quarta-feira, 19 de junho de 2013

Da necessidade de protagonismo e da falta de outras coisas


António Veladas, que de jornalista se tornou empresário e "persona non grata" para alguns sectores timorenses, acusado de estar envolvido no "golpe" contra Xanana Gusmão, não perde uma oportunidade para "fazer prova de vida". Foi assim há quatro anos quando foi publicamente manifestar o seu apoio a Eduardo Luciano, da CDU, depois de ter esboçado uma caricatura de movimento independente e de se ter posto a milhas do projecto jornalístico "Registo", que criara, vem agora protagonizar mais uma peça de uma comédia em que se compara a... António Capucho.
No "Alentejo em Linha", Veladas afirma que se demarca da coligação PSD/CDS, em nome dos "princípios de Sá Carneiro" e que apoia Carlos Pinto Sá para a Câmara de Évora como "candidato independente".
Qualquer cidadão está no seu direito de apoiar quem muito bem entender. Mas Veladas, no seu estilo habitual, não se contenta com isso, e põe-se a jeito para uma interpelação do PSD, que tem todo o sentido. Diz o PSD/Évora, em síntese, "mas se ele há anos que não é do PSD porque é que vem agora meter o PSD ao barulho?". 

"Não se percebe que rutura pode Veladas assumir com o PSD se a última vez que entrou na sede do PSD Évora, na Rua da Lagoa, foi em 2000, como candidato à concelhia de Évora e, tendo perdido as eleições, nunca mais ninguém lhe pos s vista em cima. Do PSD, já não será há 13 anos (porque os seus deveres de militante não foram cumpridos), social-democrata ... desconhece-se se alguma vez foi ou não. Enfim, necessidade de protagonismo à conta do PSD de Évora, que seria dispensável, porque está dispensado há mais de 1 década....", escreve o PSD (aqui).

A história, no fundo, não vale nada e acho mesmo que Carlos Pinto Sá passaria bem sem este apoio.

9 comentários:

  1. Várias personalidades da area do PSD e PS apoiam a candidatura do Prof.Carlos Pinto de Sá.

    ResponderEliminar
  2. "A história, no fundo, não vale nada", CJ dixit
    A razão é morder no PCP.
    De facto, quando o cão morde, a história não vale nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O PCP é alguma coisa em que se morda?

      Eliminar
  3. Qualquer cidadão é livre de demonstrar ou não o seu apoio a uma candidatura, a outra ou a nenhuma. Começar a avaliar a qualidade, o percurso, ou o curriculum de cada um que se manifesta é desnecessário porque tendencioso.

    ResponderEliminar
  4. vens ver se calha algum para mais uma viagem de barco.
    a sem vergonhice a pretar vassalagem ao conde de montemor

    ResponderEliminar
  5. joaquim oalminha silva25 junho, 2013 04:37

    Não será possível travar os comentários e despropósitos relativos a este Senhor? Não estão de acordo com a sua atitude política, entendem que ela não vale nada, então para que a publicitam mexendo como alcoviteiras na vida do cavalheiro, e a despropósito? A piolheira dos anónimos é isto! O exemplo gritante da quantidade de gente "mal formada" que povoa este meios de comunicação e, por acréscimo, contribuem para a pobreza mental deste país que, depois, após eleições, dá os resultados que se têm vindo a registar!

    ResponderEliminar
  6. Antonio Veladas25 junho, 2013 17:29

    Carta ao Director,
    Tendo em conta que a Distrital de Évora do PSD desvalorizou e mentiu sobre a minha real situação no partido social democrata, após publicação de crónica de opinião da minha autoria,«O meu candidato independente» publicada no www.alentejoemlinha.pt, prestigiado órgão de comunicação social, venho solicitar seja reposta a verdade afirmando peremptoriamente que sou militante de quotas pagas até ao mês de Junho de 2014.

    Considero ter cumprido sempre com as minhas obrigações, num partido que Sá Carneiro disse e fez de democrático e dentro do qual foi cobardemente combatido pelos fidalgos da hipocrisia. Um partido que ao que parece teima em não conseguir livrar-se de alguns que em nada honram o ideário social democrata. Sá Carneiro queria uma sociedade socialista em liberdade, pelo caminho ficou o humanismo que lhe deu forma nas preocupações com o todo, com os cidadãos, daí que ainda hoje a mentira ande na boca fácil de quem não sabe o que são os valores da raiz identitária do PPD/PSD. Eu honro esse humanismo, essa verdade, esse socialismo em liberdade, que honra e respeita o povo e lhe dá voz e importância.

