domingo, 22 de setembro de 2013

Évora: 6º dia de Campanha Eleitoral (pelos olhos da LUSA)


BE/Évora promete apoiar movimentos que contestem novo mapa autárquico

A candidata do BE à Câmara de Évora, Maria Helena Figueiredo, comprometeu-se hoje a "apoiar todos os movimentos locais" que ponham em causa o novo mapa autárquico, alegando que a reorganização administrativa foi "feita à revelia das populações".
"Estaremos sempre a trabalhar para que as populações possam pronunciar-se e apoiaremos todos os movimentos que se desenvolvam", prometeu a cabeça-de-lista bloquista, numa quente tarde de campanha eleitoral dedicada às freguesias rurais do concelho, com arruadas nas aldeias de Valverde e S. Sebastião da Giesteira.
Maria Helena Figueiredo, que viveu durante mais de uma década na aldeia de Valverde, voltou a contestar a reorganização administrativa das freguesias, considerando que "as populações devem ser ouvidas" sobre o novo desenho autárquico.
O programa eleitoral da candidatura do Bloco de Esquerda ao concelho de Évora prevê a criação na câmara de um gabinete específico de apoio às freguesias e a melhoria dos transportes, uma vez que as freguesias rurais "estão muito isoladas".
A candidata defende ainda que o executivo municipal reúna uma vez por mês nas freguesias.
A construção e melhoria de equipamentos coletivos, o apoio a projetos culturais que dinamizem as freguesias, a informatização de serviços e a prestação de serviços de proximidade aos cidadãos são outras das propostas bloquistas. (Lusa)


Candidato do PS a Évora quer manter sedes de juntas de freguesia agregadas

O cabeça-de-lista do PS à Câmara de Évora, Manuel Melgão, comprometeu-se hoje a manter as sedes das juntas de freguesia do concelho abrangidas pela reorganização administrativa para “minorar” os efeitos da medida nas populações.
“As sedes das juntas de freguesia vão funcionar como centros administrativos para que todas as valências que estão a funcionar em cada uma dessas freguesias se mantenham para minorar esta grande preocupação das pessoas”, afirmou.
O candidato socialista e atual presidente do município falava à agência Lusa durante uma ação de campanha na Malagueira, freguesia que se vai agregar à vizinha Horta das Figueiras, no âmbito da reorganização administrativa das freguesias.
Manuel Melgão notou que, nesta campanha eleitoral, “as populações têm demonstrado um profundo descontentamento” com a agregação de freguesias, realçando que os socialistas têm “reforçado” a sua oposição à medida.
“O PS desde o início que foi contra o processo de extinção de freguesias por não concordar com a metodologia”, já que “não foram ouvidas as populações”, disse, defendendo que “as freguesias, principalmente as rurais, não fazem sentido nenhum serem extintas”.
Perante a “realidade” da medida, afirmou, “a candidatura do PS tem defendido que as sedes nas várias áreas geográficas são para manter para que as populações sintam o menos possível esta questão, pelo menos do ponto de vista imediato”.
“Da minha parte, tudo farei para que as freguesias extintas possam voltar à sua forma original, assim um Governo do PS possa vir a governar este país”, acrescentou. (Lusa)


Candidato PSD/CDS-PP a Évora propõe acessos entre bairros e cidade

O candidato do PSD/CDS-PP à Câmara de Évora, Paulo Jaleco, propôs hoje criar acessos pedonais entre os bairros e o centro histórico, criticando a gestão socialista por entender que a cidade não tem “acessibilidade em condições”.
“Assinala-se hoje o Dia Europeu Sem Carros. É um dia importante, mas para a Câmara de Évora não passa de uma comemoração”, afirmou.
O cabeça-de-lista da coligação “Évora Primeiro” falava à agência Lusa à margem de um almoço com apoiantes num restaurante de Guadalupe, a poucos quilómetros da cidade.
Num dia dedicado às freguesias rurais, Paulo Jaleco passou, durante a manhã, pelas aldeias de São Sebastião da Giesteira, Boa-fé e Guadalupe, estando previstas ainda visitas às povoações de Valverde e São Brás do Regedouro.
O candidato considerou que a cidade “não tem acessibilidades em condições entre os bairros e o centro histórico”, que “os acessos pedonais são inexistentes” e que “praticamente não há passeios nos bairros”.
“Uma das nossas linhas de ação é melhorar a mobilidade entre os bairros e o centro histórico, através da criação de acessos pedonais nas zonas de transição”, avançou, referindo que é também necessário “criar espaços de lazer nas zonas intermédias para que se torne mais fácil e agradável este caminho”.
Outra das propostas avançadas por Paulo Jaleco é melhorar os parques de estacionamento da cidade, que, criticou, estão “tão pouco cuidados”.
“No inverno, nalguns é um autêntico lamaçal e outros não estão iluminados”, disse. (Lusa)


Candidato da CDU a Évora apela ao voto e ao combate à abstenção

O candidato da CDU à Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá, aproveitou a manhã de hoje para apelar ao voto e ao combate à abstenção, num porta a porta no Bairro da Malagueira, projetado por Siza Vieira.
Tendo como cicerone o candidato da CDU à junta de freguesia, José Russo, ator e encenador do Centro Dramático de Évora (Cendrev), Carlos Pinto de Sá percorreu porta a porta as principais artérias do bairro, localizado na periferia da cidade e que foi desenhado há 35 anos pelo arquiteto Álvaro Siza Vieira, quando o município era liderado pelo histórico autarca comunista Abílio Fernandes.
"Vivemos hoje uma crise tremenda no país e também aqui no concelho de Évora, com mais de 4.600 desempregados", observou o candidato, descrevendo que "há pessoas que recebem rendimentos muito baixos, vivem situações absolutamente dramáticas e há muitas famílias que não têm sequer rendimento e que vão à procura da alimentação que lhe está a ser fornecida por algumas associações".
Nesta situação "absolutamente tremenda", segundo Carlos Pinto de Sá, "há muita gente desmotivada" e que "pensa que é abstendo-se que resolve o problema".
"Ora é exatamente o contrário. É indo votar e defender aqueles que apoiam um outro rumo para o país e também para o concelho", afirmou, reiterando ser a CDU que propõe "mudar" Évora.
Na ação de campanha, na Malagueira e bairros limítrofes, Carlos Pinto de Sá foi questionado sobre a dívida do município na ordem dos "80 milhões de euros", o que um morador considerou um "buraco de todo o tamanho".
"O buraco em que o PS meteu a câmara e o concelho também tem consequências para as pessoas com habitação própria, que vão ter de pagar taxas máximas de IMI [Imposto Municipal sobre Imóveis]”, explicou o candidato.
Depois de uma moradora garantir que não votava ("é a minha opção"), outra munícipe, também com queixas da gestão autárquica socialista de Évora, elogiou o candidato comunista: "Oxalá que você ganhe, porque fez muito bom trabalho em Montemor-o-Novo", numa alusão ao facto de Carlos Pinto de Sá ter liderado aquele município durante vários mandatos. (Lusa)

2 comentários:

  1. 3ª feira, 24 de Setembro, mais um debate CDU, desta vez sobre Educação, às 21h, na sede de campanha, na Praça do Giraldo.

    Mais informações, aqui:


    http://cduevora.wordpress.com/2013/09/18/debate-sobre-a-educacao/

    ResponderEliminar
  2. Jorge Araujo levou a Universidade ao CAOS........apoia o PS.

    Nos anos 70 era marxista-leninista-stalinista.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.