quarta-feira, 31 de julho de 2013

Para refrescar e amenizar a última tarde de Julho aqui no acincotons



Dedicado a todos os que escrevem, comentam, lêem, se irritam ou se alegram com o acincotons e que não ficam indiferentes. Bom resto de tarde!

5 comentários:

  1. E para quando uns postezitos sobre assuntos com REAL interesse para o futuro da cidade, tais como:

    - o prejuízo anual de 4,5 Milhões de euros suportado pela CME, por estar na Aguas do Centro Alentejo;

    - os aumentos de taxas e impostos municipais para suportar esse e outros prejuízos;

    - o previsível despedimento de funcionários municipais, para que a câmara possa suportar os encargos do PAEL;

    - a duplicação do número de técnicos superiores da CME nos últimos 12 anos, apesar de terem diminuído significativamente as quantidades de trabalho de certas áreas técnicas (obras e urbanismo);

    - a diminuição de dezenas de funcionários operacionais (sobretudo na higiene, limpeza e espaços verdes) com os resultados que se conhecem;

    - a incapacidade de recorrer ao próximo Quadro Comunitário de Apoio 2014-2020, por falta de capacidade financeira para pagar os 10% de comparticipação, tal como já aconteceu com a suspensão da parte municipal da Acrópole XXI.

    - etc., etc., etc.

    ResponderEliminar
  2. E já que o poste é sobre música :a má gestão do Eborae musica não podia também ser para aqui chamada?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depois de liquidarem a Academia de Música essa deve ser mais uma das associações que está na lista negra do PS, para acabar.
      A travessa da Alegria já não é a sede de um partido é a sede de uma organização especialista em terra queimada.

      Eliminar
    2. Foi-se a Academia de Música
      Foram-se os "Andanças"
      Foram os Cinemas
      Foi o Lusitano
      O Juventude vai a caminho
      O PIM diz estar de saída.
      ...
      Nesta terra de 'excelência' vai tudo por água abaixo.

      Eliminar
  3. Os concursos da GARTES este ano penalizaram enormemente as companhias e associações de Évora, a maior parte ficou mesmo sem subsídios. A Camara Municipal fez um concurso de atribuição de apoios, seguido de uma nota na qual informaram que não havia dinheiro e por tanto ninguém ia receber o que tinha sido atribuído. Estas duas acções consertadas levou imensa gente para o desemprego (para os que tinham direito a ele, a maioria trabalha a recibo verde e nem isso teve) colocando famílias inteiras à beira da miséria.
    Apesar disso As companhias e as associações continuam a fazer a programação agendada! Como perguntam? Sem os artistas receberem! Todos trabalham de borla! Ora vamos la ver ... alguém já viu o padeiro a dar o pão se não lho pagarmos? Ou o talhante a carne? Ou a classe de pedreiros a fazer casas de borla? Ou outros profissionais a trabalhar na sua profissão de graça? Eu nunca vi! Então porque cargas de agua esta classe a que pertenço trabalha de graça? Porque continuam a alimentar as actividades culturais das cidades e a proporcionar aos cidadãos espectáculos não pagos?
    A maior parte dos cidadãos quando se contam os subsídios aos artistas concordam, afinal andam segundo eles a pagar impostos para sustentar uma classe que nada faz! Então porque lhes damos espectáculos de borla? Porque os deixamos viver no melhor dos dois mundos - Em que não pagam subsídios e nem bilhetes?
    Podem depois disto bater-me a vontade, mas continuo a defender a mesma ideia se não há subsídios não há espectáculos de borla! Os artistas e todos os envolvidos nesta área comem, tem filhos, casas para pagar e deveriam ter dignidade! Por fim relembro a todos os artistas que as acções valem mas que mil palavras e talvez se esvaziássemos as cidades da culturas as pessoas dessem pela falta e estivessem ao nosso lado na luta por comparticipações estatais para a cultura!
    Lurdes

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.