terça-feira, 6 de agosto de 2013

Bloco de Esquerda apresentou hoje pedido de impugnação da candidatura de Carlos Pinto Sá (CDU) à Câmara de Évora


COMUNICADO

Como é do domínio público, o Bloco de Esquerda decidiu nas Jornadas Autárquicas realizadas em 2 e 3 de Fevereiro de 2013 impugnar, a nível nacional, todos os candidatos que após terem sido eleitos por 3 ou mais mandatos consecutivos como presidentes de câmara ou presidentes de junta da freguesia, voltem a candidatar-se a estes cargos, violando, assim, a Lei da Limitação de Mandatos (Lei n.º 46/2005). 
Na sequência desta importante decisão, o Bloco de Esquerda apresentou hoje, no Tribunal Judicial de Évora, o pedido de impugnação da candidatura do cidadão Carlos Pinto de Sá, uma vez que este foi eleito para mais de três mandatos consecutivos como Presidente de Câmara.
Esta impugnação surge nos termos do artigo 1.º, n.º 1 da Lei n.º 46/2005, de 29 de Agosto, que diz que “o presidente de câmara municipal e o presidente de junta de freguesia só podem ser eleitos para três mandatos consecutivos”.
Esta Lei deve ser interpretada no sentido de a inelegibilidade prevista respeitar a toda e qualquer autarquia e não apenas à autarquia onde o cidadão tenha sido eleito presidente de câmara ou presidente de junta por três mandatos consecutivos.
Também a Constituição da República Portuguesa, no seu artigo 118.º, proíbe o exercício vitalício de qualquer cargo político de âmbito nacional, regional ou local.
Na nossa perspectiva, qualquer entendimento contrário da Lei levaria à perpetuação dos cargos, possibilitando o seu exercício de forma vitalícia, desde que os mesmos fossem exercidos, sucessivamente, em circunscrições geográficas diversas.
Assim, por todo o país, todos os candidatos que violem a Lei n.º 46/2005 verão as suas candidaturas impugnadas. 
O Bloco de Esquerda gostaria de sublinhar que esta posição não procura atacar nenhuma candidatura, partido ou movimento de cidadãos, mas que o impedimento da perpetuação no poder é um dos valores republicanos mais importantes, do qual não abdicamos. A violação ostensiva de uma Lei não pode ser permitida, pelo que agimos tendo em conta o respeito pelos valores democráticos e republicanos emanados da Revolução de Abril.
O Bloco de Esquerda em Évora não irá, por sua iniciativa, pronunciar-se mais sobre este assunto, pois estamos totalmente empenhados em construir uma alternativa séria e competente para o Concelho de Évora.
Todas as nossas forças estão centradas em resgatar o concelho da gestão nociva levada a cabo pelo PS e na luta por uma gestão autárquica mais transparente e participada.
É para esta construção de uma alternativa participada que convocamos todos os munícipes de Évora


Évora, 6 de Agosto de 2013

O Secretariado da Comissão Coordenadora Distrital de Évora do Bloco de Esquerda

87 comentários:

  1. Lisboa, Porto, Beja, Évora, Alcácer do Sal...

    O Bloco de Esquerda vai apresentar pedidos de impugnação de 11 candidaturas autárquicas no âmbito da lei de limitação de mandatos, entre as quais as de Fernando Seara e de Luís Filipe Menezes, disse hoje fonte do partido.

    Em declarações à agência Lusa, o coordenador autárquico do Bloco de Esquerda, Pedro Soares, explicou que, entre hoje e quarta-feira, vão ser entregues pedidos de impugnação de candidaturas nos concelhos de Alcácer do Sal, Aveiro, Beja (dois candidatos), Castro Marim, Évora, Guarda, Lisboa, Loures, Porto e Tavira.

    Pedro Soares referiu que, caso o pedido de impugnação seja rejeitado, pode ainda ser realizada uma reclamação, também junto do tribunal da respetiva comarca, seguindo-se um eventual recurso para o Tribunal Constitucional, em última instância, que terá 10 dias para decidir.

    Em Lisboa, o pedido de impugnação da candidatura do atual presidente da Câmara de Sintra, Fernando Seara (PSD), vai ser apresentado na quarta-feira de manhã.

    Por seu lado, no Porto, o Bloco de Esquerda vai pedir em tribunal a impugnação a candidatura de Luís Filipe Menezes (PSD), há 16 anos na Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia.

    Na segunda-feira, o Bloco de Esquerda anunciou que ia pedir a impugnação da candidatura à Guarda do atual presidente da Câmara de Gouveia, o social-democrata Álvaro Amaro, que se encontra a finalizar o terceiro mandato.

    Já hoje o partido liderado por Catarina Martins e João Semedo havia anunciado os pedidos de impugnação das candidaturas dos atuais presidentes das câmaras de Castro Marim e de Alcoutim a municípios vizinhos.

