sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Este sábado: apresentação de livro de José Soeiro sobre a Reforma Agrária no Alentejo


Apresentação do livro “REFORMA AGRÁRIA – A Revolução no Alentejo”
30 de Novembro | sábado | 16h00 | Sociedade Filarmónica Capricho Bejense
O Presidente da Câmara Municipal de Beja e a Editora Página a Página convidam para a Apresentação do livro “REFORMA AGRÁRIA – A Revolução no Alentejo”, que terá lugar no próximo dia 30 de Novembro (sábado), pelas 16 horas, na Sociedade Filarmónica Capricho Bejense, na cidade de Beja (próximo da Praça da República).
A apresentação de “REFORMA AGRÁRIA – A Revolução no Alentejo” será feita pelo Professor Catedrático Fernando Oliveira Batista, Ministro da Agricultura nos 4º e 5º Governos Provisórios (1975), liderados pelo então Primeiro-Ministro General Vasco Gonçalves.

Sobre o autor:
JOSÉ B. M. SOEIRO
Trabalhador agrícola, foi fundador, em Maio de 1974, do Sindicato dos Trabalhadores Agrícolas do Distrito de Beja e seu dirigente até Maio de 1978. 
Militante do PCP foi impulsionador do processo da Reforma Agrária e da luta em sua defesa.
Membro do Comité Central do PCP entre 1979 e 2005, da sua Comissão Política entre Dezembro de 1983 e Dezembro de 2004 e do seu Secretariado entre Maio 1990 e Dezembro de 1992 foi responsável na Comissão Política pela Direcção da Organização Regional da Beira Interior do PCP (distritos de Castelo Branco e Guarda) entre 1984 e 1988 e responsável pela Direcção Regional do Alentejo do PCP entre 1988 e 2005.
Foi membro da Direcção da Organização Regional de Beja do PCP entre 2005 e 2011.
Foi eleito deputado à Assembleia da República pelo círculo eleitoral do distrito de Beja, em 1983, 1995, 2005 e 2009, em representação do PCP.

Índice da obra:
REFORMA AGRÁRIA – A Revolução no Alentejo
ÍNDICE
Capítulo I – A formação dos Sindicatos Agrícolas e as primeiras Convenções Colectivas de Trabalho de âmbito concelhio
Capítulo II – A primeira Convenção Colectiva de Trabalho de âmbito Distrital
Capítulo III – Do trabalhar a terra à terra a quem a trabalha
Capítulo IV – As primeiras ocupações e o Decreto-Lei 660/74, de 25 de Novembro
Capítulo V – A Assembleia Distrital de 26-1-1975 do Sindicato dos Trabalhadores Agrícolas do Distrito de Beja
Capítulo VI – A Declaração de Beja
Capítulo VII – A primeira Conferência dos Trabalhadores Agrícolas do Sul
Capítulo VIII – Das reacções da ALA às razões dos trabalhadores
Capítulo IX – As ocupações à luz da nova legalidade
Capítulo X – Das “Leis da Reforma Agrária” à primeira Unidade Colectiva de Produção Agrícola.
Capítulo XI – Unidades Colectivas de Produção Agrícola – “A Revolução no Alentejo"
Capítulo XII – O Plenário de 6 de Janeiro de 1976
Capítulo XIII – Conferências da Reforma Agrária, a razão da “Revolução no Alentejo”
Capítulo XIV – A contra-reforma agrária, UM CRIME SOCIOECONÓMICO CONTRA O PROGRESSO E O DESENVOLVIMENTO DO ALENTEJO E DO PORTUGAL DE ABRIL
Capítulo XV – BASTA! Não foi para isto que se fez Abril! – É preciso! É urgente! Salvar Portugal! – Sim! Portugal precisa de uma Reforma Agrária!

3 comentários:

  1. Candidato a reitor:

    Prof.Carlos Marques

    Prof.Ana Ludovice

    ResponderEliminar
  2. A ANA,a tal que DESMANTELOU a REPROGRAFIA com a ajuda da AMIGA BALBINA.

    ResponderEliminar
  3. Beja fica um pouco longe, a crise não me permite grandes extravagâncias e esta semana já tive a minha... Palestra "25 novembro" em Lisboa na SPA, tinha, quer dizer tenho muitas dúvidas do papel de muitos dos "Intervenientes" do famoso movimento.
    Pelo mesmo motivo gostaria de estar presente, "Reforma Agrária", passados quase 40 anos é tempo de se escrever história, os factos lineares é pouco.
    Houve erros, abusos e muita luta e trabalho de quem acreditou.
    Mas a grande dúvida que continua no meu espírito é:
    Quem beneficiou?

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.