terça-feira, 29 de abril de 2014

"Foi pedido ao lobo que ajudasse a proteger o cordeiro..."


Ontem o Bloco de Esquerda fez questão de fazer um pedido de informação sobre o estudo que requereu ao executivo municipal há 4 meses sobre as possíveis vantagens da exploração mineira na zona da Boa Fé, uma vez que o actual executivo nunca demonstrou uma oposição firme ao projecto até ao momento.

A resposta a este pedido de informação foi vaga. Foi dito pelo Sr. Presidente da Câmara que foi requerido ao Governo (???!!!) ajuda para a elaboração do referido estudo. Foi, portanto, pedido ao lobo que ajudasse a proteger o cordeiro... Nenhum parecer técnico foi pedido, nenhum estudo foi consultado, nenhum especialista foi ouvido, nem tão pouco as populações locais. Era exactamente isso que se esperava que o executivo fizesse para dar a melhor resposta à deliberação da Assembleia Municipal.
Felizmente, e após meses e meses de uma luta isolada do Bloco de Esquerda e de vários cidadãos e cidadãs independentes, parece que a preocupação começou a ser consensual. Todos os partidos com assento na AM querem, agora, saber mais sobre o projecto, demonstrando-se interessados em avaliar os reais impactos desta exploração a céu aberto. 
Gostaria de realçar o papel activo do Sr. Presidente da União de Freguesias de São Sebastião da Giesteira e Nossa Senhora da Boa Fé na oposição a este projecto calamitoso e que, ontem, apresentou um pedido de informação semelhante ao do Bloco de Esquerda.
Foi, então, agendada para o início de Junho uma Assembleia Municipal Extraordinária para discutir a Exploração Mineira na zona da Boa Fé. 
Esperamos que sejam contactadas todas as entidades envolvidas, especialistas e população para estarem presentes nesta AM Extraordinária, para que todos os eleitos possam ter toda a informação na sua posse e não aleguem o desconhecimento e, consequente, falta de interesse que revelaram até ao momento.
É importante relembrar que se trata de uma exploração mineira a céu aberto na Serra de Monfurado, com uma área comprometida equivalente à do Centro Histórico, envolvendo duas crateras com 120m e 90m, equivalentes a 40 e 30 caves, respectivamente. Prevê-se uma mobilização de quase 11 milhões de toneladas de rocha, contendo uma tonelada de arsénio, libertado no empoeiramento (provocando chuvas ácidas) e na lixiviação (infiltrando-se no solo e nos aquíferos).
Os números são de facto assustadores: 11 mil toneladas de arsénio na bacia de rejeitados, a que se somam 252,5 toneladas de amil xantato (químico inflamável e irritante para a pele e olhos e incluído na lista de produtos perigosos) e 1080 toneladas de sulfato de cobre puro.
E não tenhamos ilusões. Mesmo que a empresa de exploração garanta que recuperará toda a zona após a exploração, essa é, provavelmente, uma promessa que nunca será cumprida. De facto, a norma das explorações mineiras é o abandono após a fase mais produtiva para as empresas, de que resultam 175 minas abandonadas em Portugal e mais de 21 mil num dos paraísos mineiros: o Canadá.
Sempre defendemos que o futuro não se vende a preço de saldo. Esperamos que, agora, esta ideia seja consensual.


Bruno Martins (aqui)

9 comentários:

  1. LIMPEM a CIRCULAR...........PORRA..............


    LIMPEM a ECOPISTA.........PORRA.............

    ResponderEliminar
  2. «Mesmo que a empresa de exploração garanta que recuperará toda a zona após a exploração, essa é, provavelmente, uma promessa que nunca será cumprida»

