quarta-feira, 16 de outubro de 2013

A plenitude do solstício

devagar
deu lugar
à mudança lenta
do recolhido outono
impercetíveis alongam-se as sombras
desdobrando o manto
das noites que se atardam
sobre os campos
vigilantes as árvores
prescindem da folhagem
fiéis à próxima aurora
que vai chegar
trazendo em suas mãos 
a luz nova prestes a madrugar
desfazem-se as estrelas
em poalha de transparência azul
aleluias cantam as ribeiras
rumando a sul

Margarida Morgado
Évora, 14/10/2013

1 comentário:

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.