quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Évora: "As orações de Mansata" amanhã e depois no Garcia de Resende


AS ORAÇÕES DE MANSATA
de Abdulai Sila

Em cena no Teatro Garcia de Resende
Dias 8 e 9 de Novembro, pelas 21h30

Recentemente estreado em Coimbra pela A Escola da Noite - “As Orações de Mansata”, do guineense Abdulai Sila, estará em cena, no Teatro Garcia de Resende, nos dias 8 e 9 de Novembro, pelas 21h30.
Trata-se de uma co-produção com a Cena Lusófona, a Companhia de Teatro de Braga e o Teatro Vila Velha (Salvador, Brasil), construída no âmbito do projecto P-STAGE – IV Estágio Internacional de Actores. Em palco estarão 13 actores oriundos de Angola, Brasil, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe integram o elenco desta co-produção internacional, seis países de língua portuguesa, dirigidos por António Augusto Barros.
“As Orações de Mansata” é o primeiro texto dramático impresso da literatura guineense. Ele oferece um impiedoso retrato dos mecanismos de corrupção, luta pelo poder e violência extrema que caracterizam vários regimes políticos em todo o mundo e têm marcado, de forma trágica, a realidade da Guiné-Bissau nas últimas décadas. A busca das Orações de Mansata, que supostamente darão aos seus detentores os poderes necessários para dominar o povo, desenrola-se num processo em que a traição, a tortura e a morte são reduzidas à banalidade.
A realidade de uma certa África contemporânea é ainda retratada através das tensões entre as culturas ancestrais (a poligamia, a ligação ao sobrenatural, as formas de poder tradicional, o lugar reservado às mulheres) e o crescente impacto da globalização, através da internet, de outros meios de comunicação e de uma mobilidade internacional cada vez mais facilitada.

5 comentários:


  1. O Carlos Júlio continua a esconder-se por trás do publicado por "A Cinco Tons".
    Depois de ter passado anos a ofender (não foi a criticar, foi mesmo a ofender) os anónimos por não darem o nome, esta é uma atitude muito coerente, não haja dúvida...

    ResponderEliminar
  2. Qual é o teu problema? A Cinco Tons todos nós podemos publicar. Este fui eu e depois? Tu é que continuas com cagufa de dar o nome.

    ResponderEliminar
  3. 6:57

    Não vês que eu não ando por cá? Estão a bater à porta? Vai ver se sou eu.

    ResponderEliminar
  4. Coisas do Carvalho07 novembro, 2013 19:01

    9:43:

    então não é que fui mesmo ver? E adivinha quem era: um palerma vestido de Ministro a dizer que eras tu... que raio de coisa!

    ResponderEliminar
  5. A convidar-te para assessor? Só podia.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.