segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Não há becos sem saída


Foi apresentado, na semana passada, o Orçamento de Estado para 2014. Não acredito que alguém ainda se surpreenda com a receita suicida que este Governo, ano após ano, apresenta aos portugueses.
Mais uma vez, o Governo opta por cortar brutalmente nas funções sociais do Estado para pagar Juros da Dívida. Nada mais… Mais uma vez seremos vítimas da austeridade. Não para diminuir significativamente a Dívida Externa, mas apenas para pagar Juros e outros encargos decorrentes do empréstimo concedido pela Troika.
Desde o primeiro dia, que um conjunto de homens e mulheres de esquerda, alertaram para a evidência de que seria impossível suportar o peso dos juros da dívida, e que qualquer empréstimo que não tivesse por base uma renegociação da dívida e negociação real da taxa de juro, estaria condenado ao desastre. O grande problema é que esse desastre é o desastre de todos os portugueses.
Para se ter uma noção do peso da dívida, o Orçamento de Estado para 2014 prevê uma despesa de 7.239 milhões de euros só em juros da dívida. Quanto às Parcerias Público Privadas, a despesa a pagar aos bancos e concessionários dos setores rodoviário, ferroviário, saúde e segurança totaliza 1.645 milhões de euros. Somando estes valores temos um peso de 8.824 milhões de euros, o que corresponde a mais do que toda a despesa da saúde ou da educação. Inadmissível! Incomportável!
Resultado exemplificativo: um cidadão com um salário de 600 euros, contribuirá mensalmente com 13 euros para pagar dívida, mas apenas com 2 euros para o Ensino Superior e Ação Social.
Para pagar esta agiotagem, o Governo decidiu cortar nas pensões, no Rendimento Social de Inserção, no Abono de Família e no Complemento Solidário para Idosos. Fará, ainda, cortes abusivos nos salários dos trabalhadores da função pública. Este ano quem receber mais de 600 euros sofrerá cortes no seu ordenado. 600 euros… Um salário no limiar da pobreza, mas que o Governo considera um luxo a cortar.
Um Governo que corta 314,5 milhões de euros na educação (mas que, curiosamente, prevê um aumento da despesa para o ensino particular e cooperativo), que corta 250 milhões na saúde, mas que prevê um aumento da despesa no Ministério da Defesa. Um Governo que é apenas uma cobrador de fraque da troika, não passa de um funcionário ao serviço do capital e não dos portugueses. Não merece respeito! Não pode governar! É tempo de dizer chega!
No dia 26 de Outubro, por todo o país, e com especial incidência em Lisboa, haverá uma manifestação do movimento Que Se Lixe a Troika. Só na rua podemos ser ouvidos. Só na rua podemos exigir a demissão deste Governo. Só na rua podemos começar a construir uma alternativa para o nosso país.
Dia 26 de Outubro a tua voz é necessária, não só para protestar, mas também para construir. Só iniciativas cidadãs fortes, só a reflexão partilhada, só a monitorização e a tomada de decisões conjunta, permitem a mudança.
Combatemos o medo, a subserviência, a apatia, pois estes são o alimento deste governo. Na rua, lado a lado, podemos fazer a diferença. Na tua voz está a solução.
Até sábado!

Bruno Martins (crónica Radio Diana)

5 comentários:

  1. "...Que Se Lixe a Troika. Só na rua podemos ser ouvidos..."

    Mas alguém lá fora quer saber pelo que gritas na rua?
    Fechavam-te o país com um fecho éclair. Depois fosses pedir emprestado pra comer à Venezuela e à Síria.
    Havia de ser bonito aqui a malta a revolucionar-se uns contra os outros.

    Acorda Bruno.
    Tens um problema pra resolver embora não tenha sido a extrema esquerda a criá-lo.

    ResponderEliminar
  2. 13:28
    «Fechavam-te o país com um fecho éclair...»

    Era isso que diziam, em 1383, os Condes Andeiros, que queriam Portugal sob o jugo dos Castelhanos...

    Era isso que diziam, em 1640, os Miguéis de Vasconcelos, que queriam manter Portugal sob o jugo dos Filipes...

    E é o que dizem agora os vende-pátrias PS/PSD/CDS que amarraram Portugal a Tratados que empobrecem e arruínam a maioria dos portugueses, enquanto os vende-pátrias vão enriquecendo e vivendo à grande e à francesa…

    O dinheiro que entra só é bom para eles engordarem as suas anafadas contas bancárias. Ao povo, mais não resta que ir empobrecendo para pagar os juros desses empréstimos…

    ResponderEliminar
  3. Robalo vai Privatizar o hospital de Serpa e reduzir Serviços no de Beja,este senhor é do PS.

    ResponderEliminar
  4. @ 14:31

    Deves ter cá estado na outra reencarnação para saber que era isso que diziam.

    Eu como sou novo por cá, pendo mais para brigas de primos cuidando que isto era tudo deles. Assim como penso, que se o Cunhal tivesse tido o poder, neste momento a 2ª língua mais falada por cá era o Russo.

    Mas passemos à frente...continuo a achar que, embora a extrema esquerda tenha parte no cartório - mais não seja pela falta de credibilidade - são talvez de todos os que têm menos culpa...embora alguns presidentes de camara inclusive comunistas, tenham gastado o que era do orçamento, o que era dos bancos e o que era meu.



    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.