quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Grupo de música alentejana ganha Prémio José Afonso 2013

O grupo de música alentejana "Quatro ao Sul", em que a viola campaniça é a grande mestra, acaba de ganhar o prémio José Afonso 2013, atribuído a um álbum de música portuguesa, com o disco de estreia Demudado em tudo, anunciou esta quarta-feira a câmara municipal da Amadora. Parabéns, Pedro Mestre

11 comentários:

  1. O concelho está parado,os cidadãos desmotivados.........a campanha tem sido morna........mas parece-me haver alguma determinação e vontade de agir por parte,de Paulo Jaleco,Pinto de Sá e Maria Helena.........Melgão aparenta andar a fazer o sacrificio,ter sido "empurrado",os Desafios que Èvora tem pela frente são Grandes,parece-me que o eng.Melgão nem para vereador está em condições.

    ResponderEliminar
  2. Alguns próximos de Melgão afirmam estar DESMOTIVADO e não ter apoio dos Barões.

    ResponderEliminar
  3. Com todo o respeito pelo o Eng.Melgão,mas é visivel para qualquer cidadão que o senhor não tem capacidades para gerir a autarquia seria o descalabro e renunciava ao fim de pouco tempo.

    ResponderEliminar
  4. A "sinistra" cada vez mais sinistra.

    ResponderEliminar
  5. há, há os comunas à rasca.

    Dia 29 levam mais.

    ResponderEliminar
  6. Vamos lá para casa jantar, que HOJE é dia de ir até à Festa da Praça do Giraldo.

    ResponderEliminar
  7. Dirigentes do PS criticam José Ernesto,a Hipocrisia de certos homens,ernesto foi o candidato que retirou o poder á CDU,agora alguns dirigentes OITO ANOS,vale tudo para manter o PODER até TRAIR "companheiros" de partido.

    ResponderEliminar
  8. Dirigentes do PS criticam José Ernesto pelo seu trabalho,foi o homem que retirou o poder á CDU,dizem agora que em 2009 Melgão devia de ser o candidato, é bom lembrar que foi vice-presidente Oito Anos,e Évora está de "tanga".

    Como é possível certos políticos para manterem o poder,TRAIREM os seus próprios "companheiros",vale nesta PORCA POLITICA.

    ResponderEliminar
  9. VALE TUDO


    A cãmara promoveu uma campanha Évora Limpa,apelou aos cidadãos para ajudarem a limparem as papeleiras,as paragens de autocarro entre outros.

    Passados poucos dias candidato do PS e ainda Presidente de junta da Senhora da Saúde anda colar cartazes nas paragens de autocarro,(com a sua foto).

    ResponderEliminar
  10. Há cerca de 20 anos que deixei de votar.
    E deixei de votar por uma razão simples. Aqueles em quem votamos não se interessa nada por nós.
    Prometem, prometem, mas já sabem que nunca irão cumprir essas promessas.
    È tão fácil prometer uma aeroporto internacional para Évora.
    Um parque desportivo com relva sintética e pista de tartan, até se pode prometer um canal navegável até ao mar de maneira a que grandes navios venham acostar em Évora.
    Eles sabem que nunca poderão cumprir o que prometem, mas prometem tudo.
    A intenção deles em primeiro lugar é servir o partido e aquilo que o partido disser é o que eles fazem. Não julguem que um Presidente de Câmara governa pela sua cabeça. Desenganem-se
    Depois em segundo lugar é arranjarem lugares para os familiares e amigos.
    No fim de tudo é que fazem algo pela população. E fazem algo mais perto das novas eleições.
    Os presente candidatos não tem esses atributos.
    O Povo português vive emprenhado pelas orelhas. O que lhe dizem é o que eles aplaudem.
    Como é possível votarem novamente num candidato que já os enganou??
    Gostaria de voltar a votar mas num candidato que dissesse que não prometia nada mas que iria ver se seria possível isto ou aquilo, sem exageros.
    E um candidato que mal entrasse na Câmara ordenasse um levantamento geral das administrações anteriores de maneira a que os munícipes pudesse saber por onde foi o dinheiro público e quem para lá entrou por compadrio.


    No dia que esse candidato aparecer, TEM O MEU VOTO

    ResponderEliminar
  11. Tenho ouvido Pinto de Sá dizer que não promete outra coisa a não ser trabalho. Para mim isto é ser um homem sério dado que os que têm estado na câmara pouco ou nada trabalharam, excepção às ultimas duas semanas durante as quais têm varrido, têm inaugurado, têm oferecido galardões disto e daquilo, têm aparecido depois de anos e anos longe da população.
    Para mim a abstenção não é solução porque se me abstiver não terei a quem pedir contas.
    Eu pergunto aos abstencionistas se alguma vez foram a uma reunião pública de câmara, da sua junta ou da sua assembleia de freguesia ou da assembleia municipal. Nestes órgãos os cidadãos podem intervir , podem questionar os eleitos, podem exigir o cumprimento de promessas eleitorais, podem criticar ou aplaudir a governação. Quantos abstencionistas contactaram os deputados do seu circulo eleitoral para os confrontarem com votações ou tomadas de posição ?
    A democracia dá trabalho, não dá? Por isso é que é muito fácil ser abstencionista e ficar de fora sem fazer alguma coisa pela sua comunidade, região ou país. Para mim é uma forma de preguiça que interfere com toda a comunidade e é um desrespeito por todos os que lutaram pelo direito ao voto. Votar é um dever cívico, não é apenas um direito!

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.