segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Inalentejo desmente financiamento a "tertúlia tauromáquica" (*)

(clique na imagem para aumentar)


(*) Notícia aqui

20 comentários:

  1. Mais uma frotada. Desta vez, quero crer, apenas por irresponsabilidade.

    ResponderEliminar
  2. Então mas porque é que o anúncio tem o simbolo do inalentejo? É para dar respeitabilidade ao evento? E a CCRA deixa? Não reage?

    ResponderEliminar
  3. Tb vi a notícia na última página do Diário do Sul. De fato, o Inalentejo parecia estar envolvido, embora não houvesse referência a apoios financeiros. Seja como for, a prudência aconselharia a averiguar antes de fazer a denúncia. Não dou o caso por esclarecido, ainda não foi ouvido por exemplo o organizador do evento. Aguardo a defesa de José Frota. A ser verdade a clarificação da Inalentejo, o A Cinco Tons tb não sai bem, devia ter mais cuidado com o que publica.

    ResponderEliminar
  4. A resposta dos responsáveis pelo INAlentejo não só não satisfaz como é ela própria um lavar de mãos à Pilatos, inaceitável face às responsabilidades que impendem quem é Gestor de programa.
    A utilização do símbolo do INAlentejo, do QREN e da União Europeia.
    1º - Diz a nota que o promotor terá querido salvaguardar uma "eventual" "possibilidade" de apoio.
    Linguajar inaceitável, mas bem conhecido de quem deveria dizer e não diz. Importaria, caso estivéssemos perante um órgão transparente, que fosse dito se foi ou não apresentada candidatura, se a mesma foi aprovada ou se aguarda ainda decisão e qual o sentido e a fundamentação da decisão a tomar ou tomada.
    2º Não pode um cidadão utilizar símbolos do Inalentejo, do QREN, da UE. Compete ao Gestor do InAlentejo garantir que tais símbolos são usados devidamente e actuar contra a sua utilização fraudulenta, incluindo participar criminalmente.
    Se é "usual" mais grave ainda.
    3º Deverá o Gestor do INalentejo dizer o que vai fazer em vez de remeter para quem utilizou aparentemente de forma abusiva o simbolo de programas e entidades públicas.
    Maria Helena Figueiredo

    ResponderEliminar
  5. Temos aqui uma nova Silveirinha........

    ResponderEliminar
  6. São os mesmos que aprovam as silveirinhas,tudo gente INCOMPETENTE.

    ResponderEliminar
  7. Com o devido respeito pela Autoridade Gestora do InAlentejo devo, no entanto, considerar o seguinte:
    A aposição dos logotipos QREN/INALENTEJO/CE,são, como se reconhece, um indicativo da existência de apoio e auxílio financeiro por parte das instâncias comunitárias.É assim que assim que toda a gente o entende. Tais símbolos não são utilizados por quem lhe apeteça ou dê na real gana.Não são como a bandeira do Benfica, o cachecol do Porto ou o emblema do Sporting.
    Não se percebe, por outro lado, qual a razão pela qual a autoridade gestora do INnAlentejo parece querer aligeirar a responsabilidade da entidade promotora quando diz que esta terá pretendido salvaguardar alguma eventual possibilidade de apoio, colocando desde logo os logotipos, quando vem a seguir garantir, peremptoriamente,que o evento não é elegível para financiamento, nem foi aprovado pelo InAlentejo,nem o poderia der. Só lhe faltou adiantar se houve ou não, candidatura.
    Face, no entanto, às explicações avançadas, não era legítima a criação de expectativas,ou o alimentar de esperanças nesse sentido, por parte da entidade promotora. E das duas, uma: ou estamos em presença de uma apropriação indevida de símbolos ou perante um caso de publicidade enganosa. E isso já não compete a mim avaliar.
    Se a notícia é falsa é porque a fonte estava inquinada.O certo é que ela veio ajudar a clarificar a situação e a permitir que toda a gente ficasse esclarecida sobre a mesma.
    Uma nota final: o InAlentejo devia proibir em toda e qualquer circunstância, a aposição dos seus símbolos em projectos cuja candidatura não tenha sido ainda aceite e devidamente avalizada. A UNESCO por exemplo não admite a utilização do seu símbolo a quem meramente apresentou uma candidatura a Património Mundial.

    ResponderEliminar
  8. Sejamos claros
    O Frota levanta a lebre. Vários comentaristas dão tiros de pólvora seca. A lebre sente-se atingida e tenta raspar-se perante os bagos de chumbo disperso. A MEF dispara para o sitio certo e o Frota vê onde o tiro foi parar para saber se pode recolher o trofeu. Só que a lebre, como alias tudo o que se passa em Portugal, está escondida e apenas tem o rabo de fora. Como o rotativismo está feito para ocultar lebres e lebrões nada se passa. Só quando esta escumalha for expulsa por um governo de esquerda honesto é que lebres como a Silveirinha, academia de música, obras ditas de requalificação e outros projetos a nível local serão
    tornados públicos e julgados até lá teremos que estar atentos e denunciar para no futuro terem a devida resposta.
    Nota: O mesmo se passa com os lebrões a nível nacional.
    Boa caça

    ResponderEliminar
  9. Quem é a Maria Helena Figueiredo?