    O presidente da Câmara de Castro Marim, José Estevens, está impedido de se candidatar a um novo mandato naquele concelho e anunciou que vai liderar a lista do PSD à Câmara de Tavira.

    Por seu lado, o autarca de Alcoutim, Francisco Amaral, encontra-se em situação idêntica e anunciou que vai concorrer pelo PSD à Câmara de Castro Marim.

    Em Alcácer do Sal, o requerimento do Bloco de Esquerda pretende impedir a candidatura do antigo presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém Vítor Proença (CDU), que agora concorre ao município vizinho após exercer três mandatos seguidos.

    O caso de Beja é o único onde há duas candidaturas visadas: o antigo presidente da Câmara de Serpa João Rocha (CDU) e o atual autarca Jorge Pulido Valente (PS), que cumpriu antes dois mandatos em Mértola.

    Também no Alentejo, está em causa a candidatura do antigo autarca de Montemor-o-Novo Carlos Pinto de Sá (CDU) a Évora.

    Em Loures, onde o pedido já deu entrada, a situação refere-se ao candidato social-democrata Fernando Costa, que cumpriu 27 anos à frente do Executivo municipal das Caldas da Rainha.

    O pedido de impugnação referente a Aveiro diz respeito à candidatura do até aqui autarca de Ílhavo, José Ribau Esteves (PSD). (LUSA)

    ResponderEliminar

  2. O BE impugna as candidaturas, no estrito cumprimento de uma lei inconstitucional e fascista.
    O BE divide a esquerda, ao serviço da direita.

    ResponderEliminar
  3. Inchem... Vai lá para Montemor enganar o povo! Não queremos Presidentes de Camara de profissão à frente dos destinos da CME... Mais valia o Luciano, coitado...
    Teriam o meu voto, se apresentassem um candidato como deve ser. Os eborenses sabem dar resposta ao xico-espertismo...

    FORA!

    ResponderEliminar
  4. 19:33

    Dividir a esquerda?! O PC é que tem andado, sobre este assunto, a reboque do PSD, numa aliança que, aliás, não fica apenas por aqui. Você não se ri quando escreve estas coisas? Que gozo deve você ser.

    ResponderEliminar
  5. Como se fora um corrécio...E o partido obrigou-o a sujeitar-se a isto?

    ResponderEliminar
  6. O POVO vota para que a assembleia possa decretar e fazer leis , se estão mal feitas tem de as refazer . Tiveram tempo e agora estão a dar a uns coitados eleitos não pelo Povo mas pela cunha de decidir a lei nos tribunais .

    Uns são eleitos e outros que não são é que governam Portugal .

    Tenham vergonha !


    Jorge


    ( ciclista )

    ResponderEliminar
  7. Reflexão breve sobre o próximo acto eleitoral:
    uma das conquistas mais importantes que o 25 de Abril trouxe ao Povo Português! Através do voto, do escrutínio popular, livre e directo, é o Povo que escolhe os seus representantes dos diversos poderes ligados aos poderes central e local. Dito isto penso que será o Povo em última análise que se deveria pronunciar em matéria de eleição e de representatividade. Esta Lei da Limitação de Mandatos vem contrariar a AUTORIDADE popular que irá, através de eleições, legitimar o poder conferido aos cidadãos enquadrados ou não por partidos políticos. O PS fez um mau serviço à legitimidade do poder político, os deputados do PS e do PSD fizeram uma mau serviço ao fazerem aprovarEM tal Lei. O BE, neste momento, é mais papista do que o Papa, como se costuma dizer, e está tão simplesemnte a olhar para o se umbigo... A confusão está instalada. É a legitimação da escolha do Povo que está em causa. É o Povo que deverá em última análise decidir se um Presidente de Câmara deverá estar a assumir o poder na Autarquia durante 1 ou 2, ou 3 ou "n" mandatos! O Voto serve exactamente para isso. O Povo não está esclarecido? São balelas fascizantes! Se o Povo não está esclarecido deverão os senhores políticos pugnar para que isso aconteça! Haja bom senso político e responsabilidade para que o Poder não se corrompa!
    G

    ResponderEliminar
  8. Finalmente o BE tomou juízo e luta contra a corrupção. Bem haja!

    ResponderEliminar
  9. No fundo é a própria Democracia que se encontra corrompida!

    ResponderEliminar
  10. Pelos comentários se confirma que o BE tem todo o apoio, da direita eborense.
    A direita agradece encarecidamente, ao BE.

