quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Cendrev: Balanço de 2013 e Actividades para 2014

clique na imagem para ler

Estamos a preparar os ensaios da nova produção da companhia que começam já no próximo dia 27, mas agora é o momento de tornar público o relatório da actividade que realizámos em 2013. Ainda que a cultura continue a ser o parente pobre do Orçamento de Estado, não deixámos de contribuir, com enorme esforço é verdade, para a manutenção da vida cultural da cidade património mundial e intervir na região, no país e no estrangeiro. Garantimos a obrigação do cumprimento de serviço público.
Embora o financiamento do Cendrev tenha sido reduzido em mais de 71% nos últimos quatro anos, uma brutal redução que nos está a obrigar a funcionar num quadro de enorme precariedade, conseguimos concretizar um assinalável programa de trabalho que contou com parcerias com a Universidade de Évora, Zorra Produções Artísticas, Alma D’Arame de Montemor-o-Novo, Museu da Marioneta de Lisboa, Grupo Pró-Évora, SOIR - Joaquim António de Aguiar, com a colaboração da Câmara Municipal de Évora e de algumas empresas da cidade, o apoio de alunos que realizaram os seus estágios na companhia e finalmente contámos também com o importante financiamento comunitário, através de duas candidaturas: “Bonecos de Santo Aleixo – Um Património a Preservar”, que se mantém até final de 2014 e “CULTURBE”, que terminou no final do ano. 
Em 2013 o Cendrev realizou 73 representações, das quais 43 em Évora e as restantes em digressão, que levaram a companhia ao Alandroal, Arraiolos, Barrancos, Beja, Braga, Campo Benfeito (Castro Daire), Coimbra, Covilhã, Estremoz, Faro, Flor da Rosa (Crato), Lisboa, Portel, Ravena (Itália), Salamanca (Espanha), Santiago do Cacém, Valência (Espanha) e Vila Real. Ao conjunto de espectáculos apresentados pela companhia assistiram 4.828 espectadores. A companhia efectuou este conjunto de récitas com os espectáculos – “Mister Paradise” de Tennessee Williams; “Vou ou não vou esta noite ao teatro” de Karl Valentin; “Falar Verdade a Mentir” de Almeida Garrett e com os Bonecos de Santo Aleixo. 
Para além dos espectáculos da companhia, o Cendrev acolheu em residência no Teatro Garcia de Resende um projecto teatral do Grupo Faísca e recebeu, no âmbito do projecto CULTURBE ou através do programa de intercâmbios, as companhias: ACTA – Companhia de Teatro do Algarve; Escola da Noite; Baal 17, Cena Lusófona, Companhia de Teatro de Almada; Companhia de Teatro de Braga; Lendias D’Encantar; Olga Roriz; Peripécia Teatro, Teatro das Beiras; Teatro Extremo e Teatro do Montemuro. Organizámos uma Mostra de Teatro de Mamulengo (Brasil), uma Mostra de Teatro Galego, projecto designado Troco X Troco que envolveu quatro companhias galegas e quatro portuguesas, uma Mostra de Marionetas Japonesas e a 13ª edição da Bienal Internacional de Marionetas de Évora – BIME que, para além da exposição de um espólio do Museu da Marioneta e do Seminário Internacional com o tema “Que museu para os Bonecos de Santo Aleixo”, trouxe a Évora 21 companhias que apresentaram 77 sessões no Teatro Garcia de Resende e em diversos locais do centro histórico.
Ao longo do ano de 2013 realizámos, organizámos e acolhemos em Évora 170 sessões com o envolvimento de 33.258 espectadores, nestes números contabilizamos os espectáculos da companhia, os programados pelo Cendrev e as 20 cedências decididas pela Câmara Municipal. No âmbito do trabalho de formação e sensibilização de novos públicos a companhia, para além dos apoios e empréstimos de material técnico e guarda-roupa, realizou um Workshop de 30 horas e organizou 16 visitas guiadas ao Teatro Garcia de Resende onde participaram 453 pessoas, nomeadamente jovens.  
Mais um ano carregado de dificuldades para os trabalhadores do Cendrev que mantiveram, com toda a dignidade, este projecto teatral que nasceu com a revolução de Abril, cujo 40º aniversário iremos celebrar este ano que esperamos seja também a abertura de uma nova página na relação do município com os agentes culturais.(nota de imprensa)

3 comentários:

  1. Christine Zurbach, a mulher de Luis Varela ambos ex CEndreves, foi membro do juri da FCT que reduziu as bolas de doutoramento em estudos artisticos a 10 miseráveis bolsas.Há muitas cumplicidades esondidas.

    ResponderEliminar
  2. Não me admira nada! O Luís Varela sempre com aquela pose do camarada Beria.

    ResponderEliminar
  3. Apesar do esforço o relato do passado e as perspectivas de futuro não nos convencem.
    são esgares de cadáver adiado
    e os pobres moços não tinham mais nenhum sitio onde ir estagiar ou lá o que é isso? sim os da escola, da mulher do Zé Russo?
    porque é que tem que sofrer aquilo?
    ou vão ensinar-lhes o «estilo Mário Barradas»?

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.