quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Margarida Morgado (também) Fazedora de Pontes, SA (para usar a feliz expressão de Eduardo Luciano, anterior cabeça de lista da CDU à Câmara de Évora)

Na arruada do BE com Ana Cardoso Pires

Na sede da CDU

A Margarida Morgado é uma grande senhora da cidade de Évora de quem eu tenho a sorte de receber a amizade há muitos anos. Poeta e mulher de cultura é uma das raras sobreviventes de uma cidade dura, austera, paternalista e profundamente provinciana como era a cidade de Évora de há cinco, seis décadas. (Hoje será diferente?)
Correu mundos, instruiu-se, conheceu outros espaços e foi seduzida por olhares diversos (do que seduziu nunca fala!) e voltou para Évora. Habita paredes meias com a Praça do Giraldo na boniteza dos seus 80 anos. Tem amigos de todas as origens e de uma diversidade tão vasta que não vale a pena enumerar. Nas suas amizades são muitas as religiões e os credos políticos, muitas as tendências estéticas e as escolas de pensamento. No entanto, é firme na ética e na defesa dos valores que comunmente, oriundos da Revolução Francesa,  se consideram de esquerda: a liberdade, a igualdade e a fraternidade. Valores laicos e republicanos.
Hoje a Margarida é também (tal como a Dores Correia, mais nova) uma "fazedora de pontes", uma forjadora de amizades e afinidades que, talvez, - digo eu - pudesse ser o elo que tem faltado para a construção, em Portugal, de um espaço plural edificado em torno e pelas militâncias e bases sociais de apoio do PCP, do BE e quem sabe?, de algum PS.
Nestas eleições a Margarida tem desempenhado esse espaço de abrangência. É presidente da Comissão de Honra da candidatura do Bloco de Esquerda à Câmara de Évora e tem-se empenhado exemplarmente nesse papel: discursou no dia de apresentação dos candidatos do BE a Évora e tem participado em várias iniciativas da candidatura, nomeadamente numa arruada no Centro Histórico ainda há dois dias.
Mas ficar por aqui seria limitado para quem conhece o voo das abetardas em campo aberto e como a Margarida vive paredes meias com a sede de candidatura da CDU, onde tem muitos e muitos amigos e companheiros de jornada, são poucos os dias em que não aparece por ali para um chá ou para dois dedos de conversa. Estabelece pontes e cria amizades para além das intolerâncias, azedumes, ortodoxias e outros totalitarismos que diminuem quem deles se serve. Ainda ontem, a Margarida, depois de uma arruada bem participada do BE pelas ruas do Centro Histórico disse poemas e esteve em "casa" na sede da candidatura da CDU.
Amiga dos seus amigos e dos seus valores, a Margarida não trai. Pelo contrário, inclui. E mostra que nesta coisa das autárquicas o que deveriam estar em jogo eram as "coisas locais" e não a avidez partidária que tudo tenha "abocanhar". No dia em que, de facto, estiverem em causa as coisas do "governo local" a Margarida terá um lugar de Honra seja onde for. Talvez numa lista que faça efectivamente a ponte entre todas as descrenças de que vive actualmente a política. Ainda mais "a política local".

26 comentários:

  1. Bem escrito. Gostei. Um abraço para vocês.

    ResponderEliminar
  2. «No dia em que, de facto, estiverem em causa as coisas do "governo local"...»

    Deve andar em muito más companhias para escrever esta frase.
    Pela parte que me toca, posso garantir que ando por Évora há cerca de 3 décadas, tenho participado em muitas e variadas reuniões e são muito raras as vezes em que, em questões de autárquicas, não estiveram em causa as coisas do "governo local".

    ResponderEliminar
  3. Mais um debate da campanha da CDU.

    Desta vez sobre a Saúde.

    5ª feira, 19 de Setembro, às 21h, na sede de campanha da CDU, na Praça do Giraldo.

    Estão todos convidados a debater a saúde no concelho.

    Mais informações aqui:

    http://cduevora.wordpress.com/2013/09/18/debate-sobre-a-saude/

    ResponderEliminar
  4. Na jam session da passada 3ª feira à noite, na sede de campanha na Praça do Giraldo, a CDU desafiou

    artistas,
    músicos,
    cantores,
    declamadores,
    públicos atentos,
    distraídos,
    exigentes,
    tolerantes, simpáticos e afins,

    a participarem.

    Margarida Morgado, acompanhada por Nuno do Ó, compareceu.

    Podem ouvi-los no link abaixo, a partir dos 6:50.

    https://www.facebook.com/photo.php?v=723837640975484&set=vb.147250272007637&type=2&theater

    ResponderEliminar
  5. Que chachada de conversa.

    ResponderEliminar
  6. BE Pontes?
    Só com PCP e mal. Cultura subsidiada e pouco mais.

    Em mat

    ResponderEliminar
  7. Um comunista é sempre um comunista, esteja ela no PCP ou no BE.
    Estão desavindos? Desde que o Stalin lixou o Trotsky...
    De resto é quase tudo a mesma coisa diferindo aqui e ali. o BE é um PCP menos conflituoso e capaz de chamar alguém do PS para falar. Mas apenas para falar.

    ResponderEliminar
  8. Após tão belo texto (post), seria estranho que, intrusos comentários anónimos não aparecessem.
    Em termos políticos não acrescentam nada, mas chocam quando, o que está em causa é a integridade de uma cidadã impoluta, que deveria ser exemplo para todos nós.

    António Gomes

    ResponderEliminar
  9. Justificar a incoerência dá ca uma trabalhera ó Eduardinho!!!!

    ResponderEliminar
  10. Quem é o Eduardinho?

