quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Presidente da Câmara de Évora diz que divida superior a 80 milhões é "tremenda e dramática"


O presidente da Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá (CDU), revelou hoje que a dívida do município ultrapassa os 80 milhões de euros, considerando a sua dimensão "tremenda e dramática" para o funcionamento da autarquia.
Em declarações à agência Lusa, o autarca disse que o primeiro mês de mandato permitiu confirmar que "a dívida da câmara ultrapassa os 80 milhões de euros" e que "há um conjunto de outros valores que podem somar-se a essa dívida".
"É uma coisa absolutamente tremenda e dramática para o funcionamento do município", afirmou Carlos Pinto de Sá, que ganhou a emblemática Câmara de Évora ao PS nas últimas eleições autárquicas.
De acordo com o autarca alentejano, em faturas que estão por processar existem "mais de cinco milhões de euros adicionais à dívida oficial que estava registada", que rondava os 75 milhões de euros.
"Há situações que vão desde o incumprimento de determinados requisitos dos fundos comunitários, em que, nalguns casos, a câmara tem de devolver fundos, até a um conjunto de compromissos assumidos que ainda não estava identificado na escrituração da dívida", referiu.
Pinto de Sá adiantou que, "por uma questão de transparência", vai passar, a partir da próxima reunião de câmara, a incluir "um ponto na ordem de trabalhos onde estas questões serão devidamente colocadas para que todos os vereadores possam conhecer os documentos".
"Não pretendemos estar a fazer qualquer jogo político à volta disto, mas, tão só, identificar qual é a dívida da câmara", assinalou o autarca, indicando que o município vai também "dar informação" sobre o assunto à Assembleia Municipal.
A gestão CDU, realçou, já começou a fazer "um conjunto de reuniões" com os principais credores e empresas que trabalham com a câmara para se encontrarem "formas negociais para ultrapassar os problemas".
O presidente do município destacou ainda que o novo executivo iniciou "uma ligação muito direta com os trabalhadores", através de uma reunião geral de funcionários e de visitas aos serviços, e que começou já a preparar as Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2014. (LUSA)

25 comentários:

  1. Estes gajos aprendem depressa e o disco que tocam é sempre o mesmo: a dívida que herdámos é tão grande que tudo o que pudermos fazer já é demais. É só queixas e queixas sobre a situação que encontraram (como se não soubessem, o que andaram lá os 3 vereadores do PCP a fazerem durante 12 anos?) daqui a quatro anos deve ser bonito o balanço...Pobre cidade, que primeiro levou com estes, depois o PS e agora vêm, de novo, estes acabar com o que restava.

    ResponderEliminar
  2. José Ernesto afirmou que foi enganado pelo governo PS no NEGÓCIO da àgua,todos sabemos que estamos a pagar a factura da incompetência da gestão PS.Haja TOMATES e façam estes senhores ser chamados a prestar contas pela gestão DESASTROSA que realizaram.

    ResponderEliminar
  3. Soube-se hoje que o anterior executivo perdeu vários apoios para recuperar a zona da Judiaria.

    ResponderEliminar
  4. Esturraram CINCO MILHÕES de EUROS na Praça de toiros.

    ResponderEliminar
  5. A Lili passou fins de semana em bom....o ZÉ tratou -me como uma verdadeira CLEÓPATRA,lembram-se?

    ResponderEliminar
  6. O perfume Évora ainda se lembram?

    ResponderEliminar
  7. O Festival do perfume ,lembram-se....

    foi fartar vilanagem....Agora 100 MILHÕES para os Eborenses pagarem.

    ResponderEliminar
  8. 16,21

    Ó Secretário, agora a propaganda anti- ernesto já não vale e o PS já perdeu as eleições e foi castigado pelo que não fez. Vocês têm que mostrar que valem mais. Foi para isso que 1 em cada 4 habitantes do concelho votou em vocês. Serão capazes ou vão ser mais quatro anos só de propaganda?

    ResponderEliminar
  9. Meu caro aqui não se trata de secretários,é tempo de neste país os responsáveis por má gestão serem penalizados,eu vou pagar os impostos mais altos por culpa do senhor josé ernesto,melgão,sócrates e mário lino.