    ResponderEliminar
  10. Não é exatamente assim. O Frota vê um anúncio e estranha. Em vez de acusar o organizador, por abuso de símbolos oficiais, acusa a Inalentejo, por financiamento ilícito ou inadequado. Se tivesse aquele tipo de prudência que se exige a quem acusa na praça pública (já nem falo da competência profissional que se exige a um jornalista, porque acho que não atuou nessa qualidade) tinha investigado, pelo menos tinha contatado um e outro. Não fez nada disso e, aparentemente, acusou o lado errado.
    Parece uma criança irresponsável apanhada a beber água imprópria: "Se a notícia é falsa é porque a fonte estava inquinada". Pois é, pois é, por isso é que se averigua e por isso é que não se devem tirar conclusões apressadas, ainda para mais com bravatas à mistura (como quando ironiza com a inexistente utilização de fundos "a bem do desenvolvimento regional"). Fez entrada de leão, agora faz saída de sendeiro. Quem lê o post anterior e quem o lê agora ("Com o devido respeito pela Autoridade Gestora do InAlentejo ..."), parece um cordeirinho.

    ResponderEliminar
  11. Sempre que vejo este homem está deitado de borco a beber de fontes inquinadas. O que não o impede de fazer as mais graves acusações. Depois já se sabe, é o cortejo habitual de desculpas e de auto-justificações (para evitar um processo?). A culpa nunca é dele. Ele é o herói, o moralizador. Na melhor das hipóteses é um irresponsável e um incompetente. E oxalá que fosse só isso.

    ResponderEliminar
  12. Ao anónimo das 18.57
    Como é que o Frota ia acusar o organizador, da utilização abusiva dos símbolos oficiais, se ele quando escreveu não sabia, nem desconfiava, tal como eu, de que o organizador estava a propalar uma falsidade do tamanho dum comboio?
    Ex-seminarista.

    ResponderEliminar
  13. O Comunicado não me desmente, desmente sim a informação. Atente-se no teor do nesmo: « DEVERÁ SER QUESTIONADO O PROMOTOR DA INICIATIVA DOS MOTIVOS QUE O LEVARAM A PUBLICITAR O FINANCIAMENTO MEDIANTE A APOSIÇÃO A APOSIÇÃO DOS LOGOTIPOS QREN/INALENTEJO/CE SEM QUE SE TENHA VERIFICADO A APROVAÇÃO DE QUALQUER CANDIDATURA».
    Há quem não saiba ler nem interpretar um texto,

    ResponderEliminar
  14. 18.55

    Quem é o anónimo? Algum pastel de nata? Ou um folhadeco com um naco de atum? Seja quem for é conhecido é sempre conhecido e reconhecido em cada sítio a que vai. Viva o anónimo! Pim! Viva o anónimo! Pum!

    ResponderEliminar
  15. Aqui toda a discussão se reduz a dar ao adversário o rótulo de cretino ou a figura de um canalha.

    ResponderEliminar
  16. Eu prefiro os canalhas. São sempre sinceros, mesmo quando mentem.

    ResponderEliminar
  17. Nãããããooooo, o comunicado do INALENTEJO não desmente nada o Frota.

    Este diz, no post (na "notícia", como lhe chama o A Cinco Tons):

    «O espanto é que no final se dá a conhecer (e aqui já fia mais fino, como se por cá se diz) que a iniciativa recebe o apoio financeiro do InAlentejo, relativo ao período 2007.2013, incluído no QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional) e no Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.Uma autêntica e inaceitável benesse concedida à família Patinhas e aos interesses forcadísticos e com realização em Espanha.»

    O comunicado diz:

    «Face a recentes notícias divulgadas na comunicação social de um determinado evento (Tertúlia Tauromáquica em Badajoz) receber apoio financeiro do INALENTEJO, a Autoridade de Gestão do INALENTEJO informa que tal notícia não corresponde à verdade; a candidatura em causa não foi aprovada, nem o poderia ser face à natureza da actividade e lamenta o facto de se colocarem a circular notícias deste tipo, sem a necessária confirmação prévia da sua veracidade.»

    E mais abaixo:

    «Repetimos, a notícia é falsa, o evento não é elegível para financiamento, não foi aprovado pelo INALENTEJO, nem o poderia ser.»

    Não há dúvida nenhuma. O Frota é que é inteligente. Nós é que somos todos burros. Não sabemos ler nem interpretar textos.


    Francamente, se não tem nada a desmentir no comunicado, Frota devia ficar calado. Agora quer convencer-nos (ou doentiamente convencer-se?) que um comunicado que desmente directamente o que escrevera não é a ele que desmente. Cada vez que abre a boca enterra-se mais. Ou melhor, cada vez que abre a boca afoga-se mais nas fontes inquinadas em que gosta de chafurdar.

    ResponderEliminar
  18. "Acho que estes senhores têm de ser julgados,depois de saírem do poder"

    Mário Soares


    Portugal está cheio destes senhores,que nunca chegam a serem julgados.

    ResponderEliminar
  19. A começar pelo Mário Soares

    ResponderEliminar
  20. José Frota em 14 Outubro, 2013 17:57

    Disse: «Uma nota final: o InAlentejo devia proibir em toda e qualquer circunstância, a aposição dos seus símbolos em projectos cuja candidatura não tenha sido ainda aceite e devidamente avalizada. A UNESCO por exemplo não admite a utilização do seu símbolo a quem meramente apresentou uma candidatura a Património Mundial.»

    A pergunta é: como se pode proibir sem equacionar apenas uma sanção posterior (que imagino que nem esteja prevista na legislação específica mas apenas decorrente da lei geral, a julgar pelos tribunais comuns, daqui por 10 anos, após queixa apresentada pela entidade gestora do Inalentejo).

    E, mesmo que assim seja, como resolver o dilema da clarificação da fonte, que deveria ter sido acautelada, porque o apoio não foi realmente concedido, com o abuso do candidato não apoiado?

    Não vejo como pode o Frota usar esta argumentação para se desculpar.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.