    ResponderEliminar
  11. O BE finalmente tirou a máscara. Se o Melgão vencer é vê-los a reivindicar uma sinecura. Não há almoços grátis.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. seo melgão ganhar foi porque os eborenses votaram nele

      Eliminar
    2. Em termos de trânsfugas o PCP tem estado nas últimas décadas mais bem servido de pessoas que de lá fogem e vão buscar "sinecuras", especialmente ao PS. Curiosamente ninguém foge dos outros partidos para o PCP. Por que será!?

      Eliminar
  12. Apesar das muitas concordâncias e outras tantas discordâncias quanto ao caminho que deve ser seguido à esquerda do especto politico em Portugal e que me levaram a por ponto final como aderente, o bloco e os bloquistas são de longe, os que não abdicam dos princípios éticos que considero serem fundamentais para que isto da politica não se torne num escape para alguns facilitismos na vida.

    Muito bem.

    Abraço a todos

    Rui M Fialho

    ResponderEliminar
  13. Fernando Marque06 agosto, 2013 21:27

    "Todas as nossas forças estão centradas em resgatar o concelho da gestão nociva levada a cabo pelo PS"
    Tanta hipocrisia.
    Nas legislativas sempre votei BE, desde a sua fundação. O primeiro "abalo" veio com o apoio à candidatura do Manuel Alegre. Esta foi a machadada final. Um verdadeiro tiro no pé. O meu voto nunca mais o apanham.

    ResponderEliminar
  14. Quem votou ao lado do PSD e PS contra a existência de um orçamento participativo em Évora?
    Quem votou ao lado do PSD e do PS contra o referendo local sobre a extinção das freguesias?
    A resposta é CDU. Dúvidas?
    Querem mais exemplos?

    ResponderEliminar
  15. Pois sendo assim, o BE deixou de contar nas minhas hipóteses de votação.
    E não venham com conversas da treta, pois com esta atitude pseudo-legalista mostram bem que são candidatos a transformar-se num apêndice do PS.
    Estão no vosso direito. Adeusinho e passem bem.

    ResponderEliminar
  16. qurm fezcoligações com o PSD nas freguesias de Palmela e Setubal??
    A CDU..deve ter sido para reforçar a esquerda.
    Tenham vergonha

    ResponderEliminar
  17. Com este tiro no pé, nem a um vereador chegam.

    Agora só fico com curiosidade de ver a posição do BE sobre os presidentes que, após 3 mandatos ou mais, se candidatam ao MESMO ÓRGÃO em segundo ou terceiro lugar.

    Mas se calhar vou ter de esperar sentado. Pois como são candidatos do PS, não convém falar do assunto...

    De qualquer modo, ao contrário do que muitos pensam, esta clarificação foi boa. Pois, a partir de agora, todos os que quiserem a mudança em Évora, sabem em quem têm de votar. E todos sabem que um voto no BE é um voto perdido... ou um voto no PS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo como dizes. Um voto no BE é um voto perdido. Se é para fazer fretes ao PS mais vale votar PS. Se é para lutar pela mudança, mais vale votar CDU. O original, em qualquer dos casos, é sempre melhor que a cópia.

      Eliminar
  18. O meu voto vai para o BE. Demonstram ser a única força de esquerda de confiança! Muito bem. Podem até perder votos, mas o meu ganharam!

    ResponderEliminar
  19. Morra o bloco morra pim

    ResponderEliminar
  20. Tenho que dar a mão à palmatória. Sou daqueles que nunca acreditou que o BE impugnasse a candidatura da CDU. Estava completamente enganado.

    Dito isto, quero acrescentar duas ou três coisas.

    A primeira para dizer que o BE é profundamente arrogante, porque quer à viva força passar como legítima (pior, como a única legítima) a sua interpretação do que foi aprovado na Assembleia da República. Mais nenhum dos restantes partidos, que aprovaram a Lei no Parlamento, partilha desta interpretação.

    A consulta das actas, da discussão, das perguntas e respostas, dos esclarecimentos, mostra inequivocamente que a interpretação do BE não corresponde ao que foi aprovado (a interdição de eleição por mais de três vezes consecutivas para a presidência da mesma câmara municipal ou junta de freguesia).

    A segunda para reafirmar que a interpretação do BE é inconsistente e falaciosa, até mesmo nos termos inconstitucionais que invoca. O nº 1 do artigo 118º da Constituição da República, ao proibir o exercício vitalício de qualquer cargo político, o que pretende com isto é determinar a obrigatoriedade do exercício dos cargos políticos estar sujeito a eleições.

    Além de ser desnecessário explicar que o cargo político de, por exemplo, presidente da Câmara de Évora ser obviamente distinto do cargo político de, por exemplo, presidente da Câmara de Montemor-o-Novo, o BE nem sequer se apercebe de que a sua interpretação colide com o nº 2 do próprio artigo 118º da Constituição, em que se afirma que a lei pode determinar limites à renovação sucessiva de mandatos dos titulares de cargos políticos executivos. Isto é, pode determinar mas também pode não determinar. Não é uma obrigatoriedade nem uma imposição constitucional. O nº 1 do art. 118º só por si não determina essa obrigatoriedade, em flagrante contradição com as interpretações do BE do que significa a disposição de proibição vitalícia de um cargo político, neste caso local (para além da incompreensível incongruência de achar que a presidência de uma autarquia é o mesmo cargo político que a presidência de outra autarquia).

