segunda-feira, 27 de maio de 2013

Morreu Gabriel Fialho, o responsável pela cozinha do restaurante "Fialho", de Évora


Fonte próxima da família informou o acincotons da morte de Gabriel Fialho, responsável pela cozinha e pela gastronomia aprimorada do restaurante "Fialho" em Évora, de que era proprietário com outros dois irmãos. Fica mais pobre a gastronomia e a restauração alentejanas. À família os pesâmes da equipa que gere este blogue.

7 comentários:

  1. Ora aqui está alguém que deu muito mais à cidade que qualquer agremiação partidária.

    Paz à sua alma

    ResponderEliminar
  2. ÉVORA perde sem dúvida um dos seus BONS cidadãos

    estão de pêsames a FAMÍLIA
    e a CIDADE

    ResponderEliminar
  3. Uma perda importantíssima para a nossa cidade.Uma alma grande e generosa, que amou Évora e o Alentejo e os promoveu de forma exemplar.As minhas condolências a toda a família.Que descanse em paz.

    ResponderEliminar
  4. 07:11
    mas como é que se pode comparar o contributo de uma pessoa com o contributo de um partido para uma cidade?

    É este tipo de erros de base, de quem apenas quer insistir nas provas de incapacidade do sistema politico-partidário, que nos pode conduzir ainda não se sabe bem onde. Por mim acredito mais em propostas do que em destruição a eito.

    ResponderEliminar
  5. @13:42

    Eu, acredito muito mais nos Fialhos do que numa mão cheia de candidatos que não sua esmagadora maioria são para fazer a vontade do dono, do comité, da mesa nacional, etc.

    ResponderEliminar
  6. Tu não acreditas é em nada que não te encha a pança!

    ResponderEliminar
  7. Estes "rapazes" de Évora, os irmãos Fialho, tiveram "apenas" o reconhecido mérito de colocar a cozinha tradicional alentejana no mapa das comidas de prestígio do mundo. Não inventaram nada, como é evidente, apenas mostraram ao mundo, de uma forma digna, pela primeira vez,os nossos sabores e o melhor da nossa cultura gastronómica. Na pessoa dos irmãos sobrevivos, nomeadamente do meu bom amigo Manuel Fialho, o meu pesar por tão grande e repentina perda.
    Paulo Barriga

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.