segunda-feira, 21 de outubro de 2013

IMI: é necessário pôr cobro a estas aves de rapina


Em Abril passado paguei, como o Estado me exigia, 168,31 euros de IMI, relativos a uma casa de família que o meu pai me deixou e a pouco mais. Paguei o que me era exigido e não protestei, apesar do meu IMI relativo a 2012 ter sido cerca de 50 por cento mais elevado do que no ano passado. Agora, há dois dias, abro a caixa de correio - e que vejo lá? Nova correspondência da Autoridade Tributária e Aduaneira a exigir-me mais 96 euros do que aquilo que paguei em Abril. Nem uma palavra sobre o porquê deste aumento relativo ao que me fora exigido há seis meses. Diz o papel das Finanças que "Fica V.Exa notificado para até à data indicada efectuar o pagamento de Euros 90,06, proveniente de liquidação de Imposto Municipal sobre imóveis referente aos anos indicatos, conforme nota demonstrativa". O ano em questão é 2012 e a nota demonstrativa não demonstra nada.
Já antes tinha havido a saga das multas sobre o Imposto de circulação, que foi uma vergonha.
Mas esta é vergonha a acrescentar. O Estado comporta-se como mero gatuno de estrada. É como se tivessemos ido almoçar a um restaurante e a conta que nos tivesse sido apresentada fosse na ordem de X. Pagávamos e saíamos. Meses depois (seis meses depois!) recebíamos uma intimação para pagarmos a conta acrescida em mais 50 por cento no prazo de um mês, senão teríamos problemas.
O Estado nunca foi "pessoa de bem". Mas o Estado em Portugal está a ultrapassar todas as marcas e a ser apenas um mero vigarista de banha da cobra que a pretexto de tudo nos "vai ao bolso".
Começa a ser impossível corresponder à saciedade e à voragem destes xerifes de Nottingham, sempre sedentos de novos impostos e de dinheiro fresco, sobretudo quando não se vislumbra qualquer Robin Hood ou qualquer Zé do Telhado pelas redondezas. Mas é preciso pôr cobro a estas aves de rapina (mesmo sabendo que o IMI é um imposto municipal, que vai directamente para as Câmaras, a sua "actualização" depende do Governo, que assim tenta "amortecer" a quebra das transferências do Estado para as autarquias. E o "amortecedor" somos nós. PQP).

Luís Mendes (por email)

10 comentários:

  1. Estamos a ser Governados por um grupo de DELINQUENTES.

    ResponderEliminar
  2. Os serviços de Higiene e Limpeza precisam de uma GRANDE volta,não funcionam,a cidade está SUJA ,pela desorganização dos serviços.

    ResponderEliminar
  3. O coordenador dos serviços tem que ser uma pessoa competente e saber dialogar com os funcionários.Sem isso nada feito,queremos uma cidade Limpa.

    ResponderEliminar
  4. Os novos vereadores deram hoje uma volta pelos serviços da Câmara, sem terem nada a comunicar. Foi só apresentação. Quando é que isto muda é o que se perguntam os trabalhadores. Até lá são férias...

    ResponderEliminar
  5. Claro que o presidente também foi, esquecia-me desse.

    ResponderEliminar
  6. Em relação ao POST, de Luís Mendes só lhe posso dizer que tem toda a razão e, acrescentar, Évora, por imposição do empréstimo PAEL, está obrigada a cobrar taxas e impostos municipais (IMI, IMT e DERRAMA) no valor MÁXIMO.
    E, como a actualização do Valor Patrimonial do Prédios se fará em 3 anos, para o próximo ano será ainda pior...

    A não ser que, entretanto, aconteça uma REVOLUÇÃO e que os vencedores não sejam os mesmos andamos a gramar há mais de 3 décadas.

    ResponderEliminar
  7. É tempo de AGIR na cãmara....REORGANIZAR os serviços.

    ResponderEliminar
  8. A LIMPEZA precisa de levar uma grande LIMPEZA.

    ResponderEliminar
  9. Dia 26 TODOS a Lisboa,vamos correr com a LADROAGEM.

    ResponderEliminar
  10. Robalo vai PRIVATIZAR o hospital de Serpa e reduzir serviços no de Beja,este Senhor é do PS.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.