sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Não ao absentismo


Dia 29 vamos todos exercer o nosso direito, a nossa obrigação cívica, vamos todos VOTAR.
Diga não ao absentismo, pois essa é a apologia dos partidos do arco do poder, já que contam com os seus correligionários para assegurar o poder.
Vamos votar em liberdade e em consciência.
Mas será que devemos votar naqueles que nos dois últimos anos:
            Elevaram o índice de desemprego para níveis superiores a 16%;
            Praticamente duplicaram a dívida pública, está nos 132% da PIB;
            Conduziram a economia a uma recessão acumulada de 7%;
            Fomentaram a emigração para níveis semelhantes aos anos sessenta;
            Aumentaram todos os impostos;
            Baixaram os salários aos trabalhadores;       
            Roubaram aos reformados;
Sim, o voto é livre e secreto, mas vamos VOTAR em qualquer partido desde que não seja naqueles que nos tem desgovernado.
Vamos dar uma lição aos pseudo-governantes, vamos mostra-lhe não um cartão vermelho, mas antes um cartão NEGRO de revolta e indignação.
Dia 29 vamos todos dirigirmos às urnas utilizar os respetivos boletins de voto para contestar esta politica que leva à destruição do nosso país.
Lembrem-se há várias formas de protestar:
1 - Votar em branco, não aconselhável, pois ainda poderia acontecer que alguém, à socapa, colocar a respetiva cruzinha no seu partido;
2 – Inutilizar o boletim de voto, com uma grande cruz, de alto a baixo, VOTO NULO.
3 – Votar em qualquer outro partido ou coligação, que nada tenha a ver com os atuais governantes.
Já imaginem as caras destes desgovernantes se no dia 29 mais de 70% dos votos expressos não caírem sobre a sua alçada?
VAMOS, TODOS ÀS URNAS NO DIA VINTE E NOVE.
Chega de Abuso


Tonho Dumonte (via email)

6 comentários:

  1. voto claramente PS para a Câmara.

    Voto Bloco para a assembelia e para a freguesia da Malagueira e H das Figueiras

    ResponderEliminar

  2. Mais depressa cortava um braço do que iria votar nestes energúmenos que se candidatam a Évora:

    desde o engenheiro choninhas e meio adormecido, 8 anos vice e que agora lava as mãos como se nada fosse com ele;
    desde o dinossauro reciclado da cidade vizinha;
    desde a jurista reformada que não sabe o que diz e cuja ideia principal foi impedir outro de se candidatar;
    até ao médico que, sendo um bom garfo e um bom copo, como político...é um bom médico...
    venha o Pinto da Costa e escolha.

    Nenhum destes merece que eu me incomode a deslocar-me à escola onde antigamente votava. Nenhum!

    Quero que vão todos para o raio que os parta!

    Então eu tenho de trabalhar para, com os meus impostos, sustentar esta cambada de parasitas e, ainda por cima, tenho de ir votar neles? Votem uns nos outros!
    O ar anda empestado desta escumalha. Por mim, era atirá-los a todos ao mar. Pobres peixes...

    jmc

    ResponderEliminar
  3. Deves trabalhar deves. E pagar impostos, imagino. Vai mas é dar banho ao cão, chulo.

    cmj

    ResponderEliminar
  4. JMC
    Isso é o que os partidos do poder querem, quantos menos votos melhor. Não votar é dar um voto em branco no establishment instituído. Quer protestar, pois muito bem, sai de sua casa, vai lá e inutiliza o boletim de voto. Isso sim é uma mostra de indignação...O resto é comodismo...
    Tonho Dumonte

    ResponderEliminar
  5. Tonho

    Vota em quem quiseres. Eu não voto em quem não quero. E do naipe em cima da mesa não pretendo escolher carta nenhuma: é tudo semente do mesmo saco. E vou gostar de ver a caras destes desgovernantes (de todos os quadrantes) quando a abstenção atingir os 60, 70 por cento e só os candidatos e seus familiares mais próximos forem votar. Esse, Tonho, vai ser um grande dia. Nesse dia havemos de fazer uma festa lá no teu monte. Ou no meu Vale. Vale?

    Maria do Vale

    ResponderEliminar
  6. Maria do Vale

    Há uma grande diferença entre absentismo e voto NULO. A absentista é aquele que se está marimbando para a politica, para ele tanto faz estar lá o partido A, como o B ou mesmo o C. É o deixar andar, o não te rales. Votar NULO, é um cidadão ativo e democrata, só que para ele nenhum dos partidos o representam, logo vota NULO, pois assim os partidos ficam a saber que há tantos por cento que não gostam deles. O absentista segue os princípios da Salazarismo, segundo o qual as pessoas não tinham que se preocupar com a politica nem necessitam de pensar. pois para isso estavam lá eles. Já o cidadão ativo, aquele que vota, nem que seja anulando o seu voto, é um democrata que está descontente com a situação atual...
    Tonho

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.