sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Sudoeste: novo jornal vai nascer no Sudoeste Alentejano


Um novo jornal, intitulado “Sudoeste” chega às bancas no próximo dia 7 de Fevereiro, com distribuição gratuita e uma “forte vocação” para os concelhos do Litoral Alentejano.
Editada pela empresa Jota CBS – proprietária do “Correio Alentejo” –, a nova publicação terá sede em Odemira, será dirigida pelo jornalista Carlos Pinto (actual director do “CA”) e terá uma periodicidade quinzenal, saindo para as bancas às sextas-feiras.
De acordo com Carlos Pinto, o novo jornal “surge no Litoral Alentejano” porque é onde, “neste momento, além de não existir qualquer publicação escrita, há um espaço de grandes dinâmicas sociais, económicas e culturais”. 
“Trata-se de uma região emergente, em função do seu carácter empreendedor, mas também do evidente potencial que tem vindo a contribuir para a sua afirmação no todo do país”, acrescenta. (nota de imprensa)

11 comentários:

  1. Para quando um jornal em Èvora?

    A maior cidade do Alentejo e sem um jornal,sim porque o que existe é uma folheca de anuncios.

    ResponderEliminar
  2. E porque não tomas a iniciativa?

    ResponderEliminar
  3. surpreendem me os comentários de certos jornalistas ou pseudo.
    um jornal tem dois tipos de receita, a venda do papel (ou acesso digital se for o caso) e a publicidade.
    Évora ainda tem uma publicação diária em papel o que é um feito para uma cidade pobre do interior de Portugal.
    E queixam-se que tem anúncios? acham que os ordenados são pagos por quem?

    Quanto ao jornal quinzenário gratuito ou vai ser pago pelos municípios (individualmente ou pela associação) ou então não sobrevive.
    Ainda assim boa sorte

    ResponderEliminar
  4. Defesa e Diário do sul,não passam de folhas de anuncios,Évora não tem um Jornal.

    ResponderEliminar
  5. Na realidade um jornal tem dois tipos de receita que devem estar conjugados: a que resulta da venda do produto e a que lhe advém da venda de publicidade. Quanto melhor for a qualidade do produto e independência do jornal mais ele se verá compensado pela atracção da comunidade que gosta de andar bem informada a todos níveis, por outro lado, tendo um bom índice de circulação mais despertará a atenção das agéncias, empresas e firmas individuais em ali colocarem publicidade. Se estes pressupostos não estiverem realizados então não haverá jornais mas somente publicações de interesses pessoais ou familiares, ao sabor da conjunturas de ocasião que apenas conseguem captar anúncios e não publicidade.
    Por vezes não é possível distinguir notícia de opinião ou até de favor comercial. A paginação é péssima. Os administradores são ao mesmo tempo editores, directores de programas e directores de informação sem terem qualquer formação em comunicação social ou jornalismo.Fazem-se eles próprios motivo de notícia ao evidenciarem em primeira página com foto garantida que estiveram em festas e eventos sem qualquer interesse, que foram os moderadores de um debate sobre a influência do pintassilgo na apanha dos crocodilos ou como organizadores do rali dos espermatozóides coxos. E as actividades da Fundação Alentejo que são relatados até à minúcia só porque um deles faz parte do seu Conselho de Administração?
    E depois queixam-se de quê? De serem um jornal feito para uma cidade pobre do interior do Alentejo? Não enderecem para os outros as responsabilidades de fazerem um jornal tão pobre, apesar de dominarem há muito o mercado do pequeno anúncio e da publicidade institucional do distrito !
    Num texto colocado na revista digital " Alentejo em Linha" Teófilo Bilou coloca também a questão perguntando por onde anda a comunicação social eborense?

    ResponderEliminar
  6. Junte a isso a mediocridade dos correspondentes dos ocs nacionais e temos um caldo perfeito de deficiente cobertura jornalistica no distrito.

    ResponderEliminar
  7. O Diário do Alentejo é o grande jornal da região.

    ResponderEliminar
  8. Mas em Évora o DS tem resisti do porque não deixou o CJ e a DC lá entrar, caso contrario já tinha ido também ao ar. É assim alguns pseudos escribas aqui da Praça do Giraldo, embora nem um nem outro sejam de cá, um veio de Beja e outro do Algarve...São de facto dois destruidores de ideias e coisas novas...contudo la vão enganando alguns...

    ResponderEliminar
  9. 13;54

    E diz-me lá o que tens tu construído, ò homem/mulher de vastas realizações...

    ResponderEliminar
  10. Pseudo jornalistas são PP e JMP que têm construídos muitas ideias e coisas novas, absolutamente impagáveis e pertencem hoje, segundo a tua opinião, à elite da comunicação social alentejana.O primeiro é um poço de ignorância e vaidade que não consegue alinhavar um texto com sentido. Como editor-executivo ainda debitou algumas baboseiras mas depois o velho deve tê-feito calar. Aliás quando este desaparecer, o jornal segue-lhe as pisadas. Por agora o que ainda vale a pena ler as suas notas do dia. De resto todas as notícias são velhas e requentadas, sacadas da Lusa e com dois a três dias de atraso. E tu ó CT , o que estás aí fazendo? Donde vieste e para onde vais?

    ResponderEliminar
  11. Tem graça. São todos anónimos, mas conhecem-se todos...

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.