    É muito simples. Basta que a entidade licenciadora EXIGA uma caução que garanta a reposi;cão do solo.
    E tenho a certeza que o Bloco de Esquerda já solicitou à entidade licenciadora, que exiga essa caução. Pois não acredito que isto seja só politiquisse.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se o BE já fez, ou entende fazer, esse pedido à "entiidade licenciadora". Claro que se pode sempre pedir, mesmo que seja apenas por uma questão formal: quem não pede (ou exige) nada obtém. Mas o que se sabe, é que a "entidade licenciadora", que é a DGEG (Direcção Geral da Energia e Geologia), que tem dado todos os "pareceres" favoráveis, e empurrado o projecto mineiro com toda a força, não é imparcial. Mais: A Secção de Minas e Pedreiras dessa mesma DGEG era dirigida quando os seus pareceres foram redigidos e enviados às autarquias (e talvez ainda o seja) por um engenheiro que é ao mesmo tempo Director do Sector Desenvolvimento da... Colt Resources! O quê? Director da mesmíssima Companhia que pretende o licenciamento do projecto ao mesmo tempo que da SMP da DGEG? Quem lê isto pode verificar. e não vale a pena fazer um desenho para entender porque é que os danos são subavaliados (ou escondidos), porque é que o processo corre com tanto apoio do Governo, etc. Só que os conflitos de interesses neste caso como nos outros, espezinham o interesse geral, e local. O problema é que para chegar a estas informações são precisas muitas horas de trabalho, porque ninguém vos vai dizer: O nosso Director, autor dos pareceres é TAMBÉM director duma secção da companhia mineira COLT Resources. Combater este projecto é um imperativo do interesse geral (e ainda mais ao nível local). JRdS

      Eliminar
  3. O PS sempre esteve de acordo com a exploração,agora tentam fazer querer o seu contrário,basta ver os Negócios Ruinosos que a gestão PS fez no concelho:

    IMOBILIÀRIO/ÁGUA/PDM

    ResponderEliminar
  4. Ai Bruno Bruno então do que é que o senhor quer que o País viva?
    Talvez queira que levemos a vida a pedir dinheiro emprestado para pagar os bons vencimentos por vós ganhos e depois ainda dizem que a divida não é nossa. Se a divida não é nossa então de quem será do Papa é que não será certamente.
    Para termos alguma coisa teremos que arcar com algumas consequências não será verdade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Bruno Martins que responda, se quiser, pela sua parte. O que eu posso garantir ao "anónimo" autor do comentário é que NÃO é este tipo de projectos que vai trazer desenvolvimento à região e ao país. Subordinado aos interesses a curto prazo dos especuladores financeiros que investem nas minas de ouro quando este estiver acima dos 1450$ / Onça (actualmente 1290$, mais coisa menos coisa), depressa as abandonarão assim que as cotações baixarem aquém do patamar de rentabilidade. E ao "anónimo" sugiro que fale com os trabalhadores da Boa Fé e arredores que já trabalharam para a companhia mineira, durante as campanhas de prospecção: chamados de um dia para o outro, são apeados sem pré-aviso, dum dia para o outro: "amanhã já não vens". A alguns faltavam dois ou três dias de trabalho apenas para poderem beneficiar do (mísero) subsídio de desemprego? Pior para eles: são despedidos JÁ, ponto final. E indemnizações? Zero. Nada de gastar dinheiro com essas coisas. a população é pobre? então que aceite o que lhe dão e agradeça. Desprezo, violência contra a população e os que tinham esperanças de emprego: é assim, senhor "anónimo" que o nosso país vai sair do pantanal? Perdoe, não acredito nas promessas de empresas que já mostraram com que fios se cozem. JRdS

      Eliminar
  5. A gestão socialista é responsável por TODAS as Negociatas feitas nos últimos 12 anos com a Ajuda do PSD,muitos parecem ter MEMÓRIA curta,ele foi no imobiliário,escândalo LUSITANO/SILVEIRINHA,PDM,NEGÓCIO da Água,exploração da minas,PASSAGEM do comboio de Mercadorias pela cidade(não negociando com a refer o desvio da linha na área urbana).............e 90 MILHÕES de DIVIDAS,foi isto que o BLOCO CENTRAL na Praça de Sertório deixou aos EBORENSES.

    ResponderEliminar
  6. Caro JRdS na minha prespetiva não pode haver uma empresa que não pense no lucro.
    Terá que ter em conta que do lucro é que a empresa paga impostos salários não será assim?
    Nós não queremos a nossa porta este tipo de empresas mas assim não vamos lá .
    Não queremos exploração de OURO, GAZ de CHISTO e outras explorações não podemos reclamar com a miséria quando os outros lutam pela riqueza que o subsolo nos pode dar, pois teremos que tirar partido disso em beneficio de todos, pois não será a vender sol que tanto apregoam que nós sairemos do buraco.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.