quinta-feira, 23 de maio de 2013

Morreu George Moustaki



O cantor francês de origem grega Georges Moustaki morreu hoje aos 79 anos em Nice, revelou o jornal Le Monde. 
Nascido em Alexandria, no Egito, filho de pais gregos, Giuseppe Mustacchi, aque adotou o nome artístico Georges Moustaki, tinha-se retirado dos palcos em 2009, por causa de uma doença incurável nos brônquios, que o incapacitou de cantar.
Em 2008, um ano antes de se retirar, atuou na Casa da Música, no Porto, e no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.
Na altura, em entrevista à agência Lusa, recordou a "grande cumplicidade" com o público português.
Considerado umas das vozes do Maio de 1968, época em que compôs "Météque", Moustaki afirmou à Lusa que dessa revolução "resta uma certa arte de viver, um certo código ético que, mesmo que não seja unânime, impregnou-se na nossa cultura".
Fez parte de um grupo de grandes cantores franceses, que se qualificavam a si próprios de libertários, como George Brassens, Jacques Brel, Leo Ferré ou Boris Vian.

6 comentários:

  1. De Georges Moustaki, o meu cantor favorito, recordo emocionadamente o fantástico concerto que em Évora (Praça de Giraldo) realizou numa inolvidável noite de 2000.Que descanse em paz este grande senhor da canção e da cultura europeia.A sua voz ecoará para sempre dentro de mim.

    ResponderEliminar
  2. Viste o Moustaki nos tempos da outra senhora. Depois, na cidade da excelência foi o que se viu...

    ResponderEliminar
  3. Vi muitas coisas válidas no tempo de outras senhoras e outros senhores. Sectário não sou e reconheço que devo esse concerto realmente ao executivo municipal da época.Por isso fiz questão de assinalar a data em que ele ocorreu.

    ResponderEliminar
  4. Évora recebeu este e muitos outros grandes interpretes da canção no tempo da outra senhora! Mas fez mais, levou a musica, o cinema, o teatro e as artes em geral para as praças. Deixou de ter as artes para as elites, deu-as ao povo, para as conhecer para com elas crescer e com elas aprender! É esta a maior dádiva que o "outro" senhor deu a esta minha cidade e a uma geração, a possibilidade independentemente da carteira de conhecer todo o tipo de artes e artistas!
    Lurdes

    ResponderEliminar
  5. Mas depois os eborenses escolheram a excelência...

    ResponderEliminar
  6. @09:07
    Os eborenses escolheram um embrulho com um bonito rótulo a anunciar "excelência".
    Só que, lá dentro, depois de aberto o pacote, estava apenas mediocridade e incompetência.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.