    Aliás, o BE parece esquecer-se que o princípio da renovação, tal como está formulado no nº 1 do artigo 118º, para que apela, não é recente nem é uma novidade da última revisão constitucional, vem, exactamente com a mesma formulação, desde a Constituição originária aprovada a 2 de Abril de 1976 (na altura como art. 121º), sem que nunca se invocasse constitucionalmente a proibição de alguém se candidatar mais de três vezes consecutivas a presidente de câmara ou junta, inclusivamente na mesma autarquia (caso este que já não é possível com a lei actual).

    O BE, além de arrogante, revela um desconhecimento inadmissível do ordenamento jurídico-constitucional português.

    Por último, para perguntar: e tudo isto para quê? Para cavalgar oportunisticamente a onda anti-partidos, anti-classe política, a ver se colhe alguns votos que o seu projeto, a sua incompetência, a sua ignorância e, a coberto do legalismo extremoso, afinal a sua falta de escrúpulos políticos e éticos, nunca dariam.

    Não esperava, já o confessei, que um partido que se propunha refrescar a esquerda portuguesa se rebaixasse tanto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (termino a mensagem)

      É evidente que o BE não esperava eleger um vereador, mas talvez lhe tivesse passado pela cabeça eleger dois membros na Assembleia Municipal. Creio que acabou de comprometer definitivamente as suas aspirações.

      O feitiço, sobretudo se, como se espera, a sentença do Tribunal Constitucional for desfavorável, vira-se contra o feiticeiro. Não ganha votos, perde votos (para o PS, esperemos que mais ainda para a CDU).

      A campanha praticamente tinha desaparecido, relegada pouco mais do que à boa vontade de um ou dois blogs locais. Mas a tentativa de impugnação da candidatura da CDU, a tentativa de privar Carlos Pinto de Sá do direito (constitucional e de cidadania) de ser eleito por vontade do povo de Évora, a miserável tentativa de, como já se disse, ganhar alguma coisa na secretaria que não se consegue no terreno, marcará seguramente um ponto de inflexão na campanha bloquista. Daqui para a frente só perde votos. Custa-me dizê-lo, porque, reconheço-o pela última vez, nunca acreditei, mas é merecido. Os actos ficam com quem os pratica.

      Eliminar
    2. O Povo é soberano, não deve haver limites à reeleição dos presidentes de Câmara e Juntas. até porque há uma profissão a defender: as dos presidentes! É tão lindo ver o Alberto João ser sucessivamente eleito por vontade do Povo...

      Manuel Eusébio

      Eliminar
    3. Só quem não acredita no povo ou no voto, é que poder querer resolver problemas de corrupção ou gestão danosa por via da restrição de mandatos. Como se a corrupção ou a gestão danosa só se manifestassem ao 4.º mandato. E como se a corrupção só existisse nos Presidentes das Câmaras ou nos Presidentes das Juntas.
      Tenham paciência, mas inventem outras causas para mostrar que existem.

      Eliminar
  21. E assim vai o BE.
    Depois da asneira que fizeram nas últimas presidenciais, onde apoiaram o candidato do PS, com as consequencias que se conhecem (reduzido a a metade da votação), agora dispoem-se a fazer o trabalho sujo que o PS não é capaz, nem quer fazer.

    Agora os eborenses já sabem:
    - Quem não concordar com a governação dos últimos 12 anos, não adinata votar votar no BE, pois será um voto perdido.
    - Quem concordar com o actual estado de coisas,votará no original e não na cópia...

    Parabésm BE/Évora. Agora tornaram tudo muito mais claro.

    ResponderEliminar
  22. Palhaços. Será influência dos pins?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixa os PIMs de fora disto, por favor. No tempo em que os PIMs apoiavam ou protagonizavam a candidatura do BE havia certamente divergências e picardias com a CDU. Mas fretes ao PS não.

      Eliminar
    2. belos tempos
      onde niguem levava a serio o BE...
      dava-tegeito..mas PIM
      esse BE já não existe, para mal dos teus pecados

      Eliminar
    3. Qual é o BE que já não existe?

      Eliminar
  23. Caros amigos de esquerda, a coisa ficou (muito) mais clara:

    Quem concorda com a governação dos útimos 12 anos, vota PS!
    Quem não concorda, vota CDU.

    Votar BE é um voto envergonhado no PS que não serve para nada. É um voto perdido!

