quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Évora: 2º dia de Campanha Eleitoral (pelos olhos da LUSA)


Candidato do PS em Évora acusa CDU de ser “do quanto pior melhor"

O candidato do PS à Câmara de Évora, Manuel Melgão, fez hoje a distinção entre socialistas e comunistas, acusando o projeto da CDU para a autarquia de ser de “contrapoder” e afastar o desenvolvimento.
“O que está em jogo nestas eleições são dois projetos completamente distintos”, um que “quer continuar a senda do desenvolvimento e da captação de investimento” e outro que “se afirma contrapoder, do quanto pior melhor e que afasta o desenvolvimento”, afirmou, numa alusão à canditura da CDU.
O candidato socialista realçou que pretende dar continuidade ao trabalho iniciado pelo antigo autarca José Ernesto Oliveira, a quem sucedeu em maio na presidência do município, ainda que seja “para fazer melhor”.
“São estilos diferentes, mas a matriz mantém-se. Temos um percurso na área social, na educação e na captação de investimento que é uma aposta ganha e, nos dias que correm de dificuldade económica acentuada, são três pilares essenciais que é preciso aprofundar”, referiu.
Manuel Melgão falava aos jornalistas durante uma arruada pela freguesia de Canaviais, a pouco mais de cinco quilómetros do centro da cidade, que contou com a participação de dezenas de apoiantes no contacto com a população.
À semelhança da CDU e do Bloco de Esquerda, também os socialistas escolheram esta freguesia para o segundo dia de campanha e quase se cruzavam com a comitiva bloquista.
“Combinaram-se para virem todos”, comentou um idoso, que observava à janela a passagem da “equipa” do candidato socialista. (LUSA)


Histórico autarca Abílio Fernandes "ajuda" candidato da CDU a Évora

O candidato da CDU à Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá, contou hoje com a "ajuda" do histórico autarca comunista Abílio Fernandes, numa ação de campanha vivida em ambiente de "crescendo".
Atualmente reformado, Abílio Fernandes, que governou o município de Évora durante 25 anos (entre 1976 e 2001), sempre pelas listas lideradas pelo PCP, acompanhou de perto o candidato da CDU numa arruada na freguesia dos Canaviais, na periferia da cidade, aldeia em que também andaram hoje os candidatos do PS e do Bloco de Esquerda.
À medida que ia sendo cumprimentado pelos populares, Abílio Fernandes, que perdeu o município para o PS nas autárquicas de 2001, mantinha-se sempre ao lado de Carlos Pinto de Sá, que considerou um "candidato de respeito e que deve merecer a confiança de toda a população de Évora".
"Muita gente já pode fazer a comparação entre o que era a gestão da CDU no tempo do dr. Abílio Fernandes e o que foi a gestão do PS durante os últimos 12 anos e encontramos muita gente que nos diz que é necessário voltar a ter uma gestão CDU", respondeu Carlos Pinto de Sá, quando questionado pelos jornalistas sobre a "ajuda" na campanha do antigo autarca comunista.
Destacando o "legado fundamental" de Abílio Fernandes, que "com as suas equipas" levou a que Évora fosse declarada como Património Mundial, Carlos Pinto de Sá observou haver "muita gente que reconhece que com a CDU o concelho deu um passo muito significativo e com a gestão do PS está a andar para trás".
Carlos Pinto de Sá, que ambiciona reconquistar o município alentejano para a CDU, considerou que a sua candidatura "está a sentir um crescendo", mas alertou para a necessidade de combater a abstenção nas autárquicas de 29 de setembro. (LUSA)


Candidata do BE a Évora quer criação do Provedor do Munícipe

A candidata do Bloco de Esquerda (BE) à Câmara de Évora, Maria Helena Figueiredo, sugeriu hoje a criação na autarquia do Provedor do Munícipe, para auxiliar os cidadãos na resolução de problemas com os serviços camarários.
“Muitas vezes, os munícipes sentem alguma dificuldade no relacionamento com a câmara e na obtenção de respostas às questões ou até na defesa dos seus direitos”, disse.
Para “muita gente”, tal não constitui um impedimento, porque “sabe a que ‘portas bater’ e como reclamar”, mas há cidadãos “que ficam perdidos perante a pesada e, às vezes, surda ‘máquina’ camarária”, acrescentou.
Por isso, Maria Helena Figueiredo propõe que a câmara crie esta figura do provedor, que “poderia ser um intermediário entre o cidadão e os serviços municipais”.
A candidata do BE, acompanhada por cerca de 20 apoiantes, falava à agência Lusa à margem de uma ação de campanha realizada hoje na freguesia dos Canaviais, nas imediações da cidade de Évora, com contactos porta a porta.
Este bairro esteve no “centro” deste segundo dia de campanha no concelho. Ao final da tarde, foi o destino de três das quatro candidaturas partidárias, embora a do BE, sem carro de som, tenha sido mais discreta do que as da CDU e do PS.
Apostada no “reforço da participação dos cidadãos”, a candidata do BE afiançou que o Provedor do Munícipe poderia ser “um passo nesse sentido”.
“Defendemos que essa figura, à semelhança do que se passa a nível nacional com o Provedor de Justiça, pudesse ser o porta-voz dos problemas dos cidadãos”, afirmou.
Mas, frisou, esse papel teria de ser desempenhado “por alguém independente dos partidos, consensual e de reconhecida idoneidade pelas forças políticas na câmara e pela população”.
O seu estatuto, sublinhou, teria de “garantir-lhe o acesso à informação dos serviços e a criação de mecanismos para a aplicação obrigatória, em algumas circunstâncias, das suas recomendações”. (LUSA)

