sexta-feira, 23 de maio de 2014

Morte súbita (Lembrando o Prof. Rui Brandão)

Prof. Rui Brandão
Fonte: http://www.ueline.uevora.pt

Lá está o teu carro,
diria que é o teu que está lá parado…

Que raio…,
tu partiste parece que subitamente
possivelmente durante a noite
porque ninguém te ouviu
e ninguém te viu…

Por que te foste assim
a barba por fazer certamente,
por que não te despediste
e logo indo para longe
de nós, dos teus,
dos teus miúdos…,
por que te foste assim
de súbito, assim tão subitamente
sem uma palavra dizer
e tão séria a coisa,
assim?...

Porque a alguém poderias deixar entender
que era um segredo, um segredo grande,
mas pedias para a ninguém se dizer
e as coisas, então,
poder-se-iam precaver,
tu sabes
(ou sabias, eu sei lá do tempo do verbo!...)
como essas coisas são…

Mas parece que não,
só quando pela manhã devias dizer
olá, estou aqui, olá!,
e te chamando não respondias
já tu, inesperadamente,
tinhas partido
sem nada ter dito…

Que raio de partida
subitamente assim de noite e só
e lá tão longe
e o carro deixado,
quem saberá o destino
de um caminho assim traçado…

O destino,
o como, o quando e onde
o súbito segundo de um relâmpago de Maio
ou o gota-a-gota de um-dia-de-cada-vez
de um longo outono...

Partiste…,
descansa em paz!

José Rodrigues Dias, 2014-05-22


aqui:  http://joserodriguesdias.blogspot.com/2014/05/morte-subita-lembrando-o-prof-rui.html#ixzz32a9mZhMA

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.