quarta-feira, 3 de julho de 2013

Tão amigos que eles se mostravam

... e agora prolongam este espectáculo deprimente de cada um tentar responsabilizar mais o outro pela situação para que atiraram o país, primeiro, e, agora, o governo... O empate será o resultado mais justo...

22 comentários:

  1. ASSERTIVIDADE REVOLUCIONÁRIA


    menos PREMONIÇÕES

    mais PREMUNIÇÕES

    ResponderEliminar
  2. A comunalha anda feliz da vida. Não lhes interessa que Portugal fique na merda. Interessa sim é que a Direita não tenha poder!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema está colocado ao contrário.
      O problema é que o país JÁ está na MERDA graças às políticas de direita do PS/PSD/CDS, e não devido àquilo que a comunalha pensa.
      O problema, há que dizê-lo, está nos governos corruptos e incompetentes que conduziram o país para o fundo do buraco onde se encontra.

      E para mudar isto, precisamos de um novo 25 de Abril. Mas, agora, a sério.

      Eliminar
    2. E o que espera que saia desse novo e "a sério" 25 de Abril? É que uma revolução não muda mentalidades!

      Eliminar
    3. Desse 25 de Abril, a sério, espero um regime em que TODOS os que tenham algo a dizer sejam escutados. Espero um regime que não promova a CORRUPÇÃO e o COMPADRIO, mas que promova a Justiça e a Igualdade de oportunidades.
      Espero um regime em que os jovens possam trabalhar sem serem obrigados a emigrar.
      Espero um regime que saiba aproveitar as nossas potencialidades: na Agricultura, nas Pescas, na Industria, nos Transportes marítimos, nas Minas, etc. etc., em vez do abandono a que o país foi votado nos últimos 30 anos.
      Espero um regime que promova e tenha orgulho na INDEPENDÊNCIA NACIONAL, em vez de andar de cócoras como um pedinte à procura de esmolas.
      Etc. etc. etc.

      Eliminar
    4. Espera isso tudo de um novo "a sério" 25 de Abril? Por artes mágicas apaga o passado? Um novo 25 de Abril acaba com a corrupção? Como? Acaba com o compadrio? De que forma? Conhece algum país onde isso tenha acontecido?

      Eliminar
    5. Combater a CORRUPÇÃO e o COMPADRIO é uma das necessidades do país. E isso não é possível com a Corja que está no poder há mais 30 anos. Esses deixaram esvair por entre os dedos, milhões e milhões de euros que cá chegaram todos os dias, para alimentar a Corrupção e os Compadres.
      Sem um novo 25 de Abril que arrede a CORJA corrupta, não há saída para este rectângulo à beira mar plantado, como país autónomo e independente.
      Claro que, para quem defende Portugal como uma província de Espanha ou uma colónia alemã, deve continuar a apoiar a CORJA! Mas, depois, não se queixem se o Povo lhes fizer o que fez aos Condes Andeiros e aos Migueis de Vasconcelos…

      Eliminar
    6. Portanto não conseguiu responder às questões! Ou seja, o seu discurso não passa de pura demagogia!

      Eliminar
    7. Lá porque a resposta não te agradou, não deves concluir que há falta de resposta. E a resposta está bem clara: É PRECISO CORRER COM A CORJA que nos desgoverna há mais de 30 anos!

      Eliminar
    8. Sim, e como é que um novo 25 de Abril te garante que corre com a corja e coloca gente séria no poder? Explica lá isso? Onde é que esse teu 25 de Abril mágico resolveu os problemas de corrupção? Deve ter sido em Cuba...

      Eliminar
    9. Porque um 25 de Abril, só será a SÉRIO, se correr com a CORJA. Se a mantiver como está não servirá para nada.
      (PS: nem precisavas de recorrer à cassete, pois já se tinha percebido quais os teus interesses na preservação da CORJA)

      Eliminar
    10. Mas continuas sem conseguir responder como é que isso acontece! Quem vai para o poder? Homens e mulheres escolhidos por ti? Se não são só esses como sabes que não são corruptos? Apresentam certificado? E quem os elege? o Povo? O mesmo povo que tem votado nesta corja ao longo dos anos? Ou arranjas outro povo?
      Explica lá como fazes essa magia??

      Eliminar
  3. Substituir uma corja por outra é solução?
    "Em cada revolucionário há sempre um Autocrata".

