quinta-feira, 4 de julho de 2013

O anti-midas


O principal responsável por este descalabro é, sem sombra de dúvidas, o eucalipto mor do poço de boliqueime.
Foi ele com a sua mentalidade de pato bravo, o seu horror a tudo o que é inovação, criatividade, cultura, diferença, que reduziu o país a uma lojeca de vão de escada em que as prateleiras se alugam para expor as inutilidades em saldo.
Foi ele que se rodeou de Ferreiras do Amaral, de Dias Loureiros e quejandos e que transformou a diversidade paisagística deste país num imenso painel de asfalto, de eucaliptos e de betão.
Foi ele que acabou com as pescas, com a agricultura, que deu a machadada final na ferrovia, que inundou a administração pública de ineptos com o cartão partidário, que estimulou a peregrina ideia do sucesso económico acima de todas as coisas, foi ele que distribuiu a esmo pelos seus compadres os fundos estruturais, foi ele que desvalorizou a educação, porque é inculto e burro e incapaz de compreender que só a educação e o contraste de ideias e a confrontação ideológica fazem um país avançar, foi ele que apostou na formação tipo linha de montagem porque os formados tem baias teóricas e quem tem essas palas não se mete no que desconhece e quem não se mete no que desconhece não questiona a indigência intelectual do poder.
Foi ele que promoveu os boys e as girls das juventudes partidárias que vêem a actividade política como um ofício bem remunerado e não como um serviço público.
foi ele que saiu juntamente com a sua Maria da montra da Lanalgo, com pés de gesso e risca ao lado e assombraram todos aqueles que não pautassem a sua vida por essa imensa e corrupta mediocridade que lhe dava jeito.
É ele que não sendo capaz de crescer, não sendo capaz de olhar para si sem um estremecimento de desconforto pelo que vê, se escuda na pasmaceira dos abranhos que se sustentam, sustentando a sua imensa, quase cósmica bolha de vaidade.
Ei-lo então ufano a assistir aos cinco suicídios por dia, à miséria, à fome das crianças e dos velhos, ao desemprego, ao sem sentido do dia a dia, sem comentar, sem agir, sem sequer se incomodar a olhar em volta.
Ele é o responsável! é ele o anti-midas que tocando o ouro que lhe dão para guardar, o transforma em merda.

04 Julho, 2013 15:07

23 comentários:

  1. A pior nódoa do país é esse cavalheiro,autêntico tomáz.

    ResponderEliminar
  2. Exmo.Senhor Presidente Anibal Cavaco Silva:

    Demita o governo,o seu silêncio é de cumplicidade com a situação gravissima que o país atravessa.Se não tem competência nem capacidade,DEMITA-SE.

    ResponderEliminar
  3. Com uma pequena alteração no perfil do gajo:
    Não foi ele que fez tudo isso.Foi ele que inerte,medonho de esclerose,insano e pasmado, fez tudo o que lhe pediram que fizesse, por ambicioso de chegar ao topo da hierarquia que a partir de Boliqueime lhe pareceu longínquo...
    Provinciano e pateta na versão de Pessoa.

    ResponderEliminar
  4. Sábado 15 Horas Lisboa Belem


    DEMISSÂO de PASSOS e CAVACO,JÀ.

    ResponderEliminar
  5. Não se esqueçam de quem negociou e assinou o Tratado de Adesão de Portugal à CEE.
    É lá que está definida a política de destruição da economia nacional, implementada pelos Governos de Cavaco, Guterres e seus sucedâneos...
    Está lá bem clara a divisão de trabalho na Europa, que nos deixa como função quase exclusiva o TURISMO!
    Pescas, Agricultura, Industria, Minas, etc., era para outros países que, diziam eles, produziam melhor e mais barato. Enquanto duraram os subsídios a fundo perdido foi-se vivendo e comendo sem perceber muito bem o que se estava a passar. O pior é agora, que o dinheiro da CEE está a acabar, e descobrimos que somos um país de serviços, obrigado a comprar a maior parte do que come.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é completamente assim.
      Os fundos eram destinados à modernização da economia, a reforçar a nossa competitividade, foram malbaratados, irresponsavelmente diga-se de passagem, não se apostou na produção de bens transaccionáveis e inventou-se essa ilusão do país de serviços, para disfarçar o cancro da corrupção... podíamos continuar a argumentar, mas todos sabemos bem demais o que se passou...

      Eliminar
    2. Fundos para deixar as terras ao abandono e fundos para abater barcos de pesca, foi o que se viu por aí durante vários anos.
      Quem quisesse substituir um barco velho por um barco de pesca novo, não tinha nem um escudo de subsídio. Para o destruir tinha e não era assim tão pouco...