    ResponderEliminar
  11. A Sra. é mandatária do Bloco, aparece numa iniciativa da CDU e vai votar PS a bem do futuro e do desenvolvimento.

    Acho bem!

    ResponderEliminar
  12. «a bem do futuro e do desenvolvimento». Com o PS?

    Com o PS será mais «a bem da nação» do que a «bem do futuro». Basta ver o estado de ruína e falência para onde conduziram a câmara. Basta olhar para a estagnação em que se econtra o concelho. Basta reparar nos 1800 postos de trabalho que Évora perdeu nos últimos 10 anos.

    ResponderEliminar
  13. A Margarida Morgado é maior e vacinada. É dona do seu próprio voto, ela lá saberá como vota.

    Agora dizer-se que vai votar PS é uma provocação reles, barata e ofensiva para a Margarida.

    Quanto a isso, até punha as mãos no fogo.

    Mais uma manobra de diversão cobarde a coberto do anonimato.

    ResponderEliminar
  14. A mensagem anterior referia-se, evidentemente, à do anónimo das 10:36.

    ResponderEliminar
  15. Vou arriscar um palpite sobre o voto da senhora Margarida Morgado:
    Vota BE para a Assembleia e Junta de Freguesia;
    Vota CDU para a Câmara Municipal.

    Pelo menos é o que eu conto fazer.

    ResponderEliminar

  16. Lamento (sinceramente) não partilhar tal sentimento positivo pela senhora Margarida Morgado.
    Fui forçado a conviver com ela por várias vezes (os motivos não interessam aqui) e fiquei com muito má impressão, a qual se foi confirmando e agravando à medida que o conhecimento dela se foi aprofundando.

    Não partilho nada desta perspectiva mas compreendo que os amigos a vejam deste modo positivo. É para isso que servem os amigos. Entre os quais jamais me incluirei. Lamento. Mas reservo-me o direito de ter opinião própria.

    ResponderEliminar
  17. Eu até percebo que venham agora com bonitas palavras justificar o comportamento desta senhora, mas será que ela não tem já idade para perceber aquilo que anda a fazer.
    não me parece que seja coerente não escolhas que está a fazer.

    ResponderEliminar
  18. Haja compreensão e tolerância.
    E no dia 29, comemoremos em conjunto a derrota deste PS dos Capoulas, dos Tronchos e seus muchachos amestrados.

    ResponderEliminar
  19. Ó comentarista das 2913 15:12, porque não dás o nome e porque não falas concretamente do que se passou entre ti e a Margarida...
    Ou é mais uma de malidência e inveja...bla,bla,bla...

    António Gomes

    ResponderEliminar

  20. Ó António Gomes:

    se te disser que me chamo Joaquim Manuel Santos Lopes e tenho o Bilhete de Identidade nº 1467321 isso diz-te alguma coisa? Não, pois não? Então tanto te faz que diga o nome como que o não diga.
    E quanto ao que se passou, ficou dito o que quis dizer. A tua curiosidade de cusco é problema teu, não é meu.
    Mantenho o meu direito a ter opinião própria e a dizer aquilo que quero dizer e não aquilo que tu queres que eu diga.
    A viola está bem guardadinha no saco?

    ResponderEliminar

  21. Quem é o anónimo chamado António Gomes?

    ResponderEliminar
  22. Mas o Carlos Júlio esteve nesta sessão da música na sede da CDU ? Mas que estranho! Pensei que ele só acompanhava o BE. Se esteve, tive pena de não o ter conhecido pessoalmente. Se não esteve, fala como se tivesse estado. Ele há coisas...

    ResponderEliminar
  23. Pois, não estive. Ele há coisas e coisas. Também o Dante nunca esteve no Inferno, nem no Purgatório e escreveu a Divina Comédia... E o Américo Torres pertence a que filme de ficção?

    ResponderEliminar
  24. Mas ao longo de décadas e décadas, essa Sra. Morgado, filha da burguesia comercial eborense, arrisco o quê? Foi da oposição à ditadura quando, onde e como?
    Onde é que lhe arrajaram um curriculo de esquerda, a partir do 25 de Abril, quando conseguiu ser funcionária da Comissão da Condição Feminina, anexa ao Concelho de Ministros, e andava em viagem "de trabalho" ao estrangeiro para "explicar" a Constituição e os direitos e etc., e tal, às mulheres dos emigrandes, na Alenanha, na França, etc; quando ía ao Instituto de Apoio à Emigração solicitar subsídios e custos de viagens à sua conhecida Dra. Mafalda, esposa de Manuel Alegre, dirigente da instituição? Anda a dizerqe a Sra. é de esquerda e idosa, também a minha avózinhas... se fosse viva! Ou agora para as hostes da pequena-burguesia, como na tropa, a idade também é um posto?!
    Estes esquerdistas de Évora são uns cromoes! e uns parolos! Papam tudo!

    ResponderEliminar

  25. 17:31:

    acertou na mouche; é exactamente isso que eu considero a senhora: uma fraude; uma fraude e uma oportunista.
    Escreve uns poemas nos guardanapos de papel dos cafés? Metade da população portuguesa faz isso; e muitos com bastante qualidade.
    Que estatuto tão especial de intelectual em ceroulas é que isso lhe dá?
    É por ser velha? Conheço dezenas e dezenas de velhos com muito mais dignidade e coerência que esta.
    E os palermas andam a sustentá-la. Sinceramente...

    Joaquim Manuel Santos Lopes

    ResponderEliminar
  26. Oh Carlos Julio não tenha medo que eu não sou uma personagem de ficção nem tão pouco procuro aparecer-lhe em sonhos. Eu sou bem real, tão real como tantos outros que por aqui publicam e um dia destes ainda nos vamos encontrar e terei muito prazer em me apresentar. Até lá vá sonhando ...

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.