. É negociata que só serve para encher a barriga dos privados. Como há muito por aí...

      Eliminar
    2. 12:21
      NEGOCIATA É O PCP SER O DONO DOS SINDICATOS E OS TRABALHADORES NEM SABEM ONDE É GASTO OS MILHOES DE EUROS DAS SUAS QUOTAS MENSAIS. 1 % DO ORDENADO DOS TRABALHAORES,SAO MUITOS MILHOES. ISSO JÁ NAO É NEGOCIATA???
      EU CHAMO-LHE OUTRA COISA..........
      CORRUPTOS !

      Eliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.