    ResponderEliminar
  24. Movimento Bloco Revolução Branca de Esquerda...

    Rostos diferentes, uma mesma concepção sobre o exercício dos direitos políticos, uma mesma vontade de limitar a democracia e desvalorizar do voto popular, a mesma forma de agir.

    Duas faces, a mesma moeda?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao menos os da Revolução Branca não se fazem passar por esquerda.

      Eliminar
  25. O PC em Évora aposta na bipolarização que critica a nível nacional? Quando for das legislativas falamos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E, pelos vistos, o BE acabou de lhes dar um forte argumento para justificar essa bipolarização.
      Já tenho assistido a alguns tiros nos pés. Mas como este ainda não tinha visto.
      A esta hora PS e CDU devem estar a esfregar a mãos de contentes. E, se a interpetação do TC, for contrária à do BE então é que o desastre vai ser lindo.

      Eliminar
  26. O BE é o braço escondido do PS. Para o trabalho sujo. Espero que os Eborenses lhes dêem uma lição.

    ResponderEliminar
  27. É o desespero total dos camaradas do PCP. Em quatro anos viram a a sua base de apoio diminuir drasticamente e agora querem culpabilizar o Bloco de Esquerda pelo desastre que se anuncia para as suas listas. Paciência, meus caros. Vocês são os obreiros da vossa própria derrota. Em vez de alargarem o espaço de influência, por sectarismo e falta de visão, estão hoje reduzidos a pouco mais do que o grupo que participa nas vossas reuniões. 29 de Setembro mostrará o vosso peso real - e espero que na Rua de Avis rolem as cabeças dos responsáveis por este atavismo estratégico que tomou conta do PCP nestes últimos anos aqui em Évora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao contrário.
      Esta decisão do Bloco de Esquerda vai ser um importante contributo para o reforço da votação na CDU no próximo dia 29 de Setembro.
      Creio mesmo que, se a CDU ganhar, terá de agradecer ao BE. Melhor que isto era impossível.

      Eliminar
  28. Cá pra mim isto foi influência da Semana dos Palhaços!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eh pá, deixa lá os PIMs. Não têm nada a ver com isto.

      Eliminar
    2. Ninguém falou dos PIM, mas na na influência da semana dos Palhaços. é que se nào foi dos palhaços, não percebo o que foi.

      Eliminar
  29. Vai ser isto a campanha do BE? Pois para quem não tem ideias próprias não resta grande coisa a fazer se não tentar desviar atenção...política baixinha...

    ResponderEliminar
  30. A campanha do PC é só isto? Bem me parecia o vazio de ideias e de projecto para terem que ir buscar o Pinto Sá.

    ResponderEliminar
  31. Os que pensam que esta decisão prejudica a votação na CDU estão redondamente enganados.
    Ao contrário, julgo que ela favorece a votação na CDU aumentando-lhe as hipóteses de vitória no próximo dia 29 de Setembro.

    Por duas razões:

    A primeira, mais óbvia, porque estanca a mudança de uma parte do eleitorado da CDU, atraído pela suposta modernidade do BE;

    A segunda porque, esta demarcação do BE, concitará a simpatia de um grupo central do eleitorado eborense, cujo voto transita entre PS e PSD e, às vezes, em eleições locais, a CDU. É afinal este sector eleitoral (com cerca de 2/3 mil eleitores) que vai decidir quem ganha as próximas eleições. E esta decisão do BE torna mais fácil o trabalho da CDU em captar o voto desses eleitores.

    ResponderEliminar
  32. "Anónimo07 Agosto, 2013 00:18"

    Pelo que vejo capacidade de argumentação não abunda para esses lados...

    ResponderEliminar
  33. O Partido Comunista demonstrou exatamente ser da mesma massa que dos outros partido que tanto critica: Poder pelo Poder e a qualquer preço. Se nunca o poderão fazer no poder central - por razões ideológicas nunca serão eleitos pelo povo - podem-no e desejam-no fazer a nível local. O Caciquismo local não tem fim, mesmo à esquerda da esquerda.

    Só assim se explica porque é que o Pinto de Sá se despediu dos Montemorenses que o elegeram para cumprir até ao fim, alegando umas desculpas que se sabem hoje serem do mais esfarrapado, roçando o embuste. A ideia, era mesmo fazer ascender uma pessoa desconhecia em Montemor, não sujeita ao escrutínio.

    A mentira tem perna curta, e Pinto de Sá não merece ser presidente da câmara de Évora por falta de ética. Infelizmente não é só ele a agir desta maneira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «A ideia, era mesmo fazer ascender uma pessoa desconhecia em Montemor, não sujeita ao escrutínio...»
      Basta esta frase para perceber toda a mistificação do argumento. Como se a eleição para a Câmara Municipal não fosse feita em lista. Como se o voto fosse apenas num dos candidatos. Como se a eleição para as CM fosse equivalente à eleição para PR.
      Uma tristeza de argumentos, para tentar disfarçar a mediocridade de outros...

