quarta-feira, 24 de julho de 2013

À atenção dos poderes autárquicos: se não conseguem resolver uma coisa tão básica para que é que se recandidatam?



Parque Infantil da Malagueira (Évora)

Há exactamente um ano escrevi isto aqui no acincotons, o que deu azo a diversos comentários. Um ano depois tudo continua na mesma, mas pior. Há mais erva seca, os equipamentos estão ainda mais degradados e, à falta de outros espaços, os miúdos do bairro, de quando em vez, passam as grades e continuam a ir para lá brincar.
O que é curioso é que um ano depois nenhuma das entidades com responsabilidades autárquicas tenha feito o mínimo gesto para resolver esta situação. O que foi feito resume-se a isto: na época de chuvas o chão levantou e alguém o retirou do parque. Mais nada.
Desculpem mais uma vez: para que servem os "poderes" autárquicos senão para resolverem as necessidades das populações? Se não conseguem resolver coisas tão básicas - e para uma coisa tão simples talvez bastasse uma conversa e umas centenas de euros - porque é que se recandidatam?

14 comentários:

  1. É verdade. A Câmara PS, se ao início ainda prometia alguma frescura, ultrapassou largamente o seu prazo de validade, como um iogurte que azeda há quase doze anos. É altura de darem lugar a outros. A incapacidade de resolverem os grandes e mesmo os pequenas problemas é disso bem reveladora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Frescura?
      Muita ignorância, e muita ganância pelo poder, para se poderem governar à custa da coisa pública.
      A obra e a dívida são esclarecedores da frescura.
      Só viu frescura quem era cego e se deixou enganar, em 3 eleições, ou quem não estava sequer interessado em ver.

      Eliminar
  2. Estas fotos bem como outras pela net espalhadas mostrando as ervas a engolirem as papeleiras de rua, prova a inutilidade de cerca de 80 % dos funcionários da CME . A CME que divulgue quantos se sentam na secretária e os que andam cuidando dos espaços públicos . Demonstra-se que foram criados nos últimos anos uma quantidade de tacharia partidária que se dedicam a conversas de telenovelas diariamente e fazendo requerimentos de compra de papél higiénico quando existe fundos para compra .

    É URGENTE a MOBILIDADE colocando mais funcionários na rua tratando da mesma e não são os desempregados ou os RSI que tem de limpar matas , são os que auferem milhares de euros mensais e que em nada se justifica pela produtividade dada por esse valor .

    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jorge, mobiliza-te. Monta na bicicleta e vai ao médico.

      Eliminar
  3. Senhor Troncho é esta a excelência de que fala no seu artigo no diário do Sul?

    ResponderEliminar
  4. Senhor Troncho sabe me informar para quando a conclusão da circular (N.Norte) iniciada em 2001 (ultimo ano de mandato cdu)?

    Falta concluir os passeios e algumas rotundas e retirar todo o entulho(entre portas de Aviz e forte de Santo António),agradecia que que nos informasse.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. post no maisévora

      Contaram-me uma história extraordinária, que é o paradigma da excelência PS/PSD.
      1
      Adjudicaram a construção da variante nascente.
      2
      Mas esqueceram-se de comprar os terrenos.
      3
      Agora estamos a pagar indemnizações contratuais ao empreiteiro.

      Cada cavadela é uma minhoca!
      Por isso não admira que a câmara esteja falida e com dívidas e encargos, por muitos anos.

      A enorme dívida que temos para pagar é à medida da enorme estupidez e incompetência dos irresponsáveis que nos governaram.


      Acresce que, o empreiteiro a quem a câmara entregou a obra, estava falido!

      Eliminar
  5. Sei responder ao ponto 2:
    Não se esqueceram de comprar os terrenos.Inclusive contactaram os proprietários e disseram-lhes qual o valor dos mesmos (terrenos).
    A empresa quando adjudicada (PRAGOSA) não estava falida, se estiver agora será outro assunto.
    Estranho é a câmara estar a pagar indemnizações contratuais ao «empreiteiro».
    Se alguem conhecesse as condições contratuais e as despejasse aqui é que ficávamos todos esclarecidos.Até lá esperemos que alguem responsável da edilidade se resolva a contar-nos tudo.

    ResponderEliminar
  6. Bom não sei qual é admiração para mais este caso, já estamos habituados com uma câmara completamente apática e distanciada dos problemas das pessoas e que apenas faz definhar ainda mais a cidade com este tipo de situações e muitos outros.
    Isto que está a vista não é mais do que a prova cabal de uma gestão danosa que tem sido levada a cabo há 12 anos para cá. Primeiro presidido pelo Sr. Dr. Ernesto Oliveira, e agora com este candidato/presidente que as vezes é candidato e para outras ocasiões(como debates sobre a cultura) já não é, e tem a lata de ainda vir prometer como lema de campanha fazer melhor(??????).
    Tenham paciência o melhor que teriam que fazer era saírem e dar lugar a uma gestão como deve ser.

    ResponderEliminar
  7. perguntem ao ernesto, ó melgas e principalmente ó Pereira

    ResponderEliminar
  8. MELGÃO vai ter sede de candidatura na rua républica ,em tempo de crise para a maioria dos portugueses ,para esta rapaziada dinheiro não falta,na feira andaram a distribuir balões,a propaganda no diário do sul é quase diária.........é fartar vilanagem.......

    ResponderEliminar
  9. Uma cidade educadora com certeza!

    ResponderEliminar
  10. Nem á palavras para o estado politico da cidade,da esquerda a direita temos um monte de lixo,é inpensavél a cidade ter chegado a este ponto de miséria profunda!

    ResponderEliminar
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.