sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Évora: hoje na Bruxa Teatro


SINOPSE

As coisas correm bem a Alex. Ama a sua mulher, a sua filha, a sua cidade, o seu trabalho... 
mas por vezes a força da vida pode bater contra nós. E tudo pode ser-nos tirado.
Alex nunca dá voz às palavras cruéis que pronunciou naquele dia. Mas podemos imaginá-las. Simon Stephens leva-nos subtilmente, em tom de confidência, ao ponto em que nos basta apenas preencher as palavras não ditas.

Monólogo perfeito de trinta minutos, parece a história trivial de um jovem amor, da paternidade e da família, mas com a ratoeira de uma tragédia sem sentido. Pode ser Deus responsável pela beleza da vida e também pela crueldade inexplicável?
JSM


UM PRECIPÍCIO NO MAR de Simon Stephens Tradução Hélia Correia Com João Meireles Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Luz Pedro Domingos Encenação Jorge Silva Melo 
M12
UM PRECIPÍCIO NO MAR 
Locala BRUXA teatro, Espaço Celeiros, Rua do Eborim, 16 - Évora
Datas: 15 de Novembro
Horário: 21:30h
Bilhetes: 5€ geral | 2,50€ estudantes, reformados e desempregados
Reservas abruxateatro@gmail.com | 266 747 047
Organização: aBt/Acolhimento (nota de imprensa)

9 comentários:

  1. Senhor vereador João Rodrigues:


    A cidade precisa de voltar a ser um espaço LIMPO....continua ainda muito por fazer na área da LIMPEZA.

    ResponderEliminar
  2. O centro histórico está "morto" muitos serviços foram retirados,a própria cãmara deu um mal exemplo,a cidade dentro das suas muralhas tem um conjunto de edificios públicos fechados ou mal aproveitados,é tempo de pensar o que fazer com estes espaços,a cãmara pode ser um parceiro na liderança deste processo.

    ResponderEliminar
  3. A cãmara tem um amplo edificio no centro histórico mal aproveitado (antiga rodoviária),edificio com dois pisos.(para estacionamento de meia dúzia de carros).

    Ali podia colocar serviços que foram para o parque industrial,e destinar um espaço para fins culturais,seria uma mais valia para o centro histórico.

    ResponderEliminar
  4. O Palacio do Inatel,outro enorme edificio.....com muitas espaços fechados.

    ResponderEliminar
  5. O convento novo está a degradar-se e mal aproveitado.

    ResponderEliminar
  6. Senhores comerciantes não atirem o LIXO para as arcadas.

    ResponderEliminar
  7. Senhor vereador João Rodrigues:

    Desejo-lhe um bom trabalho,a cidade bem precisa,voltar a ser um concelho LIMPO vai ser um trabalho arduo,muita coisa terá que mudar nos serviços,para que Évora volte (espero que muito em breve)a ser a Cidade Limpa e Branca.

    ResponderEliminar
  8. Dr Pinto de Sá - os maus vicios estão "metidos" no pessoal dos quadros da Camara. Administre a Camara como se ela fosse uma empresa privada e meta "chefes" ou "encarregados" a controlar o pessoal. Hoje no jardim do bacelo em frente à farmácia estavam só 5 paradinhos no paleio na hora do trabalho.

    ResponderEliminar
  9. Concordo que é necessário reintroduzir os processos de controlo de execução do trabalho dos serviços e de cada funcionário. Um controlo que deverá visar a qualidade e eficácia do trabalho desenvolvido por cada um e não tanto a "perseguição" a "vícios" que poderão não o ser.

    Está comprovado que uma pequena pausa para café ou fumar um cigarro a meio do período de trabalho poderá ser benéfica para uma melhor eficácia do trabalho produzido. E isso acontece em muitas empresas privadas.

    Interessa mais avaliar o trabalho desenvolvido ao longo de um dia, ou de um certo período de trabalho, do que sobrevalorizar ou penalizar as pequenas pausas que tanto nos incomodam. Mas é evidente que é necessário estabelecer parâmetros de medida e avaliação da execução (qualidade e eficácia). É para isso que existem as hierarquias e as chefias. E quem não for capaz de realizar o trabalho exigível terá de ser deslocado para outras funções e substituído pelos mais válidos e capazes. E isto terá de ser válido a todos os níveis: funcionários, chefias e administração.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.