quarta-feira, 27 de novembro de 2013

O retrocesso à miséria

emigração nos anos 60

Uma história a não repetir, mas que infelizmente caminhamos para aí.
Caminhamos para o futuro em marcha a trás
1961 adoeci com gânglios algures no concelho de Arraiolos tinha 7 anos.
Meu pai não podia beneficiar de acesso á casa do povo, porque tinha herdado 6 hectares de terra. Sem emprego, fazendo trabalho sazonais sem dinheiro para pagar consulta médica, vê-se na eminência de me perder por falta de assistência médica e medicamentosa.
Homem ousado apesar de analfabeto, não quer perder o filho, descobre que existe uma entidade em Évora o Instituto de assistência aos tuberculosos. E vai fazer mensalmente a deslocação a esse instituto de bicicleta a pedais , mais de 60 kilometros,alimentando-nos com um buchazita para ter energia para a viagem.
Temo que estajamos a fazer um retrocesso civilizacional de mais de 50 anos, o regresso á falta de asstência médica, a uma alimentação saudável enfim o retrocesso á miséria.

9 comentários:

  1. Solidário com este homem mas...chega de andarmos aqui a gritar aos coitadinhos!
    O eterno fado da desgraçadinha.

    Os Alemães durante e depois da guerra passaram 10 vezes mais miséria que os Portugueses. Nunca os ouvi a lamentar-se da situação.

    ResponderEliminar
  2. A senhora do CDS que dirige a segurança social vai encerrar o lar de pinheiros e enviar os idosos para fora do concelho.

    ResponderEliminar
  3. A igreja tem vários palacetes para meia duzia de padres viverem como princepes,tanto espaço que podia estar ao serviço das pessoas.

    ResponderEliminar
  4. A residência do arcebispo na rua do Cicioso é um Palácio,tanto espaço para uma pessoa só...................esta não é a Igreja de JESUS CRISTO.

    ResponderEliminar
  5. E a Câmara não tem nada a ver com isto? Não tem assistentes sociais, não tem serviços de apoio, não tem casas para os mais necessitados? Ou lava mais uma vez as mãos como está fazer em relação a tudo? Tás a ver... são 80 milhões de divida... não dá para fazer nada.. que coisa... mudar? Já temos mais esta no papo e as eleições são só daqui a quatro anos. Daqui a três logo veremos. Culpas? Do governo, da troika, do Zé do Cano, da Tia Luísa, da oposição, dos ex-secretários, dos gajos que criticam. Agora apoiar quem dorme na rua? A culpa é do Zé do Cano,do Passos, da troika, da senhora do 3º esquerdo, de quem havia de ser? Estão a ver mais alguém?

    ResponderEliminar
  6. @16:10
    Só o Carlos Júlio é que vos atura.

    ResponderEliminar
  7. Papa Francisco tens tu Coragem para DEMITIR a Hierarquia da Igreja Portuguesa?

    Sempre viveu apoiando o poder instalado,nunca "sujou" os pés junto do POVO pobre.

    (excepto alguns padres e religiosas que tiveram e têm um papel importante juntos dos mais fracos)

    ResponderEliminar
  8. Voltei, voltei e infelizmente por aqui continuamos todos anónimos.
    Mas voltando ao post, conquanto ainda tenhamos algum apoio social, os tempos são difíceis. Em termos laborais estamos a voltar ao século passado, com um grande inconveniente, cinquenta anos passaram e toda o evolução tecnológica, queda do bloco de leste e abertura da UE reduziu a necessidade de mão-de-obra pouco qualificada por toda a Europa. Assim mesmo sem necessidade de ir para França a "salto", nem dos empurrões para sairmos do país, hoje a emigração não é alternativa. A alternativa tem que ser encontrada na "NOSSA TERRA".

    ResponderEliminar
  9. Concordo Gia
    Os tempos vizinham serão piores dos que retrato, se nada for feito em contrário

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.