sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Hoje na Casa da Zorra: Criações pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres


No passado dia 25 assinalou-se o Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres.
A ZORRA Produções Artísticas lançou um desafio para a apresentação de obras|criações à volta desta temática e estamos felizes por informar que a adesão foi muito positiva!
Algumas das nossa salas transformam-se em cenários que recebem intervenções que vão do espaço expositivo com quadros, desenhos, fotografia, escultura, selecção de video à leitura de textos e a performance.
Além das apresentações "live" no dia do evento, os trabalhos "em suporte físico" ficarão em exposição durante uma semana na CASAdaZORRA.
Às 18:00 promovemos ainda um encontro de informação e sensibilização em parceria com o NAV (Núcleo de Atendimento às Vítimas de VD)/Cáritas e alguns parceiros.

PROGRAMA:
-------------------------------------------------------------------------------
18h00 | Conversas em torno da Violência sobre a Mulher
Iniciativa em parceria com o Núcleo de Atendimento às Vítimas de Violência Doméstica do Distrito de Évora (NAV)/ Cáritas Diocesana de Évora (CDE)

22h00 | Reflexão no âmbito da Violência sobre a Mulher através da Expressão Artística
Apresentação pública de criações sobre a temática da Violência sobre a Mulher

Criadores/Participantes (por ordem alfabética):
Adilson Di Carvalho; Ana Reis; Ana Silvestre; Anabela Calatroia; Anarita Rodrigues; Augusto Graça; Bárbara Magnoni; Elisabete Barradas; Fabiana Barreda; Florbela Figueiredo, Fly Pontes; Gregório Mucio; Joana Ricardo; José da Fonseca; José Lourido; Júlio Quirino; Mara; Márcio Pereira; Maria Pires; Marta Marques; Marta Ricardo; Mercedes Prieto; Rui Matos; Rute Marchante Pardal; Sílvia Lopes; Yuco Fabián

1 comentário:

  1. Conquanto, seja um tema da atualidade, porque "violência da mulher"?
    Violência é sempre violência... Não deveria ser antes "violência doméstica"?
    Quantas crianças são vítimas dessa violência? Por não terem voz, as mais desprotegidas.
    Essas são, salvo melhor opinião as grandes vítimas.
    *Testemunha das desavenças familiares, muitas vezes o "bombo" dessas brigas.
    *Entregue a si mesmo e/ou à mercê de influências externas pelo "abandono" familiar, demasiado ocupado com a sua subsistência.
    *Segundo as estatísticas a maioria das violentadas, ocorrem em ambiente familiar.
    Hoje existem muitos meios de apoio à "violência da mulher", desde instituições ao posto da autoridade mais próxima. Dizem alguns, não estão devidamente preparados para receber as queixas... E estarão as vítimas devidamente consciencializadas que são vítimas?
    Ah, já agora, também há homens a sofrer violência doméstica.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.