      Eliminar
  34. Não percebo o porquê de tanta conversa. Em Évora, o BE vale 700 votos (742 em 2009). Acham que estes votos poderiam ser da CDU? Não me parece. Se o BE não concorresse, a grande maioria desses votos iriam para o PS ou para a abstenção. Quem conhece as pessoas que gravitam em torno do bloco (trânsfugas dos antigos partidos da "estrema esquerda" e de franjas do PS) sabe perfeitamente que eles nunca votaram, nem nunca votarão, em nada em que o PCP esteja envolvido. Faz parte da sua própria natureza.
    Portanto, repito, penso que a candidatura do BE não fará grande mossa à CDU.

    ResponderEliminar
  35. Melgão ou Pinto de Sá? Um deles será o próximo presidente da câmara. O resto são fogachos para entreter o pagode.

    ResponderEliminar
  36. É estranho, olhar para tantos comentários que nada dizem.E são anónimos, porque quem os faz, falta-lhe a capacidade intelectual de discernir e apontar ideias.Ficam pelo vazio da calúnia que se resume ao "o BE é mau a CDU é que é boa" e vice-versa.
    Será que tais comentários influenciam os eleitores? Parece-me muito bem que não.

    António Gomes

    ResponderEliminar
  37. @09:28

    É isso mesmo. A escolha é essa. Eu, por mim, já escolhi.

    ResponderEliminar
  38. @06:52
    "A ideia, era mesmo fazer ascender uma pessoa desconhecia em Montemor, não sujeita ao escrutínio."
    Não sujeita a escrutínio? És parvo ou quê?

    ResponderEliminar
  39. Este comunicado do “Secretariado da Comissão Coordenadora Distrital de Évora do Bloco de Esquerda” tem apenas um objectivo: mostrar que existe. Porque naquilo que interessa aos eborenses, ninguém conhece uma posição ou uma alternativa proposta pelo BE.

    A câmara está em desequilíbrio financeiro estrutural (falida)! Ou que disse ou diz o BE?
    A câmara está impedida de obter fundos comunitários por falta de capacidade financeira para suportar a comparticipação (como aconteceu na Acrópole XXI)! O que disse ou diz o BE?
    A câmara está a pagar indemnizações a um empreiteiro a quem adjudicou a obra de uma estrada, por não ter dinheiro para adquiri os terrenos! O que disse ou diz o BE?
    A câmara está um caos organizativo, em grande parte devido a DUAS restruturações PS! O que disse ou diz o BE?
    A câmara coloca tapumes, para fingir que iniciou obras e enganar os eborenses! O que disse ou diz o BE?

    NADA!
    O BE não tem nada para dizer aos eborenses.
    E é por isso que na próxima eleição o BE, entretido com questiúnculas de lana caprina, continuará a ter a representação que merece.

    ResponderEliminar
  40. O BE requereu a impugnação de todas as candidaturas que se encontrem nas mesmas condições da candidatura da CDU à CME.
    Fê-lo em consciência e em consequência da sua interpretação da lei. Se as referidas candidaturas avançam ou não só depende do poder judicial.
    Reduzir esta questão a um suposto ataque à CDU em Évora é uma extrapolação que não pode ser feita.
    Existe uma lei (boa ou má) que intenta impedir a perpetuação de um indivíduo no mesmo cargo, essa lei está em vigor, logo terá de ser aplicada, como não vivemos num mundo a preto e branco, várias interpretações são possíveis, esta é a do BE.
    Pessoalmente, concordo com esta visão. Quando a lei foi redigida, não existiam ainda "profissionais" autárquicos a saltar de uma presidência de câmara no norte para outra no extremo sul do país, facto inadmissível à luz de uma lógica republicana e democrática. Não sendo o caso do cabeça de lista da CDU (admito-o sem qualquer problema) é no entanto uma realidade que todos conhecemos.
    Não se podem - num regime democrático - criar excepções, daí que se se impugna uma candidatura, todas as outras que padeçam do mesmo vício terão de ser impugnadas.
    Não sendo os votos de nenhum partido, mas dos eleitores e, sendo os programas resultado de um trabalho colectivo, caso a tese defendida pelo BE seja positivamente acolhida pelos tribunais competentes, não será certamente um drama para a CDU avançar com outro nome para encabeçar a lista.
    Os munícipes saberão certamente escolher quem querem para liderar a Câmara...

    ResponderEliminar
  41. Ai comunas que saltam quem nem baratas em chapa quente.

