sábado, 14 de setembro de 2013

FAZ HOJE 150 ANOS QUE O COMBOIO CHEGOU A ÉVORA


Hoje, dia 14 de Setembro, cumprem-se 150 anos que o comboio chegou a Évora. A cidade passava a dispor do mais revolucionário meio de circulação do tempo, de uma das mais notáveis invenções do espírito humano. « É o progresso que chega a Évora», escrevia entusiasmado e eufórico o repórter do “Pharol do Alentejo” que assistiu na estação, repleta de curiosos, à chegada do «cavalo de ferro», o qual nessa viagem inaugural esteve apenas reservado ao transporte de convidados.
Começava aí a implantação do Ramal de Évora, cujo propósito inicial era o de ligar a cidade à Margem Sul do Tejo, mais propriamente a Lisboa, e à Linha do Leste, em direcção à fronteira com Espanha. A partir de então nada mais seria igual na região. A vida ia acelerar-se decisivamente pelo encurtamento do tempo de circulação de pessoas e mercadorias, as viagens tornar-se-iam mais cómodas e os carris rasgariam a planície chegando aos lugares mais desconhecidos e inóspitos.
Pois apesar de tudo Évora, nas suas gentes oficiais, resolveu ignorar por completo a redonda efeméride de um acontecimento cujas implicações posteriores de natureza social, cultural e económica se repercutiram na vida, no desenvolvimento, na planificação e no progresso da cidade e dos seus habitantes. Isto num momento em que é reconhecida a necessidade de se organizarem eventos interessantes e diferentes que contribuam para a animação dos seus espaços e ruas e para que a cidade retome o lugar de destaque que já teve na iniciativa cultural e turística do país. 
Pois aqui ao lado a Diputátion de Badajoz não dorme. Conforme tem sido amplamente divulgado na imprensa espanhola e extremenha e o “ Diário do Sul” aproveitou também para transcrever em “manchete” na edição da passada sexta-feira , aquele Departamento de Cultura Provincial vai aproveitar a circunstância de no próximo dia 20, ou seja seis dias depois de Évora, se completarem, igualmente 150 anos, sobre a chegada do primeiro comboio de passageiros à cidade para comemorar o aniversário com um vasto programa de eventos alusivos de ordem cultural e turística 
Do programa destaca-se, logo no dia 20, a organização de um comboio especial que partirá às 17 horas de Elvas e chegará a Badajoz cerca de vinte e cinco minutos depois. As composições componentes do mesmo levarão cerca de 200 pessoas e a participação na viagem está aberta a qualquer cidadão bastando-lhe fazer a inscrição no Departamento de Cultura Provincial. As actividades- que são diversas segundo o programa comemorativo já distribuído - incluem várias exposições (uma delas dirigida especialmente às crianças), colóquios e debates subordinados ao tema «150 anos de ferrovia na Extremadura» e decorrerão até ao próximo dia 31 de Outubro.
Do rol de patrocinadores fazem parte além da Diputatión de Badajoz, a Association de Amigos del Ferrocarril de Extremadura, o Museu Nacional Ferroviário, a Fundação Armando Ginestal Machado, a Fundação Railways ADIF, a Renfe, a Delta Cafés, o Município de Elvas e o Governo da Extremadura.
Pois por cá, moita carrasco, como popularmente se diz. Ninguém sabe que faz hoje 150 anos que o comboio chegou a Évora. E dá vontade de perguntar, como muitos vão dando conta, o que fazem tantos historiadores e investigadores existentes nesta sacrossanta cidade, empanturrados de mestrados e doutoramentos, instalados nos diversos organismos regionais onde auferem excelentes vencimentos se nem sequer conhecem a história da cidade? E se Évora dispunha de óptimas condições para celebrar este evento desta natureza. Mas por aqui não entro nem faço sugestões porque não sou pago para tal. Amo a minha cidade mas os outros que façam o trabalho que lhes compete é devido. Lastimo sim a incapacidade, a inépcia e a ignorância.
Eu, por mim, já cumpri a minha obrigação e informei os meus concidadão: hoje, 14 de Setembro, o comboio chegou a Évora. Estávamos em 1863. Faz 150 anos. E por aqui, como dizem os espanhóis, «non passa nada».

José Frota

24 comentários:

  1. Obrigado José Frota, confesso que não sabia.
    Mas de certeza que faz 150 anos ? - então não foi uma obra do Dr Abílio Fernandes ? . não foi ele que fez tudo nesta cidade ?

