segunda-feira, 12 de maio de 2014

Évora: feira do livro em risco


A Feira do Livro de Évora não se realiza este ano, como habitualmente, em maio, por dificuldades financeiras.
A câmara está a estudar a possibilidade de organizar o certame até final deste ano noutro formato.
A informação foi confirmada à DianaFm pelo vereador da cultura, Eduardo Luciano.
“Não há ainda uma decisão sobre a realização da Feira do Livro, mas, dada a proximidade da data, não acontecerá na data habitual”, disse.
O município está “a avaliar as condições para fazer a Feira do Livro de forma digna”, afirmou o autarca, adiantando que o município está a “fazer todos os esforços para encontrar um alternativa para realizar este ano a Feira do Livro”.
Eduardo Luciano referiu que a câmara podia realizar o certame num formato idêntico ao das edições anteriores, mas salientou que a gestão CDU do município prefere fazê-lo de “uma outra forma”.
“Pretendemos dar uma nova roupagem à Feira do Livro e, para isso, precisamos de outras condições financeiras”, adiantou. (aqui)

22 comentários:

  1. Por onde anda o gajo das ervas? Ainda não acabou o fim de semana ou entrou de férias. É que já tenho saudades...

    ResponderEliminar
  2. De tanto as fumar deve estar em êxtase...

    ResponderEliminar
  3. 12:56,não passas de um Pingafodas.

    ResponderEliminar
  4. O PS ia acabando com o que havia na cidade. Estes acabam com o resto.

    ResponderEliminar
  5. a gestão CDU do município prefere fazê-lo de “uma outra forma”.
    “Pretendemos dar uma nova roupagem à Feira do Livro e, para isso, precisamos de outras condições financeiras”, adiantou.
    ISTO É, DEPOIS DE TANTO FALAREM DE CULTURA PUXAM DA PISTOLA E ACABAM COM A FEIRA DO LIVRO.

    ResponderEliminar
  6. O PC onde poe a mão estraga e destrói. No final do mandato só vão restar cinzas.

    ResponderEliminar
  7. O ótimo é inimigo do bom!

    ResponderEliminar
  8. Os partidos da esquerda devem brincar com tudo e mais alguma coisa.
    Veja-se que agora vão fazer uma denuncia à Comissão Nacional de Eleições por causa do Conselho de Ministros já em tempo de eleições mas depois fazem-se esquecidos que a campanha só começou a meia noite de Domingo mas o PCP já no Sábado vez uma arruada no Bacelo.
    Então o que dirão, talvez tenham metido a carroça a frente dos bois mas eles sim podem tudo.
    Tenham vergonha daquilo que fazem porque as pessoas hoje já não são nencios como após o 25 de Abril.

    ResponderEliminar
  9. Os partidos podem ter atividades partidárias, obviamente.
    O Governo é que não se pode imiscuir na campanha eleitoral.
    O Paulo Rangel ainda não percebeu isto!

    ResponderEliminar
  10. Não agora Portugal parava 2 semanas para ferias e as coisas ficam por resolver.
    Pelo que sei o Paulo Rangel nada disse mas por um lado quem se manifestou foi a esquerda. Porque será?

    ResponderEliminar
  11. eu acho que o jardim devia ficar no sportem e nao devia ir para o monaco

    ResponderEliminar
  12. Para que servem os livros se eu não sei ler.
    Em vez da feira do livro deviam fazer a festa do Benfica na praça do Geraldo. Mas atenção, que a policia não impeça os automóveis de ir ao centro da cidade como o fez quando o Benfica ganhou o campeonato, n deixaram ir o carros ao centro da cidade.

    ResponderEliminar
  13. Acho esta decisão uma decisão de quem tem tomates! A feira do livro que se tem vindo a realizar não é nada mais do que uma feira para ingles ver... Bancas com livros no meio da Praça do Giraldo e pouco ou nada mais que isso. Estou de acordo de que muita coisa tem que mudar e ser realizada com pés e cabeça. Uma das que deve acabar é a feira medieval!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora aí está uma excelente ideia. A Feira do Livro deve passar a promover a a vender tomates.

      Eliminar
    2. Os do sr, vereador? Os tipo do PC de hoje têm fama de não terem tomates. Os que tinham já se foram. Tomates murchos?

      Eliminar
    3. nao teem tomates ? mas teem muitaaaaaa desonestidade !

      Eliminar
  14. Concordo PLENAMENTE!!!

    ResponderEliminar
  15. 90 MILHÕES de dívida haviam de produzir algum efeito.
    Aqui está um. Outros surgirão...

    E, pelos vistos, não há dinheiro público nem privado para pagar a despesa (que, segundo se ouve dizer, custa 20 mil euros),

    ResponderEliminar
  16. Se a Câmara não tem dinheiro, como é público e notório, quem é que julgam, os senhores indignados, que deve pagar a Feira do Livro na Praça do Giraldo?
    Fico à espera de ouvir as sugestões.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. vao roubar aos sindicatos o dinheiro das cotas dos trabalhadores.
      ou nao foi para isso que roubaram os sindicatos aos trabalhadores??

      Eliminar
    2. Antes também a Câmara não tinha dinheiro para mandar cantar um cego, mas mantinha a feira do livro. Opções. Há quem defenda a cultura de facto e dê contributos para a manter viva e quem a diga defender, mas todos os dias a destrói e mercantiliza. Pelo caminho que isto leva não vão deixar pedra sobre pedra.

      Eliminar
    3. OS COMUNISTAS SAO DESONESTOS E APRENDERAM A ENGANAR OS TRABALHADORES PARA VIVEREM DO SEU TRABALHO,PORQUE NAO GOSTAM DE VERGAR A MOLA. MAS O POVO JÁ OS TOPOU.
      QUANDO OS VELHOTES MORREREM,O PCP ACABA,PORQUE OS JOVENS ESTAO-SE A CAGAR PARA ESSES PARASITAS.

      Eliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.