quinta-feira, 11 de julho de 2013

FEA: "O desrespeito à Universidade na pessoa do seu Reitor, consubstancia uma situação INTOLERÁVEL!"


Ocorreu hoje, 11 de Julho, a inauguração do Fórum Eugénio de Almeida ou, talvez, a inauguração do Palácio da Inquisição após as obras de requalificação de que foi objecto, e para cuja realização a Universidade de Évora contribui como membro institucional do Conselho de Administração da Fundação. A sessão decorreu na Sala do Tribunal do Santo Ofício que para muitos de nós, felizmente, não encerra outra senão a memória saudosa das aulas aí leccionadas. É inquestionável a qualidade da intervenção arquitectónica e a excelência da exposição de pintura com que se inaugura o novo equipamento cultural da cidade de Évora. 
Todavia, para uma minoria dos presentes, a sessão ficou ensombrada. Com efeito, pela primeira vez, se a memória me não atraiçoa, numa sessão pública na cidade, com a importância institucional, social e cultural de que aquela se revestia, não houve uma referência à Universidade. Nenhum dos três intervenientes, o Presidente do Conselho de Administração da Fundação, o Presidente da CCDRA e o Presidente da Câmara Municipal, nomeou o Reitor ou referiu a quota-parte da UÉ no sucesso económico da FEA, o qual suporta financeiramente como se sabe, as missões social e cultural de que a FEA, a justo título, se vangloria. 
Para além do Sr. Arcebispo, a Universidade de Évora é o único membro institucional laico do Conselho de Administração da FEA e, nessa função, tem contribuído com sageza e determinação para a paz institucional, para o equilíbrio das decisões e para o progresso da Fundação. Importa recordar, sobretudo para as novas gerações, de que a excelência enológica da Fundação Eugénio de Almeida tem, na sua génese, directa e indirectamente, a investigação e a experimentação levadas a cabo na UÉ, nomeadamente pelos saudosos Eng.º Colaço do Rosário e Prof. João Antero Araújo. 
Acresce que a Comissária cultural do Fórum é Professora catedrática da UÉ e 16 dos trabalhos expostos são da autoria de docentes e de alunos da Escola de Artes.
Se a Escola é o berçário de uma Nação, a Universidade é espaço e o tempo em que os cidadãos adquirem as mais avançadas competências para o exercício pleno da cidadania, mas também a instituição de quem as Regiões e o País esperam um forte contributo para o desenvolvimento sociocultural, para a inovação tecnológica e a competitividade económica; em suma, para o progresso. Por isso todas as Regiões pugnaram por ter uma Universidade e o Alentejo, não foi excepção.
Então, por que se esquecem os mais responsáveis dirigentes da Região de destacar a Universidade de Évora, na pessoa do seu Reitor, da miríade de outras instituições? A resposta só pode ser uma: porque a Universidade de Évora se apaga como um couto de vela, se deixa resvalar para a irrelevância; porque permite que esfume a sua imagem no imaginário dos cidadãos.
Meus caros amigos, estudantes, funcionários e docentes, o desrespeito à Universidade na pessoa do seu Reitor, consubstancia uma situação INTOLERÁVEL!

Jorge Araújo (aqui)

22 comentários:

  1. Aqui esta o Mário Soares de Evora que nao se quer reformar, ressabiado porque o ps nao o escolheu para ser cabeça de lista à cme, e escolheu um Zé pequeno e insignificante, em vez deste brilhante catedrático que arruinou financeiramente a universidade. Ora, estando a cme arruinada, qual poderia ser o seu contributo,,nesta fase?

    ResponderEliminar
  2. Parece-me um abuso comparar o JA ao Mário Soares. Embora tendo muita coisa em comum, o Mário Soares teve dignidade e postura nas funções desempenhadas. Já JA se serviu do cargo de Reitor da Universidade de Évora para mesquinhas vinganças e aproveitamentos pessoais ou de grupos. Mas reconheço-lhe a razão no papel da Universidade de Évora relativamente à FEA. Mas, mutatis mutandis, houve outros reitores além de JA e houve outra importância assumida pela UE na cidade de Évora.

    Em nada se justifica a arrogância com que tantas vezes se justifica ou enquadra a FEA na nossa vida social.

    ResponderEliminar
  3. Universidade de Évora?

    Contribui exatamente em quê para o desenvolvimento económico da região? Que fez a Universidade de Évora a bem da região, que contribuísse para que Évora ou o Alentejo saltassem do fosso das regiões mais pobres e deprimidas das Europa?
    Que tecnologias com importância vital ou fundamental desenvolve?

    Esta UE comparativamente com Aveiro ou Braga (so um exemplo), é uma escola de trabalhos manuais arcaica.

    ResponderEliminar
  4. A Universidade está nas mãos de umas gaiatas licenciadas ,Arrogantes,subiram sem saber como,a maioria das chefias são INCOMPETENTES.

    ResponderEliminar
  5. António Serrano vai anunciar a candidatura.

