sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Esta noite CDU debate rendas e habitação social em Évora

20 comentários:

  1. Deviam era debater por que raio não foram à inauguração da EMBRAER e preferiram fazer estardalhaço à porta da coisa a mando dos xerifes do comité.

    Porque não de natureza Nhurra e do contra, e porque investimento privado será sempre uma coisa porca vinda do capital, não é?

    ResponderEliminar
  2. Melgão só fez Divida......Obra Zero;........anda agora á pressa a varrer a Merda acumulada nos 12 anos.

    ResponderEliminar
  3. O investimento privado, que respeite regras ambientais, a legislação social, gere emprego, pague os impostos devidos, dê garantias de continuidade e futuro e promova o desenvolvimento concelhio, regional e nacional é particularmente bem vindo, deve ser bem acolhido e incentivado.
    Mas tem que existir retorno para os significativos auxílios públicos (apoios, terrenos, infraestruturação, isenção de taxas e impostos, etc.), nomeadamente concelhios. Senão é a conversa de sempre: auxílios públicos, lucros privados. Senão, terminado o prazo dos apoios, especialmente fiscais, levantam a tenda e dão de frosques. Brasil, por exemplo...

    ResponderEliminar
  4. Vamos TODOS ao BIKÈVORA......dia 22 10 horas no Rossio........Vamos divertir e pedir a MUDANÇA para Évora.

    ResponderEliminar
  5. Pluralismo do serviço publico da RTP:
    Hoje 13 Set - cidade objecto de reportagem alargada sobre autárquicas: Évora. Entrevistados generosamente e por esta ordem: Pinto de Sá, Melgão, Jaleco.
    Ah, a RTp disse a termin ar que ainda havia a candidatura do BE!


    ResponderEliminar
  6. BASTA....está na Hora da MUDANÇA......BASTA de COMPADRIO.

    ResponderEliminar
  7. Os Eborenses Exigem um debate a Quatro em espaço Aberto.......


    Quem tem Medo do debate?

    ResponderEliminar
  8. Auditório da Universidade


    Teatro Garcia de Resende


    Palacio Dom Manuel,são alguns espaços para o efeito,está na mão dos jornalistas do burgo organizarem,quem tem medo do debate?

    ResponderEliminar
  9. Estes debates estão a realizar-se nalguns concelhos do país........os candidatos a Évora têm medo de Debater perante os Eborenses?

    ResponderEliminar
  10. O Carlos Julio um excelente jornalista da nossa terra pode ter a iniciativa, Évora ficava-lhe grata.

    ResponderEliminar
  11. Estamos a duas semanas de eleições e não sabemos o que pretendem para o concelho os vários candidatos.........o concelho está deprimido e parece não ter FUTURO,era bom um grande debate.........corremos o risco de atingir a Maior Abstenção de sempre,estamos confusos,apenas sabemos que Évora está mergulhada na maior DIVIDA de sempre.

    ResponderEliminar
  12. Foi bem interessante este debate sobre habitação social.
    A afluência não foi numerosa. Entre 30 e 40 pessoas, porque algumas iam entrando e saindo.
    Outros, ficaram de pé firme, expressaram-se, quase se poderia dizer em línguas diferentes.
    Houve quem falasse a língua dos números e das duvidosas contas das rendas;
    houve quem falasse de leis e da obrigação que não existe de aumentar as rendas para lá do que as pessoas podem pagar;
    houve quem falasse de reabilitação urbana;
    outros defenderam políticas de habitação como parte integrante de políticas sociais mais largas;
    foi defendida a habitação social como promotora de diversidade e de coesão social nesta zona oeste onde é necessário voltar a um trabalho de intervenção social começado e interrompido há mais de 20 anos...
    mas quase todos, com expressões, exemplos, rostos e tons bem diversos, falaram da "Habévora". Ninguém falou de apoio prestado por aquela empresa municipal, nem de valorização do parque habitacional gerido pelos mesmos, nem de nada que elogio merecesse. Todos falaram da necessidade de mudar a Habévora, a sua relação com os moradores, a sua forma de ler e interpretar as leis.

