quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Independentes de "Por Beja com Todos" apresentam 10 medidas para os primeiros 100 dias de mandato


Uma avaliação externa às contas da Câmara e das empresas municipais de Beja é uma das dez medidas que o candidato do movimento independente à presidência da autarquia prometeu hoje cumprir nos primeiros 100 dias de mandato.
"Seria importante haver uma avaliação externa às contas da câmara e das empresas municipais de Beja logo no início do mandato", feita por uma empresa e acompanhada por uma equipa representante dos eleitos no executivo, disse hoje à agência Lusa o candidato do movimento "Por Beja com todos", José Lopes Guerreiro.
O candidato, antigo militante e autarca comunista, falava à margem de uma conferência de imprensa, em Beja, que serviu para o movimento apresentar o seu programa eleitoral para a corrida à liderança da Câmara de Beja, no âmbito das autárquicas do próximo dia 29.
"Uma avaliação externa às contas da câmara e das empresas municipais devia ser uma prática corrente no início de cada mandato para que se soubesse com que base financeira um novo executivo inicia o mandato", defendeu, frisando que tal "evitaria" o que aconteceu na Câmara de Beja no atual mandato.
As duas forças políticas representadas no executivo da Câmara de Beja (o PS, que conquistou a autarquia em 2009 e lidera o executivo, e a CDU, que perdeu o município e está na oposição) "passaram o atual mandato a digladiaram-se sobre as contas e as dívidas da autarquia, apresentando números diferentes, e ainda hoje ninguém sabe, com garantia, quais são, de facto, os valores em causa", disse.
Criar uma rede de refeitórios sociais e apoios domiciliários, elaborar um programa de manutenção, reparação e melhoria da rede viária e reforçar o apoio ao movimento associativo e às freguesias do concelho de Beja são outras das medidas que José Lopes Guerreiro prometeu cumprir nos primeiros 100 dias de mandato.
(LUSA)

2 comentários:

  1. «avaliação externa às contas da Câmara e das empresas municipais»

    Aqui está uma medida que também devia ser aplicada em Évora.

    ResponderEliminar
  2. É uma proposta que todas as oposições estão a fazer em quase todos os concelhos do país.
    Isto diz bem do nível de confiança que todos têm uns nos outros, e do nível de transparência com que são geridas as autarquias.
    Pede-se aos futuros autarcas que desempenhem melhor o seu papel de gestores da coisa pública (o que neste caso nem é nada dificil)

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.