terça-feira, 21 de maio de 2013

Notícia da "dinheiro vivo": Évora Shopping já está nas mãos do BES


A dívida do futuro centro comercial, que é propriedade da Imorendimento, foi executada pelo banco que o colocou num fundo de recuperação

O Évora Shopping já está nas mãos do BES. Tal como oDinheiro Vivo noticiou este fim de semana, o centro comercial, que ainda está em construção, estava para ser executado, devido às elevadas dívidas, tendo agora já sido incluído num dos fundos de recuperação de ativos imobiliários que o banco gere. 
Ao que o Dinheiro Vivo apurou, este fundo irá agora assegurar que a construção do centro é concluída, até porque 70% das lojas já estão pré-arrendadas, sendo este um dos ativos que o banco tem em carteira que mais pernas tem para andar.
É que neste fundo está também o antigo Beloura Shopping, agora Fashion Spot, onde há várias lojas a fechar e as que ainda estão abertas estão com salários em atraso. Este fundo tem ainda sob gestão o Ferrara Plaza, em Paços de Ferreira, o outlet Campera e o Acqua Roma, na Avenida de Roma em Lisboa. 
O Évora Shopping, avaliado em 60 milhões de euros, abre no final deste ano, sendo já a segunda vez que o calendário da inauguração derrapa. Se de facto se concretizar, será o únicos centro comercial que vai abrir este ano em Portugal.

6 comentários:

  1. Esta negociata (feita entre 'sua excelência' e o 'trio maravilha' da Cerca 3) teve uma estratégia muito simples:

    - chumbar todas as iniciativas para construir Centro Comerciais, excepto esta (promovida pelo 'trio maravilha');

    - e assim foram inviabilizadas vários pedidos e, inclusivamente, chumbado o projecto da SONAE, na variante em frente à OPEL (MatosCar), sem que ninguém tenha percebido as razões (a não ser por favor aos interesses do ‘trio maravilha’);

    - a partir daí, o ‘trio maravilha’ tentou vender este projecto às empresas que queriam construir Centros Comerciais (e que possuem Know how para os explorar), mas que os viram ser chumbados na Câmara;

    - Infelizmente para a esta gente que colocou a administração da CME, às ordens de interesses dos ‘trios maravilhas’ desta terra, nenhuma das empresas alinhou na negociata;

    - tiveram, assim, de ficar com o menino nos braços sem saber o que destino lhe dar…

    - Pelos vistos agora foi parar às mãos do credor: o BES

    E este caso, tal como o ‘Complexo da Silveirinha’ são apenas dois exemplos da acção do PS na CME. Colocar a administração pública a reboque de interesses imobiliários, desde que contribuíssem para pagar os ‘outdoors’ de sua excelência…

    ResponderEliminar
  2. A CORRUPÇÂO ALASTRA nesta terra............nada acontece.......bloco central-----Maçonaria e Opus Dei,controlam.

    ResponderEliminar
  3. Os comunas sempre foram bons na calunia.

    ResponderEliminar
  4. @20:50
    Coloca-lhe rótulos, que a gente acredita.

    Mas já agora não te esqueças de nos explicar porque é que 'sua excelencia' 'chumbou' o Centro Comercial da SOANAE e aprovou o Centro Comercial do 'trio maravilha'...

    ResponderEliminar
  5. O trio maravilha tem nomes?

    ResponderEliminar
  6. @13:58
    Com certeza que o trio maravilha tem nomes, mas não é isso que importa.
    O que interessa é a denúncia de quem não hesitou em colocar a Administração Pública e o interesse público a reboque de determinados interesses particulares (para os quais, por mero acaso, trabalhava a sua emérita esposa…).

    Os particulares, incluindo o Trio Maravilha, têm toda a legitimidade para fazer valer os seus interesses. A Administração Pública é que não pode deixar de decidir com a máxima isenção, sobretudo, quando essa decisão é em prejuízo da cidade e do concelho.

    E foi o que aconteceu, claramente, neste caso das negociatas dos centros comerciais. Ganhou o Trio Maravilha, perdeu a cidade e o concelho.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.