quinta-feira, 22 de maio de 2014

Câmara de Évora vai mediar amanhã reunião sobre o caminho público fechado entre Évora e Valverde


Meus amigos, antes de publicar ou “gostar” de qualquer coisita seria bom tentar saber se não contêm mentiras. De há alguns meses a esta parte, por dever de ofício tenho informação privilegiada sobre este assunto e passo a dá-la:

1- É verdade que os proprietário fecharam o caminho e julgo que nalguns troços já o destruiram;

2- Logo que foram recebidas na CME as reclamações dos caminheiros e cicloturistas procurou-se um uma forma de classificar estes caminhos como públicos. Pois… a lei mudou, como muitas outras neste país, a desfavor do interesse público. Dantes as autarquias declaravam públicos os caminhos e depois quem se achasse prejudicado ia para os tribunais fazer prova do seu prejuízo, entretanto (normalmente muitos anos) o caminho continuava público. Agora, mal haja uma contestação da decisão de classificação, o caminho continua fechado e privado até as autarquias fazem prova e o tribunal decidir do contrário (anos).

3 – Entretanto a CME promoveu uma reunião com os proprietários para encontrar uma solução. Foi manifestada alguma disponibilidade para “mudar” o caminho para a estrema das propriedades desde que a CME o vedasse o que custava mais 30000€. Obviamente que ninguém entenderia que a autarquia gastasse esse dinheiro em propriedade privada quando ele não chega para tratar o espaço público.

4 – De seguida realizou-se, por iniciativa da CME uma reunião com quem tinha reclamado e por sugestão destes,amanhã, dia 23 acontecerá, medeada pela CME, uma reunião entre as partes interessadas. Esta é a verdade.

Margarida Fernandes – técnica da CME

16 comentários:

  1. Somos Governados por um GANGUE,até as prais eles vão PRIVATIZAR............

    O próprio Freitas do Amaral já tornou publica a sua Indignação com este estado de coisas,nomeadamente a privatização das prais.

    Domingo votem novamente nesta cambada............

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Posso votar em qualquer partido....mas no PCP NUNCA !

      Eliminar
  2. É tempo de correr com a BANDIDAGEM que governa Portugal.

    ResponderEliminar
  3. E votamos em quem?Digam lá!No partido comunista nunca,não passam de uns magicos sem tenda no numero demagogia e banalidades.
    Aquele troço não é parte da canada real?

    ResponderEliminar
  4. Isto é muito simples é verem se realmente pertence a uma canada Real e a situação está resolvida uma vez que terá que voltar a repor o caminho.
    Por outro lado compete a CME ver a situação e tomar uma posição.

    ResponderEliminar
  5. onde há comunas e xuxalhada é só chuchar.

    Mas esta Margarida sabe exatamente fazer o que na Vida que não seja andar aqui uma vida inteira a mamar na teta do funcionalismo público, que é o maior nojo que existe neste país

    ResponderEliminar
  6. Mario soares,RECUSOU FAZER CAMPANHA PELO PS.

    ResponderEliminar
  7. O pessoal anda FARTO destes ALDRABÕES do Bloco Central,é só ROUBAREMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM

    ResponderEliminar
  8. Ex-ministra de Sócratres foi hoje a tribunal,o Socratismo no banco dos réus.

    ResponderEliminar
  9. O que se passa com o BES ?

    ResponderEliminar
  10. 14:43,onde há cavaquistas é só ROUBAR.

    ResponderEliminar
  11. BPN,BPP,PPP= CAVAQUISMO

    ResponderEliminar
  12. Esquadras da Policia a cairem......

    Ministério vai gastar 6 MILHÕES em novo modelo de Farda.

    ResponderEliminar
  13. Mas como é que é possível que em 2013 esse caminho ainda não estivesse declarado como caminho publico se até estrada romana foi? Há aqui alguma coisa que não me cheira bem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por isso mesmo não precisava de ser declarado público.
      O que foi público, desde tempos imemorais, não precisava de ser declarado público para ser público.
      Antes da lei absurda em vigor, competia ao proprietário dos terrenos fazer prova em Tribunal de que o caminho não tinha uso público e só depois de decisõa favorável o podia vedar. Agora o proprietário fecha e os eventuais lesados que vão a tribunal reclamar os seus direitos, aguardando anos por uma decisão.
      Afinal, a bandidagem no poder, que faz estas leis absurdas, está lá para servir o capital e os interesses dos grandes proprietários.

      Eliminar
  14. Defendiam os grandes proprietários, atacavam a reforma agrária, defendiam a entrega das terras. Pois é, agora querem dar umas voltinhas de bicla e encontram os caminhos cortados e as passagens vedadas. Paciência, vão à volta.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.