    ResponderEliminar
  42. António Viana07 agosto, 2013 10:22

    O BE quer impedir-me de votar no candidato em que eu quero votar? Com que direito? Não devem ser os eleitores a fazerem a sua opção de voto? Se não gosto ou não concordo com uma candidatura tenho todo o direito de votar noutro candidato ou não votar em nenhum. Mas a opção é minha. Não é dos iluminados do BE.
    Que conceito de democracia mais tortuoso.

    ResponderEliminar
  43. Mas esta gente , de um e de outro lado, não saberá fazer mais nada do que estas politiquices. Alguém ainda vai votar nestes cromos? Parecem lobos ávidos de poder e de sangue.

    ResponderEliminar
  44. O Tribunal é que te vai impedir de votar no candidato que o teu partido obrigou, à margem da lei e conivente com o PSD, numa santa aliança, a candidatar-se. O partido uber alles.

    ResponderEliminar
  45. Deixem lá. São os 15 minutos de fama do BE em Évora. Depois desaparecem até às próximas eleições.

    ResponderEliminar
  46. Olha que não. Se o Melgão ganhar (o que tudo indica) e não abrir os cordões à bolsa para uns subsídiosinhos aos pins e afins, é vê-los a fazer umas "performances" na Praça do Sertório.

    ResponderEliminar
  47. Em Setembro temos duas escolhas: Ou PS ou CDU.
    Quem estiver contente com a situação vota PS!
    Quem quiser a mudança vota CDU!

    O resto é paisagem e tentativas, mais ou menos trapalhonas, de se porem em bicos de pés.

    ResponderEliminar
  48. Em 29 de Setembro a escolha faz-se entre o PS e um cheque em branco ao PCP para voltar aos tempos em que tudo era decidido em Lisboa pelo Comité Central, o que aconteceu logo a começar com a candidatura do Pinto de Lá que quer vir para Cá!
    O Bloco de Esquerda fez o que tinha a fazer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Segundo o Ernesto, decidido em Lisboa pelo comité central PS, foi a entrega das águas municipais a intereses estranhos ao municipio. Decisão que está a custar aos eborenses 4,5 milhões de euros de prejuízo todos os anos.

      Essa vai ser também uma das razões da escolha em 29 de Setembro!

      Eliminar
  49. Em quantas autarquias governa actualmente o BE?
    E em quantas vai ficar a governar após as eleições de 29 de Setembro?

    Será qualquer coisa próxima do ZERO, não?
    É que se for, já percebi que objectivos eles querem atingir com esta posição estapafúrdia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece-me que alguns estão bastante mais preocupados se perderem uma autarquia do que os outros ganharem uma

      Eliminar
  50. O BE deu um tiro nas patas... Devia ter estado quietinho.

    ResponderEliminar
  51. Com esta decisão absurda e hostil o BE, que podia ambicionar captar votos nas franjas descontentes do eleitorado CDU e PS, e eventualmente eleger mais um ou dois representantes na AM, afastou esses eleitores e vai ter dificuldades até em segurar os 700 votos que teve em 2009.
    Com esta acção colocam-se ao nível do Movimento Revolução Branca, e, sinceramente, não percebo o que pensam ganhar com isto.

    ResponderEliminar
  52. DIZ-ME QUEM TE ELOGIA, DIR-TE-EI QUEM ÉS?...

    «Acho que o BE só foi coerente consigo mesmo quando avisou que impugnaria candidaturas de Presidentes de Câmara em limite de mandatos. É o caso do candidato dos comunistas em Évora, que resignou à Presidência da Câmara de Montemor precisamente porque já não se podia candidatar mais aí. É indiferente que os comunistas insistam no candidato de Montemor, até porque o eleitorado do PC é fiel e votará em qualquer candidato que se lhes apresente. Mas não deixa de ser uma tentativa de contornar uma lei que visa impedir a eternização de velhos dinossauros no poder.»

    Francisco da Costa, secretário de Melgão

    ResponderEliminar
  53. Parece que para Elvas e Beja esse argumento já não é válido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem para a Horta das Figueiras.

      Eliminar
  54. Tanta casa sem gente e tanta gente sem casa.
    O PCP e o BE a matarem-se por meia dúzia de votos de gente tonta e alienada que é quem neles vota.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gente tonta e alienada há em muitas casas.
      E, o pior, é que em algumas dessas casas parece não haver espelhos. Ou, pelo menos, alguns desses tontos e alienados, não olham para o espelho, tão entretidos que andam a acusar outros tontos e alienados...
      E, ainda pior, é que alguns desses tontos e alienados, ocupam cargos de poder. E o resultado está bem à vista de todos.

      Eliminar
  55. O BE em évora está mais forte... Nota-se pelos comentários. Esta decisão foi nacional, mas o que realmente mete medo a muitos é a riqueza das pessoas e do programa que está a ser elaborada. Programa participado, junto dos eborenses. Trabalho de qualidade. Muito bem BE

    ResponderEliminar
  56. Não fumes isso que te faz mal.