    Pinto de Sá prometeu continuar este debate, na mesma sala, depois de dia 29 de Setembro, no caso de ser eleito presidente de Câmara. Disse que mudaria a forma de encarar a habitação social, mas que nada faria sem as pessoas implicadas.

    ResponderEliminar
  13. 22:50

    A Comissão Nacional de Eleições serve para que haja a formalização de queixas. Se o BE se sente injustiçado é esse o caminho a seguir.

    ResponderEliminar
  14. Então o Pinto de Sá só continua a discutir se for presidente? se não for eleito para presidente, já não discute? Não fica em Évora como vereador?

    ResponderEliminar
  15. O Melgão é presidente da Habévora e vice-presidente da CME há 8 anos.
    O que fez por esta cidade? NADA!

    O Melgão recusou (e recusa) debater o futuro de Évora com os outros candidatos.
    Dia 29, faço-lhe um manguito!

    ResponderEliminar
  16. não sejas aldrabão, o Melgão irá debater na antena1, com os restantes candidatos. eu sei que tu sabes isso, e se afirmas o contrário é porque não passas de um reles canalha

    ResponderEliminar
  17. Ó Dores, deves ter estado noutra sessão. O vídeo colocado nas redes sociais não mostra 30 ou 40 participantes, mas, exatamente 3, não pertencentes á comitiva da CDU?
    Sem que isto ponha em causa o interesse da iniciativa.
    Embora me pareça que este é mais um sintoma de que algo vai mal na candidatura da CDU em Évora.

    ResponderEliminar
  18. Caro anónimo(a) das 22:09

    Diz-se que as excepções confirmam a regra: neste caso refiro-me à regra de não responder a comentários anónimos e à excepção desta resposta. Faço-a porque me parece levantar-se aqui uma questão que me tem interessado nos últimos tempos.

    A questão é a da procura de sinais, de confirmações para as nossas mais intimas ou públicas hipóteses, desejos, ou apenas meras suposições. Esta procura desenfreada e nalguns casos quase desesperada, de tão intensa e desprovida de senso, conduz a conclusões como a que tirou a partir do vídeo que um dos participantes nesta sessão realizou e colocou nas redes sociais.

    Aconteceu que estas três pessoas escolheram sentar-se numa das extremidades da sala (que não estava repleta)sendo que muito perto destas não se sentaram outros. Se conhece a sala sabe que ela é grande o que permitiu alguma dispersão por parte de pessoas que foram estando,entrando, saindo, ora sentadas, de pé, concentradas, atentas e participativas ou ouvintes, descontraídas, observadoras. Houve ali de tudo isto.
    O registo vídeo que viu, identificou estas participantes numa das suas várias intervenções, isolando-as do resto. E porque não esteve lá o(a) caro(a) anónimo(a) concluiu que para além da mesa estariam apenas 3 pessoas presentes,ou pouco mais, dando já um generoso benefício de dúvida. ora trata-se de um erro de análise porque é feita a partir de provas muito escassas, limitadas e particulares, preferindo por exemplo descredibilizar a informação que eu escrevi no meu comentário anterior. Diz-se que uma imagem vale mais do que mil palavras. Reservo muitas dúvidas por motivos deste tipo.

    Mais longe vão ainda as suas conclusões quando identifica aqui "mais um sintoma de que algo vai mal na candidatura da CDU em Évora". É que com rigor a única coisa que se pode retirar daqui(informação escrita, video referido e da sessão em causa)é que a campanha da CDU para as autárquicas em Évora elegeu o tema da habitação social e a metodologia do encontro com as pessoas relacionadas com este tema. Quanto a outras avaliações como a relevância desta iniciativa para a campanha,sinais (sejam claros ou escuros) antecipações de resultados, não é de todo possível antes do fim do dia 29 de Setembro. Tentar é especular.

    obrigada pelo seu comentário que me deu a oportunidade de dizer que não vale a pena ler sinais que não são legíveis. Umas vezes porque não se apresentam em códigos que saibamos descodificar, outras porque não se referem aos objectos que supomos estarem em causa, outros ainda porque são emitidos de propósito para provocar efeitos ou leituras "baralhadas".

    ResponderEliminar
  19. Baralhada anda a senhora.ou sempre foi e veio só ajudar à festa?

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.