quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

CME: um orçamento "fictício"?


Segundo a rádio diana, que cita o presidente da autarquia, Carlos Pinto Sá, o orçamento da Câmara de Évora para 2014, aprovado pela Assembleia Municipal na sexta-feira passada, e que entra hoje em vigor, "não tem receita para cobrir os 93 milhões de euros inscritos como despesa no orçamento"
Por isso, diz a rádio diana, "este ano o défice pode chegar aos 50 milhões de euros", mais de metade do valor global do orçamento para 2014. (ver notícia)

8 comentários:

  1. E só este ano é que o CJ descobriu que os últimos Orçamentos da CME foram "fictícos"?

    Ainda ninguém tinha explicado ao CJ que as receitas médias da CME se situam em cerca de 40 milhões de euros e que todos os orçamentos acima desse valor são "fictícios", no sentido em que se destinam a suportar dividas passadas ou a acumular dívidas futuras?

    Ou como é que o CJ acha que a dívida triplicou nos últimos 10 anos, ao mesmo tempo que o Património Municipal desapareceu?

    Mas, afinal, o que tem andado o CJ a fazer por Évora nos últimos anos?

    ResponderEliminar
  2. Voces comunas,já sabiam da divida.
    Andaram a campanha toda a falarem disso. E agora depois de apanharem os votos,veem fazer-se de surpreendidos???
    Agora RESOLVAM!
    NAO ERA CDU COM TODA A CONFIANÇA?
    Agora querem o qué?
    Realmente sao todos a mesma merda.Só querem o poder.

    ResponderEliminar
  3. Valha-nos o CJ que assim sempre vamos sabendo alguns verdades (e honra seja também feita à Rádio Diana). Metade do orçamento da Câmara (desta e da do PS) têm sido mentiras. Valha-nos santo ambrósio!!!

    ResponderEliminar
  4. @22:29
    O problema é que as "verdades" vêm com uma década de atraso.
    Até há poucos meses os Orçamentos eram de "excelência"...

    ResponderEliminar
  5. Para além dos 80 milhões da dívida há que contar com +40 milhões de compromissos assumidos em anos anteriores para pagar em 2014.

    Entre esses compromissos estão 6MILHOES de euros a pagar à FEA pelos terrenos onde está instalada a EMBRAER. Terrenos que a CME "vendeu" por 300 mil euros.

    Ou seja: o Ernesto fez o foguetório, sem pagar um cêntimo, e deixa a dívida para os sucessores. Um "gestor" de excelência, neste pobre país à beira mar plantado. Fosse num país civilizado e iria bater com os costados na cadeia, por gestão danosa. No mínimo.

    ResponderEliminar
  6. 23:02

    Porra. Não me digam que este não é de "excelência"! A dar pancada no contribuinte não há melhor.

    ResponderEliminar
  7. 00:33
    este orçamento, como não podia deixar de ser, traduz as misérias de 12 anos "a caminho da excelência". 12 anos em que este concelho esteve a andar... para trás.

    ResponderEliminar
  8. Depois Pinto de Sá diz que a culpa é a troika e do governo, e que agora com esta troika é o pior desde o 25 de Abril para o pais,onde andava o mesmo nas outras 2 troikas?E porque não entregou a uma auditoria todas a contas da autarquia e de seguida tribunal.
    Orçamento fictício com um défice de 120 milhões,pergunto os comunistas sabiam de tudo e porque fazem este FILME!?

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.