    ResponderEliminar
  57. Belo tiro nas patas sim senhor.

    Achar que podem impedir quem quer que seja de votar em quem quiser é que está a dar pois de outra forma não há eleições democraticas.
    Esta posição é do mais anti democratico que há
    Continuem a fazer fretes continuem e em especial em Évora

    Belo tiro nas patas muchachos

    ResponderEliminar
  58. O BE no seu melhor ! Este comunicado revela uma pobreza de espírito atroz. Então alguém que se candidata, que vai a eleições, que se submete ao escrutínio dos seus concidadãos mantem-se vitaliciamente num cargo? Oh intelectuais da treta, sempre tão arrogantes, que nem um argumentário convincente conseguiram apresentar.
    Eu nunca pensei voltar a votar no PS como fiz em 2001, nestas eleições ponderava votar BE, neste momento já recuei a toda a velocidade. O meu voto vai para Pinto de Sá porque estou convencida que o Tribunal Constitucional irá demonstrar que a lei de limitação dos mandatos não serve.
    Nunca pensei ver o BE descer tão baixo e sem argumentos capazes de saírem do espírito de uma lei claramente socialista que visou açambarcar mais autarquias para termos um país à semelhança da AR : ora rosa ora laranja... O BE não viu isto ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Eu nunca pensei voltar a votar no PS como fiz em 2001, nestas eleições ponderava votar BE, neste momento já recuei a toda a velocidade. O meu voto vai para Pinto de Sá porque estou convencida que o Tribunal Constitucional irá demonstrar que a lei de limitação dos mandatos não serve"

      Nunca vi tanta confusão junta de uma vez só na cabeça de alguém plena das suas faculdades.
      Nem votou PS nunca na vida, jamais ponderou votar Bloco e nunca votaria no Pinto de Sá por "birra" mas sim no PCP por convicção.

      Eliminar
    2. @09:41
      Pois olha que eu sou mais um dos que estava dividido entre o voto na CDU ou no BE e, agora fiquei esclarecido. O BE comportou-se como um grupelho de garotos traquinas, que confunde o cu com as calças. E por isso bye bye…

      Eliminar
  59. O BE ficou órfão desde que Francisco Louçã saiu da ribalta. Mais aflito ficou com a criação de um novo partido impulsionado pelos dissidentes. Esta impugnação visa apenas obter 5 minutos de fama nos noticiários. É o desespero total de um partido que se fragmenta a cada dia que passa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Louçã é um brilhante politico, um professor catedrático reconhecido internacionalmente e um fantástico comentador politico. Nunca abdicou de participar cívica e ativamente nas iniciativas do Bloco.
      O bloco de esquerda é o partido da assembleia da república que mais iniciativas tem anualmente além de ter conquistado mais representatividade parlamentar Europeia que outras forças.
      Não precisa de se por em bicos de pés para se fazer ouvir porque pode democraticamente fazer-se ouvir normalmente
      Ao contrário de outras partido que se não mudam de liderança, ela mudará mas por dedo no ar.

      Não estou a ver razão para tanto nervosinho miudinho no outro lado do muro...

      Eliminar
  60. Sondagem Autárquicas 2013 http://bit.ly/15LMF0V

    ResponderEliminar
  61. "Eu nunca pensei voltar a votar no PS como fiz em 2001, nestas eleições ponderava votar BE, neste momento já recuei a toda a velocidade. O meu voto vai para Pinto de Sá porque estou convencida que o Tribunal Constitucional irá demonstrar que a lei de limitação dos mandatos não serve"
    Acha que engana alguém?
    Está convicta que as pessoas são estúpidas?
    Pinto de Sá? Não quererá dizer CDU?
    E Palmela? E Setúbal?
    O que tem a dizer destas revolucionárias coligações?
    Serão um serviço prestado à esquerda? Uma atitude coerente?
    Assuma-se! De certeza que nunca votou PS e de certeza que nunca lhe passou pela cabeça votar BE!
    Apeteceu-lhe largar estas patacoadas, poderiam ser outras quaisquer, foram estas...
    Ainda por cima vai votar Pinto de Sá, não pelo programa apresentado, não porque se identifica com a coligação que ele integra, mas porque - pasme-se - a lei de limitação de mandatos não serve...
    Se o Francisco Louçã continuasse na ribalta, e se candidatasse por Évora...
    Azar...

    ResponderEliminar
  62. Gosto de ver a malta da CDU a fingir que estava divida no voto... Não sejam idiotas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E, palpita-me, ainda vais "gostar" mais daqui a uns dias...

      Eliminar
    2. O que é estar em divida no voto? Mas afinal quem é que é idiota?

      Eliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.