quinta-feira, 1 de agosto de 2013

E quem é que fará a recuperação desta gente da ANIMAL?


O cão que atacou, em Beja, um menino, de 18 meses, que morreu, e foi provisoriamente entregue, por um tribunal, à Associação Animal, vai ser recuperado por uma especialista em animais agressores ou com problemas comportamentais.
Em declarações hoje à agência Lusa, a presidente da Animal, Rita Silva, disse que a associação vai buscar o cão ao canil, onde está "preso numa sela há sete meses", para o levar "para um hospital veterinário, em Lisboa, para fazer exames e ser tratado".
"Quando tiver alta, o cão vai ser encaminhado para uma especialista em recuperação de animais agressores ou com problemas comportamentais graves e que irá fazer a sua recuperação" com a supervisão da Animal, disse.
Segundo Rita Silva, o Tribunal Administrativo e Fiscal de Beja decidiu que a Animal "pode ficar, provisoriamente, como fiel depositária do cão" até ser julgada a ação judicial principal relativa à providência cautelar interposta em janeiro pela associação para evitar o abate do cão e que irá decidir se o animal deverá ser ou não abatido.
À semelhança do que acontece com todos os animais recolhidos pela Animal, a associação vai mudar o nome do cão, de Zico para Mandela, "numa homenagem a Nelson Mandela, um homem que toda a vida lutou pela liberdade e nós [Animal] temos lutado muito pela liberdade deste cão", disse. (Lusa)

E esta gente não tinha melhor nome do que Mandela para dar ao cão? Ao contrário do cão, terão recuperação possível?

7 comentários:

  1. Pensava que a coisa só a mim tinha parecido estranha...

    ResponderEliminar
  2. Não, acho que é estranhissimo. Eu tinha visto a notícia na Lusa esta manhã e pensei que isto dar um escândalo e pensei logo por no blog. Depois passou, não vi nade em lado nenhum e foi a tua publicação no "Praça da República" que me fez lembrar...

    ResponderEliminar
  3. Para que estavas fadado, sublime Mandela: ver o teu nome num cão, conhecido por matar um bebé.

    Pobre da sociedade que trata os animais como se fossem humanos (até lhes dão nomes de pessoas), e trata as pessoas como se fossem animais (sobretudo quando chegam a velhos).

    Triste sociedade em que os fundamentalismos se instalam como se fossem progresso, sabedoria e civilização.

    ResponderEliminar
  4. Tinha chamado "filho de puta" a quem pôs o nome ao animal assassino
    - partindo do princípio que tinham sido os donos, putativos treinadores do animal

    sei agora que não

    o nome original seria ZICO, ou coisa parecida, e terá sido uma uma filantropica" Associação Protetora de Animais a cometer a desfaçatez de batizar a canina criatura com o nome de uma das mais nobres figuras da humanidade

    tenham juízo, caramba, se pretendem que alguém vos respeite como instituição de mérito no campo da Proteção dos animais


    ResponderEliminar
  5. Que o Mandela( Cão) agora corte a jugular desses idiotas que adotaram o assassinio, eo Juiz que não teve tomates para mandar abater o cãozorro. Ninguém assume coisa nenhuma ps/psd/ cds levaram-nos á mais absoluta mi´seria e andamos a brincar aos cães, somos um povo cigano, idiota. Com swps, submarinos, bpns, esta gentalha asquerosa devia estar presa, todavia continuam a mandar

    ResponderEliminar
  6. http://arrastao.org/2872099.html

    ResponderEliminar
  7. A Winnie Mandela da Associação Animal

    Por Ferreira Fernandes

    QUE NOME se dá aos caniches que, mesmo quando arreganham os dentes, nos fazem sorrir? Pipoca, Biscoito, Fagulha... O nome, apesar de longo, não é grave porque temos todo o tempo para gritar - "quieta, Pipoca!" - se o canito nos ataca as canelas. Se falhar o grito, um pontapé nas trombas da adorável criatura resolve. Já a imbecil da vizinha da Rua Camões, Porto, dona do dogue argentino que estraçalhou, faz um ano para a semana, uma menina de 20 meses, essa, a dona, ao menos teve o cuidado de chamar Kiko ao seu queriducho. "Larga a cabeça do bebé, Kiko!" não serviu de grande coisa, é certo, mas não porque se tenha perdido tempo nas sílabas do animal.

    E o imbecil do dono do pitbull que matou, em janeiro passado, um bebé de 18 meses, em Beja, também foi curto no batismo: Zico...

    O que eu quero dizer é que os dois citados imbecis, por mais imbecis como se comprovou serem, têm o atenuante da prudência ao dar nomes. Curtos, como convém nas vozes de comando para um cão perigoso. Mas há pior que esse donos. Soube-se agora, o Zico foi dado à guarda de Rita Silva, da Associação Animal. E ela apressou-se a chamar-lhe Mandela. Silabicamente (fico-me por aqui), nome errado. Alguém batizou a Rita de Rita, curto e bem, porque ela é perigosa.

    Diz-se que não há cães perigosos, o perigo está no outro lado da trela. Ora, agora, do outro lado da trela do pitbull Mandela está uma Winnie Mandela, assanhada e ignorante. Não me tranquiliza.

    «DN» de 2 Ago 13

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.