      E tudo isso estava previsto no Tratado de Adesão. (que não foi negociado nem assinado pelo Cavaco Silva. Ele limitou-se a cumpri-lo)

      Eliminar
    3. pois...
      seguiu as instruções...

      Eliminar
    4. Seguiu as instruções evidentemente. Ou acaso defende que deveria ter rasgado o Tratado de Adesão, assinado uns meses antes por Mário Soares?

      Eliminar
  6. Seguiu as instruções evidentemente. Ou acaso defende que deveria ter rasgado o Tratado de Adesão, assinado uns meses antes por Mário Soares?

    ResponderEliminar
  7. Os senhores do BE chegam a ser engraçados pela forma como são selectivos em certas críticas que fazer à dita direita.
    Esquecem é quase sempre os anos em que a dita esquerda lá esteve e fez a mesma merda que a dita direita.

    Mário Soares negociou e assinou o tratado de Adesão á CEE, que transformou Portugal num país de serviços e turismo, mas isso não interessa nada...

    Guterres governou entre 1995 e 2002 (7 anos), meteu o país na embrulhada do Euro, uma moeda forte equivalente ao Marco alemão, para a qual o pais não estava preparado. E a prova é que desde aí, a economia alternou a estagnação com a recessão, mas isso também não interessa nada...

    Sócrates governou ente 2005 e 2010 (5 anos) hipotecou o país até à geração dos nossos netos, em PPP’s, em SWAP’s, em nacionalizações dos prejuízos do BPN e BPP (por acaso com o voto favorável do BE) em investimentos ruinosos e inúteis que colocaram a dívida em quase 120% do PIB, mas isso também não interessa nada…

    O que interessa é que, para o BE, o culpado de tudo é o Cavaco Silva.

    ResponderEliminar
  8. O Miguel Sampaio regressou ao Blog?
    Não era uma saída irrevogável?

    Mas fico contente com o regresso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não.
      Limitei-me a comentar um post.
      Irrevogável, meu caro amigo (penso que sei de quem se trata) só mesmo a morte eheheh.
      mas não faço tenção de voltar.

      Eliminar
  9. Eu não sou o BE, sou eu, repondo por mim.
    Não digo que o actual Presidente seja o exclusivo culpado, digo que ele é o principal responsável, tampouco defendo Mário Soares ou quem quer que seja.
    limitei-me a dar a minha opinião acerca de Cavaco Silva, se quisesse dar acerca de Mário soares, ou Durão Barroso, ou Santana Lopes, ou Sócrates, ou Guterres, fá-lo-ia.
    Falei sobre Cavaco porque entendo que ele é de longe o pior dos piores, apenas isso.

    ResponderEliminar
  10. Bravo Miguel! Foi realmente ele que começou este descalabro! E continua... Mas foi o Povo Português que o elegeu por quase 20 anos!
    Lurdes

    ResponderEliminar
  11. Parece-me que por aqui ninguém leu o Tratado de Adesão de Portugal à CEE.
    Ou então pensam que quem o negociou e assinou foi o Cavaco Silva. Só pode ser isso...

    ResponderEliminar
  12. E, pelos vistos, também já não se lembram quem touxe a Troika e quem negociou com ela o MEMORANDO que agora ninguém quer.
    Só poder ser falta de memória...

    ResponderEliminar
  13. Estes comentadores são um espetáculo!!

    Têm que me dizer quais os parágrafos no tratado de adesão à CEE onde diz que Portugal tinha que acabar com a agricultura ou a industria, e dedicar-se exclusivamente aos serviços e à construção de estradas e pontes sem carros ou pré projetos de TGV's (milhões pro lixo) que nunca saíram do papel.

    Cavaco?
    Foi de longe a maior nódoa da democracia. Mas as ideias comunistas das nacionalizações (levadas a peito pelo PS e pelo PCP com a abstenção do PSD) de tudo quanto mexia - chegou-se ao ridículo de haver barbearias nacionalizadas!! - foram prejudiciais logo a seguir.
    A ideias comunistas de porem os trabalhadores (normalmente os lacais da extrema esquerda) a mandar, correndo com padrões e outros que eles juravam ser fascistas, conseguiram acabar com a siderurgia e a industria química. Por exemplo.

    Ninguém aqui está isento de culpas nesta desgraça de país. Todos sabem muito. Têm muito patuá e béque béque. Rachadores de lenha por fora. Mas quando chega a hora de mostrar, é basicamente tudo inútil.

    ResponderEliminar
  14. «Têm que me dizer quais os parágrafos no tratado de adesão à CEE onde diz que Portugal tinha que acabar com a agricultura ou a industria, e dedicar-se exclusivamente aos serviços...»

