quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Discurso directo: há cerca de 20 anos que deixei de votar



Há cerca de 20 anos que deixei de votar.
E deixei de votar por uma razão simples. Aqueles em quem votamos não se interessam nada por nós.
Prometem, prometem, mas já sabem que nunca irão cumprir essas promessas.
É tão fácil prometer um aeroporto internacional para Évora.
Um parque desportivo com relva sintética e pista de tartan, até se pode prometer um canal navegável até ao mar de maneira a que grandes navios venham acostar em Évora.
Eles sabem que nunca poderão cumprir o que prometem, mas prometem tudo.
A intenção deles em primeiro lugar é servir o partido e aquilo que o partido disser é o que eles fazem. Não julguem que um Presidente de Câmara governa pela sua cabeça. Desenganem-se.
Depois em segundo lugar é arranjarem lugares para os familiares e amigos.
No fim de tudo é que fazem algo pela população. E fazem algo mais perto das novas eleições.
Os presente candidatos não têm esses atributos.
O Povo português vive emprenhado pelas orelhas. O que lhe dizem é o que eles aplaudem. 
Como é possível votarem novamente num candidato que já os enganou?? 
Gostaria de voltar a votar mas num candidato que dissesse que não prometia nada mas que iria ver se seria possível isto ou aquilo, sem exageros.
E um candidato que mal entrasse na Câmara ordenasse um levantamento geral das administrações anteriores de maneira a que os munícipes pudessem saber por onde foi o dinheiro público e quem para lá entrou por compadrio.
No dia que esse candidato aparecer, TEM O MEU VOTO!


Anónimo

10 comentários:

  1. o cinco tons, não devia dar guarida a esta escumalha pró-abstencionista, este discurso anti partidos é bafioso e salazarento, a teoria de que os bons estão todos foras dos partidos e os maus são sotos militantes dum qualquer partido é um pensamento de gente fraca insegura e incompetente que vê espelhados nos outros estes seus atributos.

    Foi assim que os Portugueses, tiverem recentemente dois ministros destes governos que se apresentavam como independentes, competentes, impolutos e foi o que se viu (Gaspar e o outro rapaz da economia de quem já nem me recordo o nome).

    ResponderEliminar
  2. E foram só os melhores ministros que tiveste desde o 25 de abril!

    ResponderEliminar
  3. 23:34


    É essa a democracia que defendes??

    ResponderEliminar
  4. 23:34

    E só o teu olhar é que vale? Isso lembra outras ditaduras. Neste rectângulo e noutros locais. Sois a mesma trampa: socialismo e nacional-socialismo. Haverá quem vos diferencia? Eu não. Por isso não voto.

    ResponderEliminar
  5. Ao contrário do que diz o post, nos últimos anos, muitos já, a abstenção tem sido o partido mais votado. O resultado é o que temos. Para mudar alguma coisa é preciso fazer diferente e ir votar. Só quando a abstenção for muito reduzida é que a democracia pode ser diferente.

    ResponderEliminar
  6. Este post podia resumir-se numa ou duas linhas:
    Se queres que o PS continue a fazer o trabalho que tem feito até aqui, Abstém-te!

    ResponderEliminar
  7. Eu não me abstenho. Voto Bloco de Esquerda. Mas respeito quem se abstém. Têm todo o direito, como eu tenho de votar em quem quero. Ou isto já está no tempo do partido único ou do se não és por nós és contra nós? Bela democracia a vossa.

    ResponderEliminar
  8. @01:17
    Quem se abstém tem todo o direito a fazê-lo. Com certeza.
    Mas eu não tenho direito a ter opinião sobre isso e a manifestá-la. Bela democracia a vossa.

    ResponderEliminar
  9. Este discurso próabstençao é mesmo fraquinho. São estes os anarcas do burgo? Que falta de profundidade! Já nao há anarcas como antigamente.

    ResponderEliminar
  10. E este gajo que não VOTA está à espera de quê para se assumir ele prórpio como a alternativa de que espera HÁ 20 ANOS?

    É que, com esta atitude de critica tonta e inconsequente, parece o outro que não "F.... Nem Sai de Cima". Deve estar à espera que chegue o vizinho do lado...

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.