    ResponderEliminar
  10. Haja coragem,o negócio da água é ruinoso para os Eborenses,Sócrates,Mário Lino e José Ernesto têm que PAGAR por isso.

    ResponderEliminar
  11. Em Espanha já prenderam centenas de autarcas............

    ResponderEliminar
  12. O actual executivo deve informar os Eborenses de todas as Dividas.

    ResponderEliminar
  13. ÉVORA ELEITA PARA OS ORGÃOS SOCIAIS DA REDE DE JUDIARIAS

    “Rotas de Sefarad” é a designação que identifica a Rede de Judiarias, um percurso pela história através das marcas dos judeus sefarditas em Portugal. O projecto, e a associação que o suporta, nasceu há cerca de dois anos e partiu da necessidade de criar um programa de levantamento, reabilitação, organização e disponibilização do património tangível e intangível relacionado com a componente judaica portuguesa. A candidatura num montante de cerca de 5 Milhões de euros, apresentada ao EEA Grants, um programa da Noruega, Islândia e Liechtenstein, foi aprovada e a execução do projecto envolveu a revitalização da sinagoga de Tomar, a criação de um Memorial da Vida de Aristides Sousa Mendes, em Vilar Formoso, a recuperação das sinagogas de Almeida e de Vilar Maior, a criação do Centro de Interpretação da Cultura Sefardita do Nordeste Transmontano, em Bragança (com projecto do arquitecto Eduardo Souto de Moura) e a recriação da Casa da Inquisição em Reguengos de Monsaraz. A criação da rota envolve nove municípios e seis entidades regionais de turismo, para além da Comunidade Judaica de Belmonte.

    Inicialmente estava previsto em Évora, o desenvolvimento de um dos projectos âncora das Rotas de Sefarad, a Casa da Cultura Judaica Diogo Pires - O Humanismo, a Literatura e a Poesia da História Judaica Portuguesa. Tratava-se da adaptação da Casa dos Saragoças - onde viveu Diogo Pires (1517-1519) - na judiaria de Évora, localizada no cruzamento da Rua da Moeda e da Rua do Alcoutim, para Centro da Cultura Judaica Portuguesa. A casa tem 2 portais ogivais, um deles com uma das mezuzas que restam no centro histórico da cidade, numa das mais importantes vias da antiga judiaria medieval.

    Este projecto, num montante de 280 000 €, com financiamento integral da obra e musealização do acervo da responsabilidade da Rede de Judiarias Portuguesas, implicava para a CME negociar apenas um contrato de comodato com os proprietários do edifício. A inclusão de Évora nas Rotas de Sefarad seria muito importante para a cidade no sentido de atrair a Évora um fluxo de turismo cultural, religioso e científico em torno da Cultura Judaica. Deste modo, dando visibilidade à Judiaria de Évora abrir-se-iam certamente outras possibilidades de financiamento para a reabilitação urbana desta parcela do centro histórico da cidade. Nada disto se concretizou, em tempo útil, por razões que a razão desconhece e que terão de ser imputadas ao anterior executivo.

    Évora esteve na reunião da Associação Rede de Judiarias, através da participação do Vereador Eduardo Luciano, que se realizou no dia 18/11/2013 no Museu Judaico de Belmonte, tendo sido pela primeira vez eleita para os orgãos sociais. O projecto Casa da Cultura Judaica Diogo Pires mantém-se como uma das prioridades na relação de Évora com a rede e a sua concretização dependerá apenas do necessário financiamento a encontrar no âmbito da associação e da parceria estratégica que Évora pretende incentivar com este maior envolvimento.

    Um diálogo intercultural propiciador da paz passa pela compreensão e pela fruição das heranças patrimoniais dos povos que passaram e marcaram Évora. O tempo depurou a História e hoje é inquestionável a coexistência pacífica da Évora Cristã, Sefardita e Muçulmana. A cidade multicultural de hoje contribuiu decisivamente para uma formação das pessoas, assente na tolerância e no humanismo, promotora de mais cidadania. (Nota de imprensa da Câmara de Évora)

    ResponderEliminar
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  15. E o FROTA já sabe?

    Ele que dizia a DOREV não permitia,afinal foi a concelhia PS que não permitiu a adesão de Évora.

