segunda-feira, 27 de maio de 2013

"Todos por Évora?!", por Bruno Martins

Já o disse várias vezes e reafirmo. A descredibilidade da política e dos políticos em Portugal é perigosa, mas sejamos sinceros: têm sido os que governam os principais culpados. Um dos crimes democráticos mais sérios e perpetuado pela maioria desta gente, é a diferença entre o que os programas eleitorais preconizam e as medidas que são postas em prática.
Também no poder local esta pouca vergonha democrática ocorre. E falando de Évora, em tempos que vão sendo de balanço, especialmente após José Ernesto ter saído da condução dos destinos da Câmara, é importante que fique claro que esta governação local PS além de catastrófica, esteve a milhas de distância daquilo que foi prometido antes das eleições. E não há qualquer desculpa.Não pode haver desculpa para o monstruoso rol de mentiras que foi pregado a todos os munícipes deste nosso Concelho.
Há quem tenha a memória curta… Eu não tenho!
Quem ler o Programa Eleitoral Autárquico do PS para as Autárquicas de 2009 intitulado “Todos por Évora” chega facilmente à conclusão que passados 4 anos quase nada do que foi prometido foi cumprido.
Em 2009, quando a promessa era fácil, diziam ir Patrocinar a construção de um Centro de Apoio ao Empreendedorismo e uma nova incubadora empresarial, Promover um Programa municipal de apoio às micro e pequenas empresas, e Criar um pacote de apoios e incentivos às empresas que assegurassem a admissão de jovens à procura do primeiro emprego. Onde estão estas medidas? O que foi feito? A resposta é: nada! Aliás, algo foi feito, mas para pior... Sabemos das dificuldades que as micro e pequenas empresas atravessam, e a única coisa que este executivo teve para lhes oferecer foi, no caso daquelas que são credoras da Câmara, foi um aumento brutal do prazo médio do pagamento. Se a governação nacional deixou estas empresas à beira do precipício, a autarquia empurrou-as definitivamente.
No Programa, diziam, também, que iriam Criar um serviço municipal de apoio domiciliário a pequenas reparações para famílias de baixos recursos, Prosseguir o apoio a todas as Associações de Reformados e Idosos, e Promover programas de mobilidade e lazer para idosos. Escreveram estas medidas… mas ficaram-se pela escrita. Ações nesta área? Nem vê-las…
Também prometeram Incentivar a recuperação de edifícios. Mas o que vemos na realidade? Mais e mais prédios devolutos, abandonados e a caírem…
Também prometeram recuperar o Salão Nobre da Cidade… Sobre esta promessa não vale a pena tecer grandes comentários, basta por lá passar… Ainda na área da Cultura, garantiram Reforçar o apoio a todas as associações e agentes culturais do Concelho. Só se por apoio entendem ficar a dever dezenas de milhar de euros de apoios a estes agentes. Só se por apoio entenderem o homicídio total da Cultura em Évora.
Um Complexo Desportivo também foi prometido. O projeto esteve exposto até há poucos meses, altura em que foi retirado… Nada, nada feito.
Tantas mais promessas se encontram neste Programa, e tantas outras mentiras….
Acabavam o programa eleitoral a pedir a confiança dos eborenses. Ela foi concedida, mas completamente traída. A política merece políticos que se deem ao respeito… não se compadece com mentiras e falsas promessas, pois estas são um atentado à democracia.
É tempo de exigir seriedade e comprometimento total. Évora merece.

Até para a semana.

Bruno Martins (BE), aqui

(neste momento pré-eleitoral a opinião ganha uma importância redobrada. Daí que, sempre que possível e a partir deste momento até às eleições, procuraremos publicar aqui no acincotons as crónicas, inéditas ou não, que nos sejam enviadas com pedido de publicação, subscritas por protagonistas políticos reconhecidos localmente e que contribuam para o debate político a nível local ou regional).

5 comentários:

  1. O PS ainda não confirmou o seu candidato a Évora,faltam QUATRO MESES para o acto eleitoral.

    ResponderEliminar
  2. 100 MILHÔES de DIVIDAS,assusta os "socialistas" de continuarem no poder.

    ResponderEliminar
  3. Este é mais um da trupe de palhaços ricos que se candidatam pelo BE.

    Ao menos nas ultimas eleições autarquicas tinham candidatado uma trupe de palhaços pobres.

    ResponderEliminar
  4. A política é para o povo como para a justiça esta sentença denominada " caralho " .

    Podem ler , aqui :

    7http://www.dgsi.pt/jtrl.nsf/0/85e3b7ab708fb737802577dd00582b94?



    Depois andam uns preocupados com o termo "palhaço" .


    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.