quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Portugal 2020 – “o novo QREN”

Os actores económicos e sociais nacionais preocupados, muitas vezes com o imediato, desperdiçaram ao longo dos últimos anos, em várias áreas e sectores, muito do potencial de investimento associado aos fundos comunitários.
O balanço de 20 anos de fundos comunitários em Portugal mostra uma aposta na melhoria das infraestruturas do país, falhas sucessivas nas acções de formação/qualificação de activos e desempregados, bem como fraca aposta na inovação no conhecimento e na competitividade.
Ou seja, vinte anos depois, Portugal é um país com mais infraestruturas, com menos coesão territorial e crescentes desigualdades sociais numa Europa com dificuldades, múltiplas, de identidade.
Os novos desafios de utilização dos fundos comunitários devem conduzir a mudanças claras e necessárias: forte aposta numa formação/educação que produza quadros reconhecidos pelo mercado, aumento dos investimentos nas regiões mais desfavorecidas, criação de contextos competitivos, virados para uma economia activa, com fortes repercussões sociais, associada à criatividade das pessoas e à qualidade de vida das gentes e dos territórios.
Portugal não pode perder esta oportunidade e deve promover uma adequada e eficiente utilização dos cerca de 25 mil milhões de euros de fundos comunitários durante os próximos 7 anos.
Em tempo de profunda crise financeira, têm que ser accionados mecanismos de rápida absorção das verbas disponíveis, devendo assumir-se, de uma vez por todas, os novos fundos comunitários como um factor estratégico para o país.
Conhecidos os eixos prioritários do Portugal 2020: Competitividade, Capital Humano, Investigação, Desenvolvimento e Inovação e a Inclusão Social e o Emprego, importa perceber que o Alentejo será uma das regiões prioritárias na afectação de fundos.
O Programa Operacional do Alentejo 2014/2020 vai beneficiar de um aumento superior a 40%, comparativamente com as verbas do QREN 2007/2013, sendo o Alqueva responsável por parte significativa desse aumento.
A terminar 2013, estas são boas notícias para a região que tem agora que ter um tempo e forçosamente um outro olhar para um futuro que espreita já no virar de página do calendário, assumindo-se um ano de 2014 marcado pela mudança, responsabilidade e, acima de tudo, uma nova esperança.
Continuação de boa semana com votos de um Feliz Natal

Silvino Alhinho (crónica na Rádio Diana)

8 comentários:

  1. Policia......SIS......UGT......tentaram furar a LUTA dos Professores.

    ResponderEliminar
  2. PERIGO:

    A entrada da Porta do Raimundo o piso está BASTANTE esburacado....é Urgente uma intervenção a situação perdura à alguns anos,deitar um pouco de terra não resolve.

    ResponderEliminar
  3. Apelo:

    Aos membros do conselho geral da Universidade:

    Carlos Braumann e Ana Ludovice,duas candidaturas a evitar.

    ResponderEliminar
  4. acincotons, um blogue de Carlos Júlio

    ResponderEliminar
  5. este gajo nao tem jeito para escrever,mas é teimoso.

    ResponderEliminar
  6. Já vi coisas más e muita gente dizer que o ensino de hoje é pior que o de há várias décadas atrás, mas um engº não saber fazer contas e dizer que temos fundos comunitários desde há 20 anos, sem sequer ter a noção de que o primeiro QCA comela em 1989 e há 3anos de pré adesão desde 1986, é mesmo do pior que tenho visto nos últimos tempos.

    ResponderEliminar
  7. Esse novo QREN é como os outros passados , espalha a miséria pelos pobres e remediados de Portugal e dá fundos ilícitos aos mesmos de sempre , aqueles que desde o 25 Abril de 1974 , acho que ainda não houve outro ... até ver ; dormem na sombra da bananeira . Os projetos são feitos de maneira a arrecadar receita a fundo perdido onde não existe quem os vá verificando ... e dando vida à quinta plantada em Portugal .

    Os últimos projetos em Évora foram atribuídos , falo de mais de 1 milhão de euros , a famílas e empresas que os não merecem , quer por fugas anteriores a impostos ou lavagem de euros .

    Tenham vergonha quando anuciam essas coisas , não estão a falar para carpinteiros , serralheiros ou sucateiros .

    Jorge

    ( ciclista )

    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar
  8. Este rapazinho não se enxerga????

    Ainda é pior que o Mira Ferreira..

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.