    E esta amigo Frota.......

    ResponderEliminar
  16. "Nada disto se concretizou,em tempo útil,por razões que a razão desconhece e que terão de ser imputadas ao anterior executivo"

    Cãmara PS perde um projecto no montante de 280000 MIL EUROS,com financiamento integral da obra e musealização do acervo da responsabilidade da rede de Judiarias Portuguesas.


    Amigo Chalaça e Troncho digam qualquer coisinha.....

    ResponderEliminar
  17. A maçonaria da tra.da Alegria não deixou.

    ResponderEliminar
  18. Satisfeito por terem prevalecido os interesses da cidade que são unicamente os meus; satisfeito por ter sido o primeiro a chamar a atenção para o estado deplorável em que a Judiaria se encontra desde há mais de cem anos;satisfeito por ter sido o primeiro a divulgar as potencialidades de aproveitamento do projecto Sefarad lançado no âmbito da Universidade Hebraica de Jerusalém; satisfeito,enfim, por ter revelado e ensinado a muitos eborenses e não só, que Évora que tinha uma Judiaria, qual a zona onde se situa e as ruas que a integram.
    Quanto ao desperdício da referida verba por parte do anterior executivo,censurável a todos os títulos, desconhecia o caso em absoluto. Será bom recordar que a avença recebida e cujo teor ainda hoje pode ser consultado na NET, dizia unicamente respeito à produção da Évora Mosaico e não a qualquer função ou participação na política cultural da Câmara.E esta foi suspensa em FEVEREIRO de 2012, altura a partir da qual ninguêm mais me viu pôr os pés na Praça de Sertório.

    ResponderEliminar
  19. Grandes surpresas... será que o lider da oposição CDU no anterior mandato não sabia nada destas dívidas. Ele tinha inteiros poderes para exercer uma fiscalização rigorosa. Percebemos, a sua vida nunca se virou para o trabalho da Câmara, sempre foi mais saias...
    Mas, estou confiante que mesmo na sua solidão governativa, o Pinto de Sá conseguirá ultrapassar todas estas surpresas que o seu colega de vereação ignorou.
    A sua competência técnica e a sua experiência, são disso um garante.

    ResponderEliminar
  20. Os comunistas nunca irão resolver problema financeiro nenhum, porque sem remessas do orçamento de estado, nada sabem criar (DIGA-SE criar receitas, atrair investimento ou gerar parcerias com investidores institucionais e privados) além de escarcéu, gritaria, reivindicação e culpabilização de terceiros.

    Já se esqueceram igualmente que deixaram os anteriores com uns milhões de contos de prejuízo à perna - independentemente dos anteriores terem contraído ainda muito mais dívidas quando já se adivinhava uma crise profunda.

    Por isso, estes senhores do PCP nada irão fazer, seja para pagar dívidas, seja para reinventar receita atraindo capitais. Ai que nome tão PORCO! Capitais!

    ResponderEliminar
  21. Este imbecil anda a espalhar o mesmo comentário por vários artigos. Provavelmente está convencido de que aquilo que disse tem algum interesse.

    ResponderEliminar
  22. Há sempre um funcionário do partido dos zangados e embirrados com tudo, de serviço. Paga o partido ou pagam os munícipes de Évora?

    ResponderEliminar
  23. não há surpresas, é só questão de quantificar aquilo que se esperava: dívidas não inscritas, falsificação de resultados é uma das especialidades dos trapaceiros.

    ResponderEliminar
  24. Senhor Presidente:
    Qual era a dívida em 29-09-2013.
    O resto não me interessa. Foi por isso e não só que o PS foi corrido.
    Parece que o receio com que estavam antes das eleições sobre o resultado final tem alguma razão de ser.
    Então o PC não sabia o que se passava? Ou não esperava ganhar e ficava mais quatro anos a passar a mesma cassete?
    Mais ação e menos propaganda para agradar a seita, que ainda por cima parece pobre, pois se o vereador que ficou não estava informado o que ficou a fazer na lista.
    Se fosse ele a estar a frente da lista seriam mais quatro anos a dizer o mesmo. Os do CC sempre são um bocado mais espertos (a experiência é um posto) e trataram a doença rapidamente, só que Pinto de Sá está manietado.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.