domingo, 27 de outubro de 2013

Ficção iraniana "More Than Two Hours" foi o filme mais premiado no FIKE 2013


A curta-metragem More Than Two Hours, do realizador iraniano Ali Asgari foi o filme mais premiado no FIKE 2013, ao acumular o prémio de Melhor Ficção e o prémio de Melhor Actuação, atribuído ex-aequo a Tahar Mohammadi e Shahrzadi Ghasemi.
O Prémio FIKE para a Melhor Ficção foi atribuído ao filme More than Two Hours, do realizador iraniano Ali Asgari. O júri entendeu que o filme, que “aborda um tema muito importante de uma forma brilhante”, constitui “uma ficção directa com significativa actualidade, sem artifícios, bem filmada e com uma visão clara da realidade”.
Ainda na categoria Ficção, o Júri FIKE entendeu atribuir uma Menção especial ao filme australiano First Contact, de Matt Richards, assim distinguindo “uma realização e uma cinematografia brilhantes, ao serviço de uma história bem contada”.
O Prémio FIKE para a Melhor Animação foi para a curta Luminaris, do realizador argentino Juan Pablo Zaramella, pelo “uso engenhoso de técnicas e da narrativa numa curta-metragem bem conseguida”.
Na categoria Animação, foi atribuída uma Menção Especial ao filme francês Le livre des morts, de Alain Escalle, “uma forte chamada de atenção para um período histórico, resgatando a memória de tempos recentes com uma fantástica utilização de design e efeitos visuais”.
O prémio Estação Imagem / Mora para o Melhor Documentário distinguiu o filme moçambicano Xilunguine – Terra Prometida, do realizador Inadelso Cossa. Para o júri, trata-se de um “filme onde o dispositivo narrativo, servido por imagens documentais históricas, por entrevistas aos protagonistas tsonga e por um contido enquadramento destes nos seus contextos actuais, parece solicitar uma clara articulação entre o fazer história e o fazer cinema”.
O prémio de Melhor Filme Português foi para O Cheiro das Velas, de Adriana Martins da Silva, e o prémio de Melhor Filme Europeu coube à ficção suíça Objection VI, de Rolando Colla.
O prémio de Melhor Argumento foi atribuído a Duarte Dias, pelo seu trabalho na ficção brasileira Desencontro Marcado.
O prémio para a Melhor Fotografia distinguiu o trabalho de Matt Wood, director de fotografia da ficção australiana First Contact.
O prémio de Melhor Actor foi atribuído ex-aequo a Tahar Mohammadi e Shahrzadi Ghasemi, pelo desempenho no filme iraniano More Than Two Hours.
O Prémio D. Quixote, atribuído pelo Júri da Federação Internacional de Cineclubes, foi para a ficção suíça Room 606, de Peter Volkart, um filme “muito inventivo, com efeitos visuais que constatemente intrigam e surpreendem” e que, na opinião do júri, “vale a pena rever, porque há sempre algo de novo para ver”.
O Júri FICC decidiu ainda atribuir uma Menção Especial à animação Who Lasts Longer, do espanhol Gregorio Muro, porque o filme, “maravilhosamente pintado”, constitui claramente um trabalho de amor”, em que “a história, as personagens e a realidade do psiquismo humano são da mais alta qualidade”.
As inscrições para o FIKE 2014 - 12º Festival INternacional de Curtas Metragens serão abertas durante o mês de Março de 2014.

A Direcção do FIKE

1 comentário:

  1. Assisti às sessões do FIKE no fundo de salas meias cheias (ou meio vazias). Que raio de cidade é esta que ignora a qualidade do trabalho e do esforço desenvolvido para apresentar uma selecção única e envolvente?

    A organização - apesar de algumas falhas que a falta do tempo pode explicar mas não justifica - está de parabéns pelo risco e originalidade da programação e por terem conseguido realizar um excelente festival nestas condições.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.