sábado, 22 de fevereiro de 2014

A Embraer e o interior. O "cluster" e a hipocrisia

Foi nos jogos de bastidores da política que Zorrinho e Sócrates conseguiram trazer a Embraer para Évora. Beneficiaram da "negociata" que o então presidente da Câmara José Ernesto Oliveira fez com os terrenos - que bem caros saíram à autarquia, aumentando o volume da grande dívida que se conhece, obrigando ainda à entrega de fundos comunitários por irregularidades no processo. Mas a Embraer é, para já e excluindo uma fuga futura ao género KEMET, uma realidade. Uma importantíssima realidade para Évora!

Aqui venho com o assunto não para defender os jogos de bastidores, ou as antigas administrações de Portugal e de Évora. Apenas quero sublinhar a hipocrisia dominante na política praticada por gente que nos arremete c/ a mais fina areia para os olhos.

Fina é também a ironia de ver o ministro CDS Pires de Lima falar desta empresa "que foi possível trazer para o interior" como se ele ou o governo dele alguma coisa tivessem feito para isso. Com este governo a decidir a Embraer estaria certamente em Alverca bem próximo das OGMA - vidé Museu da Música e tirem cópia do exemplo.

Irónico é também ver o novo presidente da Câmara de Évora falar da importância do "cluster aeronáutico" que o PCP se fartou de jocosa e vilmente criticar, devastando esta opção do anterior executivo.

1 comentário:

  1. Estou inteiramente de acordo com o senhor Paulo Nobre. De facto é evidente uma enorme hipocrisia quer à direita, quer à esquerda.
    Da parte do Pcp, baralha-nos a intervenção do Presidente da Câmara.Este, defendendo e bem o «cluster aeronáutico» entra em contradição com o discurso derrotista da Rua de Aviz.É evidente que todos precisamos de saber o que pensa o Pcp sobre tudo isto, tal como, se as «orientações» dadas ao seu militante na Câmara são coerentes com o desenvolvimento e o progresso na nossa região.

    Na realidade, aquilo a que se tem assistido até aqui, é de um alheamento absoluto (para não lhe chamar oposição) por parte do Pcp quanto ao investimento privado no Alentejo e acho que todos precisamos de saber se efectivamente é isso que pensa o Pcp.

    O Dr. Pinto de Sá assume aqui uma posição clara de aceitação e reforço da ideia do investimento.Será que é para manter ou estamos realmente, perante uma tentativa de esmagamento da figura/perfil do actual presidente da câmara,em nome de uma intervenção política obscura por parte do Pcp, na nossa região, um pouco parecida com a tomada na última fase da presidência do Dr.Abílio Fernandes?

    Tenho a sensação de que o Dr. Pinto de Sá, não esperará isso por parte do seu partido, tão pouco os alentejanos o elegeram nessa perspetiva.

    Queremos viver numa terra digna e não queremos ser cobaias de experimentalismos políticos que apenas servem aqueles que não governam com o objectivo de servirem as populações.

    Esperemos para ver.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.