    Porque será que, quanto mais merda vejo no sistema que existe e que no fundo fomos nós TODOS que o alimentamos, menos gosto na única alternativa que existe, que são os regimes Socialista ou Comunista à la Bloco de Esquerda ou PCP?



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem falou em substituições de corjas?
      A substituição de uma corja por outra deve resultar do vício de 30 anos, em que vão tirando a corja PS para meter a corja PSD/CDS. Afinal, corjas ao serviço dos mesmos interesses.
      São essas corjas que têm de ser mandadas para a reforma…

      Eliminar
    2. Acho piada ao vosso facilitismo em tirar estes e por outros como quem escolhe produtos no supermercado! Estarão esquecidos de que é o povo que os elege? E que o tem feito, de forma livre, ao longo dos últimos, quase, 40 anos? Porque será que o povo, livre, sabendo que estes são corja, continua a não colocar o PCP e o BE como opções governativas?

      Eliminar
    3. Isso era o que diziam os NAZIS quando venceram as eleições na Alemanha, e apregoavam um regime para mil anos…
      Isso era que diziam os senhores da União Nacional, nas vésperas do 25 de Abril…
      Isso era o que dizia o PASOK da Grécia quando tinha percentagens de 50% e assim se julgavam até à eternidade…
      Porém, a vida tem mostrado, sobretudo em tempos de crise, de um momento para o outro o mundo pode dar uma grande volta…
      E são tempos de 'grandes voltas' aqueles que estamos a viver.

      Eliminar
    4. Já tivemos outros momentos de crise em Portugal! Não é a primeira vez que o FMI aqui entra! Já tivemos quedas de governos, dissoluções da AR e muitas outras coisas! E o que fez o povo? Voltou a votar nos mesmos! O povo, desde as primeiras eleições livres, vota sempre nos mesmos! Tal e qual como nas próximas votará no PS e teremos António José Seguro como primeiro-ministro do burgo! Mas, a meu ver, o povo tem o que merece. Uma colecção de primeiros-ministros vergonhosa. Do pior que existe na nossa praça!!! Mas...eleitos pelo povo, disso não tenhamos dúvidas!

      Eliminar
  4. "Em cada revolucionário há sempre um Autocrata".
    Se não houvesse revolucionários, ainda hoje estaríamos na pré-história ou em regime esclavagista.
    Quando as Corjas começam a governar exclusivamente para servir os interesses dos seus compadres e amigalhaços (como acontece em Portugal), mesmo que inconscientemente estão a alimentar a revolução e a criar os revolucionários que os irão apear do poder. É a lei da vida…

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto está muito previsível, como previsível é a saída de um Governo de Bloco Central das próximas eleições, num «remake», já há muito avistado por quem anda prevenido, do caso grego.
      Quanto a mim, venha ele e venha depressa: quanto mais cedo acabar esta contradança estapafúrdia em que PS e PSD fingem ser partidos diferentes para aplicarem sistematicamente o mesmo programa há 37 anos, melhor será para o povo, e mais depressa acaba este caminho insano rumo ao desastre nacional.

      Eliminar
    2. Mentira!

      Os revolucionários na politica acabaram todos em opressores. Do Fidel Castro, ao Coreano, passando por Augustos Pinochets! O Cunhal ou o PCP se um dia fossem governo, muita gente pediria exilio. Não emigrava mas fugia.

      Os únicos revolucionários decentes são ao nível das artes, ciências, etc.

      Eliminar
    3. É pá tem cuidado com as bebidas, porque aquilo que escreves só se entende se for consequência da ingestão de muito álcool ao almoço. Então essa de chamares revolucionário a Pinochet é de gritos!

      Eliminar
  5. Como já deu para perceber, este país é uma merda. No século XIX diriam "choldra", ou "piolheira". Neste, tempo de informalidades, "merda" é uma expressão leve.
    A dita "merda" de país não é uma evidência: vivemos relativamente bem, vivemos como nunca gerações anteriores nos últimos oito séculos tinham vivido. O Portugal é seguro, o sol brilha e há água nas torneiras e nos campos da canícula alentejana. Se formos para a estrada a aparência é ainda melhor: carros caros e autoestradas maravilhosas garantem a sensação de riqueza. E depois há sempre a famosa (em Portugal) comida portuguesa, que tanto nos distrai e anima.
    Posto isto: o Portugal deixa-nos tristes e apreensivos sobre o que aí vem. Há muitos milhares de milhões para cortar e potências externas a querer cobrar. Ninguém quer nem ninguém sabe fazer.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.