    ResponderEliminar
  6. Balbina e Tarbé duas NÓDOAS da Universidade.

    ResponderEliminar
  7. Sobre a qualidade da Universidade de Évora (ou da falta dela) recordo-me quando, no final da década de 90, as Universidades portuguesas (e as Cidades e as Regiões) lutavam por ter uma Faculdade de Medicina entre os seus cursos.
    Era Reitor da UE o senhor Araújo. Era presidente a CCDRA o senhor José Ernesto. Era Governador Civil o senhor Troncho. Era presidente da CME, o senhor Abílio.

    Recordo-me que a Faculdade foi para a Covilhã e sei hoje a importância que isso teve no desenvolvimento da cidade e da Universidade de Beira Interior. Também sei que, se Évora tivesse entrada na “competição”, nada nos garantia que a Faculdade de Medicina viesse para Évora. O que não me conformo é que Évora tenha perdido a corrida por falta de comparência…

    E, nesta matéria, infelizmente ainda não ouvi uma palavra aos intervenientes sobre as razões da estratégia seguida, nomeadamente ao senhor REITOR Jorge Araújo, a quem competiria conduzir o processo de candidatura. Aí sim estaria um motivo de grande indignação. INTOLERÁVEL, diria eu, para os dirigentes que deixaram passar a oportunidade sem sequer lutar por ela…

    ResponderEliminar
  8. Araújo estará a pensar voltar a candidatar-se a reitor?

    ResponderEliminar
  9. Na Universidade quem se verga perante as chefias tem EXCELENTES,os outros ,de espinha vertical e frontais são ignorados.A Universidade está controlada por uma seita que tudo controla.

    ResponderEliminar
  10. A reitoria não passa de um grupo de Beatos Falsos.

    ResponderEliminar
  11. A questão está em saber-se qual o caminho a seguir pela Universidade de Évora,uma vez que tal como se encontra ainda, embebida do espírito Jesuíta, não irá longe,ou irá tão longe quanto será o interesse dos poderes que a governam.E quanto a mim, anónimo confesso,ela tem sido gerida,com um interregno de alguns séculos,até esta data,por absurdos Jesuítas,que têm em austeridade o que lhes falta em espírito crítico.
    Esta Universidade tem existido, para que os reitores que por lá cirandaram tenham experimentado e cultivem alguma arrogância intelectual em total desprezo pelo papel que compete à Universidade.
    Em termos de produção científica e artística, são uma nulidade, senão mesmo um embuste.

    ResponderEliminar
  12. «Para além do Sr. Arcebispo, a Universidade de Évora é o único membro institucional laico do Conselho de Administração da FEA», escreve Jorge Araújo no seu desabafo.
    Sem mais comentários, registamos com um sorriso a proclamada laicidade do arcebispo eborense, juntando esta pérola a tantas outras que vão tornando hilariante o nosso quotidiano que tantos insistem em que seja, apenas, absurdo.

    ResponderEliminar
  13. PS e PSD dominam todas as instituições da cidade,os seus militantes e apaniguados controlam tudo.

    ResponderEliminar
  14. A Universidade é gerida por Mediocres,Incompetentes,Oportunistas e Beatas Falsas.

    ResponderEliminar
  15. A Fundação EA não é mais que uma confraria dos últimos terra-tenentes da região - a maioria só já lhe resta o "brasão/cagalhão", já que de resto é a insolvência -, e de pebleus direitinhas que subiram a escada do carreirismo trepando por cima da avó, avô, tios, primos, irmãos, pai, mãe, "amigos", vizinhos... até tirar olhos valeu, etc e navalhadas.
    A universidade para além de algumas honrosas excepções e ocorrências - poucas - nunca passou de uma paupérrima feira de vaidades doutorais. De resto apenas serviu para tornar os eborenses em velhacos alugadores de alcovas com tarimbas miseráveis.
    Contribuição para o desenvolvimento sustentado da região, zero! Aliás, a maioria dos lentes trajados medievos nem sabe o que isso é.

    ResponderEliminar
  16. A Universidade é gerida por um grupo de chefias incompetentes,com licenciaturas de meia tigela,que se arrogam de doutoras,a reitoria é formada por um grupo de cinzentões ligados a ala conservadora da igreja.

    ResponderEliminar
  17. Já para não falar na balbina que quase DESTRUIU a Universidade.

    ResponderEliminar
  18. A bosenda mais conhecida por generala?

    ResponderEliminar
  19. A Ausenda responsável pelo FIM dos SERVIÇOS de REPROGRAFIA e PUBLICAÇÔES,agora é o caos .

    ResponderEliminar
  20. È esta Senhora Catedrática,como é possivellllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllllll

    ResponderEliminar
  21. Esta senhora ao desmantelar os SERVIÇOS de REPROGRAFIA e PUBLICAÇÔES,PREJUDICOU gravemente Docentes e alunos, é conhecida por perseguir funcionários ,ao ponto de alguns serem alvo de processos disciplinares.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.