    ResponderEliminar
  2. A P P A C D M de É v o r a iniciou a construção do seu novo edificio no que restava da quinta do Escurinho,Os Engenheiros e técnicos e outros estão admirados com o brilhante bairro do Escurinho.
    Venda de droga tipo supermercado,imoveis totalmente em ruina e em total degradação,onde os espaços públicos parecem tirados dos suburbios de Luanda,uma Vergonha!
    O Vice actual presidente Melgão disse em em 2002 estar a tratar do projecto para ali e que já estava em negociações com alguns proprietários,que aquilo era cenário humilhante e uma miséria para a imagem da cidade,o que se passou até aqui.
    Zero o processo não passou de mentiras e números de magia típicos deste actual socialismo de ladrões e corruptos!

    ResponderEliminar
  3. Estava a tratar do projecto mas ainda não tratou. Agora quem fez aquela aberração e meteu as pessoas a viver em condições sub-humanas não foi o vice não. Adivinhem quem foi ......

    ResponderEliminar
  4. Joaquim Palminha Silva14 setembro, 2013 09:37

    Caro José Frota:
    Tem toda a razão! E subscrevo por inteiro o seu texto! Os historidores e "académicos" de Évora, aboletados na Universidade e outros contextos "intelectuais" e rendosos, andam a tratar da "vidinha"... Nunca quiseram saber da cidade, muito menos agora que ela está moribunda!

    ResponderEliminar
  5. Quando se perde a memória histórica na vida dos homens, nas cidades ou nos paises e há espaços de "esquecimento" ou de "rasura" já pouco resta de humanidade.

    ResponderEliminar
  6. @09h32m

    MENTIROSO a menos que o Eng Melgão tivesse dito isso a titulo particular uma vez que só entrou para a Câmara em 2005
    NEM MENTIR SABES COMUNA

    ResponderEliminar
  7. 9:25

    Não. O templo romano, as piscinas, e as muralhas é que foram feitos pelo dr. Abílio. E sem dívida - em troca venderam-se uns terrenozitos, aumentaram-se umas taxas municipais, e pouco mais. Esses é que foram tempos de uma boa gestão: farta, forte e firme.

    ResponderEliminar
  8. @10:37
    Quanto à substância do comentário NADA. Só uma data errada te suscitou dúvidas e oportunidade para destilares o teu veneno asqueroso e o teu insulto fácil...

    Quanto às miseráveis condições do Bairro do Escurinho, cuja responsabilidade de manutenção é da CME (presidida e vice presidida há 8 anos pelo Melgão) e Habévora (empresa presidida há anos pelo Melgão) não tens nada para dizer.
    Donde, presumo, serem verdadeiras as acusações!

    ResponderEliminar
  9. Concordo com a importância da data.
    E, além de a lembrar, seria importante para refletir sobre o futuro do transporte ferroviário em Évora.
    Seria importante saber mais sobre o futuro transporte de mercadorias Sines/Évora/ Espanha e suas implicações na vida urbana.
    Seria importante saber em que medida o traçado atual poderá condicionar o crescimento natural da cidade em direção ao Xarrama.
    Seria importante refletir sobre um traçado desejável da futura linha de mercadorias em direção a Espanha.

    Essa reflexão talvez fosse a melhor maneira de comemorarmos a data da chegada do comboio a Évora.

    ResponderEliminar
  10. E o que é que as oposicoes fizeram?

    Nada! Mesmo nada. Nem sequer falaram desse assunto.
    A oposição são dois blogues cheios de comentários anónimos.

    Miserável.

    ResponderEliminar
  11. 13:21

    é dejá vu e costumeiro acusar o mensageiro. Nada de novo do lado da "situação".

    ResponderEliminar
  12. Em Évora a oposição também governou nos últimos 8 anos.
    O que é isso da situação? Situação é a politica do quando pior melhor. Essa é que é a situação.

    ResponderEliminar
  13. Hoje, sábado, 14 de Setembro, às 20h00, no Pavilhão do NERE (Parque Industrial), mais uma grande iniciativa da campanha CDU em Évora.

    Jantar com a presença de Jerónimo de Sousa.