10 comentários:

  1. Quanto pior melhor, foi sempre o lema do PCP, em Évora, Lisboa ou alguidares de baixo

    ResponderEliminar
  2. Então não há candidato do PSD?

    ResponderEliminar
  3. A Lusa ainda não publicou nada. E esta é a campanha vista pelos olhos da Lusa. Se publicar cá estaremos.

    ResponderEliminar
  4. @23:04
    Deve ser por isso que nos 25 anos que eles governaram, Évora cresceu, atraiu população de fora e desenvolveu-se.
    Ao contrário, nos últimos 12 anos de PS só vemos estagnação, perda de 1800 postos de trabalho e falência...

    ResponderEliminar
  5. O candidato Melgão não consegue ir além da cassete da mentira que herdou do Ernesto.

    Primeiro foi a história da "pesada herança da dívida CDU" e, agora, já todos perceberam que não passou de uma mentira engendrada pelo PS, para esconder a sua gestão desastrosa.

    Agora vem com a história da CDU "afastar o desenvolvimento" e o que os factos de Évora mostram é precisamente o contrário.
    Nos mandatos CDU tivemos cerca de 200 hectares de terreno urbanizado pela CME para instalação de actividades económicas (no PITE, nas zonas industriais da Horta das Figueiras e Almeirim - Norte e Sul, e na Azaruja) que proporcionaram a instalação de indústrias, comércios, armazéns e serviços que deram emprego a muitos milhares de pessoas.
    Nos mandatos CDU instalaram-se em Évora 10 novas unidades hoteleiras que fizeram crescer o número de camas de cerca de 500, nos anos 80, para cerca de 2000, em 2001, dando emprego a centenas de pessoas.
    E também se instalaram o MARÉ, diversos comércios e superfícies comerciais.

    E foi por isso Évora conseguiu atrair cerca de 3000 (três mil!) novos residentes em uma das cada décadas governadas pela CDU. Coisa que o PS nem lá perto chegou. Na última década Évora limitou-se a atrair 70 pessoas (setenta!).
    E por isso é que acusação que Melgão faz à CDU se aplica que nem uma luva ao PS. Pois se alguém tem "afastado o desenvolvimento" de Évora é precisamente o PS. Só assim se justifica que o concelho de Évora tenha crescido menos na última década que Viana do Alentejo ou Vendas Novas.

    ResponderEliminar
  6. É. Com os comunas é que era bom. Era.

    ResponderEliminar
  7. joaquim palminha silv19 setembro, 2013 03:35

    Provedor do Munícipe, "sugeri" eu há um par de anos, há artigos no Diário do Sul e no semanário A Defesa...Não tenho nada contra o facto de ser outra pessoa a por a questão, mas não pode fazê-lo como se fosse uma novidade... Dói muito ter razão "antes de tempo" e, depois, aparecer outra pessoa que fala de tal ou tal questão, como se fosse a 1ª vez! Mas já sei, Évora é assim... Há muito tempo...

    ResponderEliminar
  8. Provedor do municIpe??? Então e um ou uma presidente de câmara é ou deve ser o que senão um provedor dos munícipes? Irra tanta incompetência!

    ResponderEliminar
  9. Senhor Palminha da Silva:
    Desculpe, mas o senhor deve estar equivocado...ou andar muito esquecido.
    Há quantos anos e anos, andam candidatos às autárquicas a falar do provedor do municípe.
    Olhe, olhe que a idéia mão deve ser sua...
    Para o comentador anónimo anterior:
    Saberá o que é um provedor?
    Há tanta literatura, sobre o assunto que lhe aconselho a ler e que concerteza o elucidarão sobre tal figura.
    Não lhe fará mal, escusando, assim de vir com mais uma babuseira.
    António Gomes

    ResponderEliminar
  10. joaquim palminha silva20 setembro, 2013 17:36

    Efectivamente sr. A.G.foi há muitos anos... Ainda alguns do BE eram do PS e outros jogavam ao berlinde!Não quero direitos, mas chega de andarem a dizer o que outros, a seu tempo, já disseram! Tenham dó, vejam ao menos se são mais originais!

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.