quarta-feira, 15 de maio de 2013

Uma lei que vincule os eleitos aos Programas eleitorais.


(...) Se, em vez de andarem, quase todos, a bajular uma lei absurda como a da limitação de mandatos, tivessem exigido, antes, uma lei que vinculasse os candidatos eleitos aos Programas com que apresentam ao eleitorado, aí seria eu a aplaudir e bater (muitas) palmas!
Mas não, quando se fala em responsabilizar os eleitos pelos Programas, ai jesus que não pode ser...
Quando se sugere que, qualquer candidato eleito, que decida ao contrário do que consta no Programa eleitoral, seja imediatamente demitido e convocadas novas eleições, ai jesus, que não pode ser...
E seria tão fácil fazer essa lei e fazê-la cumprir. Só falta vontade política.
Por isso, enquanto não houver mudanças não adianta virem falar em Programas. Discuta-se, antes, a cor das gravatas, o feitio dos vestidos ou o tamanho dos bigodes...

14 Maio, 2013 23:09

10 comentários:

  1. Por falar em promessas:

    «Comigo chegou ao fim essa ideia de cidade «pobrezinha e igualitária», com um nível de ambição situado entre o primeiro lugar da distrital e o último lugar da terceira divisão, o lugar dos clubes de futebol locais.»

    «Não compreendo porque razão o meu antecessor foi construir novos bairros tão longe do centro, deixando às portas de Évora uma larga coroa, sem construção. É precisamente aí que irá surgir «a cidade do Zé Ernesto» – uma zona de lotes para moradias, onde as pessoas podem ter um terreno e até o cão.»

    «Sonho com uma Évora semelhante a Florença, onde as casas apalaçadas do centro histórico passem a pequenos apartamentos, para uma população flutuante, de universitários ou artistas. Imagino grandes festivais de ópera ao ar livre, o Templo de Diana com uma tragédia e a Praça do Giraldo com desfiles de moda, como sucede no centro de Roma. E já vejo nas «docas secas» um local de animação nocturna, que quero construir, nas portas da cidade.»

    José Ernesto à VISÃO, 3 Janeiro 2002

    ResponderEliminar
  2. @01:04
    Tudo isso deve ter sido dito sob os efeitos de uma grande bebedeira!
    Só não percebo como é que ainda há gente que acredita em tais pantomineiros.

    ResponderEliminar
  3. A quatro meses de eleições ,a Cidade mergulhada na maior CRISE de sempre(resultado das politicas do PS a nivel autárquico),assiste-se a um SILÊNCIO....é HORA de DEBATE.

    ResponderEliminar
  4. Debater a cidade e os seus problemas.........meus senhores está na HORA de o fazerem com os Cidadãos.

    ResponderEliminar
  5. Queremos saber a DIVIDA da cãmara.

    ResponderEliminar
  6. O PS ainda não tem candidato?


    Inacreditável a QUATRO MESES e MEIO de eleições.

    ResponderEliminar
  7. Mais de um terço da comissão politica, não aceita MELGÂO.

    ResponderEliminar
  8. Conferências...Colóquios......Debates....Conversas com os Cidadãos....Café/concerto/debate........PORRA está na HORA, falem com a CIDADE.......queremos propostas para tirar o concelho do FUNDO onde o PS o atirou.

    ResponderEliminar
  9. Os blogues podem ajudar......é tempo de saber que CIDADE queremos.

    ResponderEliminar
  10. Afinal eu tinha razão com o teor do meu post " A propósito das autárquicas em Évora". Está na hora de começar o debate sobre o futuro do concelho de Évora.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.