terça-feira, 4 de março de 2014

Confirma-se: a austeridade enche os bolsos de alguns (e sempre dos mesmos)


8 comentários:

  1. Sempre foi assim,as crises sempre fizeram novos ricos e aumentaram o dinheiro dos que são ricos.
    Estas mentalidades que publicam estas paragonas sensacionalistas tem menos cabeça que os meus pássaros.

    ResponderEliminar
  2. Os mesmos são aqueles que vos dão emprego...
    Ou acham que os outros, do lado de lá da Crimeia e da Ucrania é que vos garantem esta benesse de poderem descansar ontem, segunda, hoje terça e amanhã, quarta, como se a CM de Évora afinal nadasse em dinheiro (ao contrário do que diz o Presidente)?
    Porque será que os Ucranianos querem ir para a UE e não para a Rússia? Não me venham com algum artigo daquele atrasado mental do Bruno do BE que é de bradar aos céus sobre fugirmos daqui para o raio que o parta a ele e depois vir pedir ao Estado que lhe subsidie o vencimento na IPSS onde ele finge trabalhar enquanto só dedica o tempo à política de alimentação dos ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E para além da imbecilidade dessa argumentação, resta alguma coisa que nos queiras dizer?
      Se não, poupa-nos, porque dessa imbecilidade estamos fartos.

      Eliminar
  3. Amigos do "A cinco tons", abriram a torneira e lá vieram os acincalhamentos e os atrasados mentais do costume.
    Durante os dias em que o não permitiram o que esses desgraçadinhos teriam sofrido.
    Mas enfim, será a liberdade de expressão que está em causa...
    Ou essa abertura foi só para experimentarem se novas vozes veriam, mais cheias e capazes de inteligência. Afinal, retornaram os mesmos.

    António Gomes

    ResponderEliminar
  4. Os "mesmos" não dão emprego a ninguém! As empresas precisam de empregados se não não funcionariam. Este é o problema do capitalismo, não perceber que é necessário gente que trabalhe para fazer com que as empresas sejam rentáveis!
    Os empresários só por si não geram riqueza! Quando quem trabalhar perceber isto, muita coisa vai mudar no mundo do trabalho e será tudo mais equilibrado!
    Lurdes

    ResponderEliminar
  5. Lurdes, o teu comentário é confuso. Há muito que o capital sabe que o seu suporte é o trabalhador, simplesmente não os tratam como a sua mais valia, mas como escravos. Será que os "escravos" um dia o perceberão. Desde a Revolução Industrial que, andam enredados em teorias que ainda não os libertaram.
    E quando se pensam que estão libertos, vêem governos governos socrático-passadistas que voltam a oprimi-los.

    António Gomes

    ResponderEliminar
  6. Então eu explico...o capital sabe que o que o suporta é o trabalho dos outros, os que trabalham, esses é que não sabem, se não, não continuavam a dizer como o anónimo das 22 " os mesmos é que lhes dão emprego". Ninguém dá emprego, as empresas precisam de quem trabalhe nelas, para poderem ter lucro. Se todos soubéssemos que necessitamos uns dos outros teríamos mito mais força para deixarmos de ser escravos! Deixaríamos de olhar para o lado quando alguém reclama e reclamaríamos com ele! As empresas não teriam forma de ter mão de obra barata se todos fizéssemos pressão! E no final ate seria melhor para a maioria dos empresários e das empresas, só quem sofreria com isso era a meia dúzia que domina o Mundo!
    Lurdes

    ResponderEliminar
  7. E, diziam eles, que a luta de classes tinha terminado!...
    Afinal, ela está cada vez mais na ordem do dia, com o Capital a retomar rendimentos e privilégios que tinha perdido ao longo de mais de um século de lutas dos trabalhadores.
    Afinal, nem a história terminou, nem a luta de classes morreu, como diziam certos lacaios do Capital.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.