quarta-feira, 20 de novembro de 2013

A turba dos burgessos

Ontem houve futebol.
O país, depois de duas horas suspenso nos écrans das televisões, festeja os golos de Cristiano Ronaldo.
Portugal apurou-se, dizem, e os sorrisos e as conversas dão tréguas à amaldiçoada crise.
Os portugueses ganham, por frágeis momentos, a ilusão de um Brasil tropical onde apenas alguns poderão ir ver o futebol e onde, outros milhares, sonham com o trabalho e o emprego que o seu país lhes nega.
À hora marcada, no inicio do jogo, cantam – se os hinos. O nacional Português, com alguns dos jogadores de boca cerrada, teve ontem para mim um sabor amargo.
Calaram a voz da Vera.
A Vera Guita é uma jovem professora portuguesa emigrada na Suécia há dois anos.
Entre outros atributos a Vera é cantora e uma das mais belas vozes que tem dado ao Coral de São Domingos, de Montemor-o-Novo, prestigio e o reconhecimento aquém e além-fronteiras.
A Vera foi convidada pela Federação de Futebol Sueca para cantar o Hino Nacional Português.
Já no estádio, pronta para ensaiar com a sua magnífica voz, que decerto iria encantar milhões pelo mundo, um grupo de grunhos dirigentes da federação portuguesa não aceitou a sugestão que era uma gentileza e cortesia da Suécia para com Portugal.
A Vera foi impedida de cantar o seu Hino.
Um grupo de gente que vive do dinheiro dos nossos impostos, impediu uma jovem portuguesa emigrada de fazer aquilo de que mais gosta – cantar.
Cantar dali, daquele palco da vida, para todos os portugueses no mundo.
Ontem esta gentalha de dirigentes do futebol matou mais um sonho desta jovem e prestou um péssimo serviço ao país.
Ontem pensei em toda uma geração de jovens portugueses, nos filhos dos amigos e nos familiares de todos, um pouco espalhados por todo o mundo, que deixaram Portugal para trabalhar.
Há mais de vinte anos a Vera Guita foi minha aluna.
Ontem senti que não podemos calar a voz de ninguém em nome de uma turba de burgessos que vivem na sombra do sonho, do trabalho e do sofrimento dos outros.
Ontem estes “senhores” fizeram-me sentir que Portugal é, ainda, um país adiado.
Continuação de Boa semana

Silvino Barata Alhinho (crónica na rádio diana)

16 comentários:

  1. A Vera, que nem é adepta de futebol, deslocou-se a suas expensas a Estocolmo para cantar o hino a convite da Federação Sueca (vive e trabalha na Suécia, mas não na capital). Os burgessos responsáveis pela saída da Vera e de milhares de outros jovens para o estrangeiro, continuam a mostrar aquilo que são: umas BESTAS

    ResponderEliminar
  2. esses são o que são, não me preocupa.
    agora os tais 10 milhões que se disponibilizam para assistir ao atabalhoado de última hora com tanta euforia de não mais que meia dúzia de minutos, idolatrando os faz tudo à pressa e mal feito.
    em junho não estarei com essa convenção de chuteiras.. por isso não sairei decepcionado com a realidade que já conheço.
    vera, ouço o teu hino de remorsos, não desanimes que talvez tenha sido melhor assim, não contribuindo com a escumalha!

    ResponderEliminar
  3. Continuamos a ser desgovernados por mentecaptos, sem visão e que se preocupam apenas com o seu protagonismo individual! Gente mesquinha e pequena!
    Não me espanta, da área do futebol não espero gente capaz!
    Lurdes

    ResponderEliminar
  4. A DIVIDA na autarquia de Évora pode atingir os 100 MILHÕES de EUROS.

    ResponderEliminar
  5. O negócio RUINOSO com o governo Sócrates na Negociata da água são MILHÕES de prejuízo,é preciso ter TOMATES e levar esta gente à JUSTIÇA.

    ResponderEliminar
  6. A praça de touros CINCO MILHÕES de EUROS.

    ResponderEliminar
  7. O Tony 40 MIL EUROS....foi esturrar dinheiro....a LILI que o diga.

    ResponderEliminar
  8. Évora esteve na reunião da associação Rede de Judiarias,através da participação do vereador Eduardo Luciano,que se realizou no dia 18 /11,tendo sido eleita pela primeira vez para os orgãos sociais.
    Soube-se que o anterior executivo deixou perder um projecto 280.000 mil euros,financiamento integral na recuperação da casa dos saragoças.

    E agora Senhor Frota,tem algum comentário a fazer?

    ResponderEliminar
  9. A gestão PS foi fartar Vilanagem esturraram dinheiro e perderam candidaturas.

    ResponderEliminar
  10. Lembram-se do perfume Évora?

    ResponderEliminar
  11. Lembram-se dos bailes de gala no Palácio dom Manuel?

    ResponderEliminar
  12. Lembram-se da estadia do jeet Set,PAGA pela cãmara?

    ResponderEliminar
  13. @15:47

    É pá, não se metam mais com o tipo que ainda não recuperou do abanão que levou nas últimas eleições. Os amigos ernestinos perderam o financiamento e ele tentou mascarar o sucedido atirando as culpas para os outros. Lançou a atroada e ficou a aguardar que a porcaria se espalhasse. Teve tanto azar que, pouco depois, houve uma reunião da Rede de Judiarias onde a CME foi eleita para os órgão sociais. Ele era a distrital, ou a concelhia, ou o comité central, ou o raio que o parta que, quais talibans, iriam travar possíveis investimentos na judiaria de Évora. É o que se chama sair o tiro pela culatra. Estes avençados não têm um pingo de vergonha.

    ResponderEliminar
  14. Turma de burgessos são os caçadores da multa do SITEE. Ninguém põe ordem naquilo. Ficam à coca que acabem os 35 minutos de estacionamento pago para enfiar o papelinho com os 30 euros da praxe, autêntica tolerância zero.
    O espaço é público e concessionado a uma empresa municipal, não faria mais sentido cobrarem um pagamento voluntário para a tempo que não foi pago antes de se porem a chular ainda mais o cidadão?

    ResponderEliminar
  15. Lamentável o que aconteceu.
    Por acaso, mas mesmo por acaso, ouvia-a falar na TSF umas horas antes a dizer que ia cantar o hino.
    Quando vi que o hino, ao contrário do sueco, era uma normalíssima gravação supus logo que tinha havido "fita"!
    Estou de acordo com o título: GRUNHOS!

    ResponderEliminar
  16. @21:31
    "pagamento voluntário" é o que está em funcionamento. E só são multados os condutores que não paguem voluntária e PREVIAMENTE o estacionamento.

    O que tu queres não é "pré-pagamento voluntário", mas sim pagamento pós-utilização (se os fiscais aparecerem).

    Ora, isso não seria justo para aqules que cumprem o que está estipulado.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.