    As minhas quotas estão em dia, mas nunca paguei as mesmas, desde que me lembro, na distrital de Évora, aliás, as quotas desde 1996 que são pagas por transferência bancária e/ou pagas por multibanco, não têm de ser pagas presencialmente na sede eborense ou numa outra. A distrital eborense é liderada por uma linha antagónica e que se reveste dos pergaminhos que enunciei na minha crónica e os quais condeno veementemente.

    Sublinho, a afirmação mentirosa e sem nível dos responsáveis pelo comunicado na página do facebook, da distrital de Évora do PSD, que me acusa falsamente de há mais de uma década, não cumprir as minhas obrigações e que estou dispensado..., eis que a mentira tem perna curta e para tal basta consultar os serviços centrais do partido.

    Não tenho de entrar na sede do partido em Évora, nada me obriga a tal.

    A mentira dos responsáveis da distrital de Évora do PSD é e deve ser combatida e denunciada, é isso mesmo que aqui estou a fazer.

    Lamento, muito mesmo, que na política se utilizem os partidos para mentir descaradamente. A política merece melhores obreiros, o PPD/PSD merece mais e melhor gente, gente séria que não minta na distrital de Évora. Quem assim mente não merece a confiança dos eleitores. Os cidadãos merecem respeito, os votantes não são apenas o meio, são a verdade da coisa pública e a que ela se dedica.

    Para mim, um mentiroso é sempre um mentiroso e não tem desculpa, só lamento que a mentira se pratique em nome de um partido nascido dos mais altos valores do humanismo e da verdade.

    A verdade é a lógica do devir público! Tenham vergonha e peçam desculpa aos eleitores eborenses.

    António Veladas
    Militante PPD/PSD:67129

    ResponderEliminar
  7. Antonio Veladas25 junho, 2013 17:57

    Caríssimo Carlos Júlio,

    Agradeço as palavras por ti escritas, são de facto ilustrativas do que te falta, aliás, algo que sempre notei em ti, daí nunca me ter revisto no teu estilo.

    A falta de rigor, a falta de objectividade, a parcialidade com que escreves sobre mim é qualquer coisa que deve constar nos anais da difamação. Difamação pura, grosseira e tendendo colocar a minha vida em perigo. Vivo no país onde queres fazer crer ser um criminoso.Todavia, metes uma foto minha com a segunda mais alta distinção do Estado de Timor-Leste, atribuída à minha pessoa pelo Presidente da República, em Maio de 2011.És digno de pena... que figura triste a tua, que ridículo.

    Sabes Carlos Júlio, dás-me pena e a idade não te ajuda, deveria dar-te sabedoria...
    Não és digno de pena, mas sim de desprezo.

    A mentira que te saiu da cabeça dos dedos não foi por acaso, sabe-lo bem. Tens um ódio de estimação por mim, sempre tiveste... e está tão claro.

    Daí que te diga, sê feliz se ainda fores a tempo e não mordas a língua... tal o "veneno" que de ti dimana.

    Sobre o jornal Registo, que eu fundei… que bom eu tê-lo vendido para que lá pudesses colaborar mais tarde – foi bom, não foi?

    Fica bem e descansa em paz.

    ResponderEliminar
  8. Porque uns quaisquer cobardes, escondidos atrás de um anonimato, falam de "um golpe contra Xanana", isso não dá direito a um qualquer ignorante português da realidade timorense de tentar sujar um conterrâneo agraciado pelo Presidente da República da RDTL... "Golpe contra Xanana"?! Onde?! Quando?! Só se for em ficção histórica... A única coisa que se viu foi, em 2006, o então Primeiro-Ministro Dr. Marí Alkatiri, apesar de contar com uma maioria absoluta no Parlamento Nacional, fruto de vitória em eleições democráticas, ser empurrado do poder...e em Julho de 2007, apesar de ter ganho as eleições com maioria relativa, não ter sido sequer indigitado para tentar formar governo...Agora, "Golpe contra Xanana"...isso é uma completa fantasia de alguém que se quer aproveitar dos incautos totalmente fora daquela realidade e contexto...

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.