    Não há obviamente nenhum parágrafo a falar em "acabar" o que quer que seja. Mas se prestar atenção, por um lado, às "quotas" que foram impostas nas Pescas e na produção agrícola, e por outro à imposição da "liberalização" a certos sectores da produção nacional (não preparados para concorrer com a Europa central e até com a vizinha Espanha), como a indústria pesada ou os transportes marítimos, perceberá que isso implicaria a prazo a aniquilação desses sectores. E por isso ficamos sem siderurgia, sem os transportes marítimos e consequentemente sem a Lisnave e (quase) sem Setenave, sem Agricultura, sem Pescas, etc. etc. etc., e só nos restou o TURISMO, que é bem muito bem vindo, mas não chega.

    Ora tudo isto, encontra a sua génese no Tratado de Adesão de Portugal à CEE. Negociado e assinado pelo Cavaco Silva como não podia deixar de ser, para certos espíritos vesgos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diga-me lá onde estão escritas as cotas PUPÈRRIMAS de pescas e agricultura no tratado de adesão à CEE!
      Se me disser que, os governos de Cavaco ou o Guterres tiveram MEDO (ou falta de poder argumentativo) de negociar com a CEE essas cotas, ao contrário dos Espanhóis, é outra questão!

      Liberalização. Muito bem. Era um desafio e Portugal perdeu porque não se preparou e esturrou tudo em inutilidades. O país (os Portugueses duma maneira geral) em vez de se instruir, tornou-se pindérico.
      Ao contrário dos Países de Leste (como a Rep. Checa ou a Eslováquia) ou da Irlanda (que apesar da crise está melhor preparada para sair dela que Portugal ou Grécia) que assinaram tratados IGUAIS. Estes abdicaram do NOVO RIQUISMO que se banalizou transversalmente em toda a sociedade Portuguesa, e optaram por dar mais e melhor Educação ao Povo. "Aprenderam" as regras da Europa e integraram-se.
      O Liberalismo (bom ou mau, não interessa aqui agora discutir) é a regra no mundo ocidental onde nos inserimos. Ou entendemos a Sociedade que nos rodeia ou seremos eternos inadaptados.
      Não duvido que, no mar de podridão em que nos encontramos atualmente, foi de longe a melhor coisa que nos aconteceu: Entrar na CEE.
      O Problema é que nós Portugueses não aprendemos coisa nenhuma nestes 20 anos e acabamos sempre por escolher os piores (andamos aqui uma vida a passar cheques em branco) para governar isto.

      Eliminar
  15. Diga-me lá onde estão escritas as cotas PUPÈRRIMAS de pescas e agricultura no tratado de adesão à CEE!
    Se me disser que, os governos de Cavaco ou o Guterres tiveram MEDO (ou falta de poder argumentativo) de negociar com a CEE essas cotas, ao contrário dos Espanhóis, é outra questão!

    Liberalização. Muito bem. Era um desafio e Portugal perdeu porque não se preparou e esturrou tudo em inutilidades. O país (os Portugueses duma maneira geral) em vez de se instruir, tornou-se pindérico.
    Ao contrário dos Países de Leste (como a Rep. Checa ou a Eslováquia) ou da Irlanda (que apesar da crise está melhor preparada para sair dela que Portugal ou Grécia) que assinaram tratados IGUAIS. Estes abdicaram do NOVO RIQUISMO que se banalizou transversalmente em toda a sociedade Portuguesa, e optaram por dar mais e melhor Educação ao Povo. "Aprenderam" as regras da Europa e integraram-se.
    O Liberalismo (bom ou mau, não interessa aqui agora discutir) é a regra no mundo ocidental onde nos inserimos. Ou entendemos a Sociedade que nos rodeia ou seremos eternos inadaptados.
    Não duvido que, no mar de podridão em que nos encontramos atualmente, foi de longe a melhor coisa que nos aconteceu: Entrar na CEE.
    O Problema é que nós Portugueses não aprendemos coisa nenhuma nestes 20 anos e acabamos sempre por escolher os piores (andamos aqui uma vida a passar cheques em branco) para governar isto.

    ResponderEliminar
  16. Oh Sampaio vai terminar a licenciatura. Deixa-te de politicas que nao tens cabeça para isso

    ResponderEliminar
  17. Anónimo 05 Julho, 2013 20:24

    E tu és licenciado? Com tão fraco comentário, deves é ser analfabeto.
    Parece que não tens mesmo, mais nada para dizer.
    De política, como analfabeto que és, também, nada deves saber.

    O ANONIMATO CONTINUA. VIVA O ANONIMATO!!!

    António Gomes

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.