    Informação aqui:

    http://cduevora.wordpress.com/2013/09/09/cdu-evora-jantar-com-a-presenca-de-jeronimo-de-sousa/

    ResponderEliminar
  14. @11h37m

    Se uma virgula deu o que deu, uma data errada vai lá vai. Queres ver que não foi 2002, foi 2012 ? - é que faz toda a diferença. Vai na volta a informação é que está errada e a data até estava de acordo com a informação.
    Se concordo que as pessoas vivam em condições sub-humanas ? - de forma alguma.
    Se acho que devia ser feito algo para resolver esses problemas ? - claro que sim
    Agora que a data é muito importante para o que tu pretendias é. É totalmente diferente uma afirmação dessas ter sido dita há 11 ou há 1 ano.
    O PS nada fez para resolver esse problema - claro que não.
    Mas quem meteu as pessoas a viver em verdadeiras barracas que como dizes parecem dos suburbios de Luanda foi a gestão CDU.
    É por isso que cada vez mais o hino do meu partido é o que te envio para que não fiquem duvidas:

    http://www.youtube.com/watch?v=Ufcd3FR7ZQA

    ResponderEliminar
  15. @16:38
    Há 8 ANOS que o Melgão, como presidente da Habévora, é o responsável pela situação miserável do bairro do Escurinho.
    E isso faz TODA a diferença!

    Acresce que aquele bairro SÓ passou para a posse da CME em 2003, muito depois de terminar a gestão CDU. Até aí era gerido pelo INH/IGAPHE, que dependia ao governo.
    E isso faz toda a diferença e revela o teu reles papel de secretário ou que és o cretino que não sabe do que fala.

    ResponderEliminar
  16. "No passa nada". "No" e não "Non". Quando se quer fazer a gracinha de mostrar alguma erudição convém fazê-la bem feita. Se não mais vale ficar no português, língua que aliás não deslustra ninguém.

    ResponderEliminar
  17. Fica com o n. É mesmo ao teu jeito: n de nada.

    ResponderEliminar
  18. Que afirmou que ia resolver o problema Escurinho Melgão, até disse estar em negociações com alguns proprietários,que aquilo era uma miséria e um atentado a saúde e segurança publica disse Melgão,que vez ZERO!
    Mais grave é o presidente da habevora que gere este e outros bairros sociais e devia ter vergonha de ser MENTIROSO e brincar com quem vive naquele ambiente e condições miseráveis!
    Mais o outro aldrabão Ernesto prometeu para o que resta da mata do escurinho junto do circuito de
    manutenção,recuperar aquele espaço transformando num circuito para a terceira idade com equipamentos de manutenção ligado o campo de futebol trazido pela FPF.
    A igualdade -Ernesto Melgão- É A MENTIRA!
    Gostava de ouvir dos candidatos uma solução para o escurinho,vem ai mais um quadro comunitário,o fim daquilo devia ser prioritário e urgente!

    ResponderEliminar
  19. O Melgão é presidente da Habévora e vice-presidente da CME há 8 anos.
    O que fez por esta cidade? NADA!

    Dia 29 não posso dar um VOTO a quem nada fez fez por esta cidade.
    Ao Melgão, dia 29, faço-lhe um manguito!

    ResponderEliminar
  20. @17h25m
    Tu é que andas ao serviço do teu "querido líder" por isso estás tão bem informado.
    Antes secretário que escravo

    ResponderEliminar
  21. @19:11
    O teu problema não é de liberdade nem de escravidão, é de seres ignorante e arrogante(!) ao lançares acusações contra outros sem saberes do que falas!
    Tudo porque a tua cabeça funciona com base em crendices e preconceitos (ou será à base de serradura?)

    ResponderEliminar
  22. 19:11

    Lá disso de preconceitos sabes tu.
    Se os secretários te incomodam não lhes dês importância.

    Mas diz lá tu que sabes tanto.

    E quem pintou a Cruz da picada quem foi?
    E quanto custou a obra quanto?
    E quanto é que o Melgão poupou?
    E se deixasses de ser imbecil?

    E se o Melgão ganhar Évora fica melhor. Fica muito melhor do que com o gajo de Montemor e os outros tontos e tontas que o acompanham.

    ResponderEliminar
  23. «Non passa nada» como dizem os espanholeses...

    ResponderEliminar
  24. A cassete da comunalha...meu deus.

    Nem, bebado votaria nesta escumalha.
    Mas que é que os comentários têm a ver com o fantástico texto do Frota?

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.