terça-feira, 28 de maio de 2013

Évora: cinema na Igreja de São Vicente


Slatan Dudow, Kuhle Wampe (1932)
Com roteiro de Bertolt Brecht e música de Eisler, o filme de Dudow aborda o desemprego na Berlim dos anos 30, feita de contrastes e de desafios. "Quem pode então mudar o mundo? Os que não gostam dele".

28 de Maio | festa | 21: 30
Igreja de São Vicente
2€ - Preço único

2 comentários:

  1. Governo Abriu a perseguição ao Funcionário Publico.

    ResponderEliminar
  2. Ainal quem está com Passos Coelho, além dele, Vitor Gaspar e Cavaco e Silva?
    Nem sequer o emplastro, já veio mostrar o dente e renegar este governo

    Soares diz que Governo tem chantageado Portas com processo dos submarinos.

    Histórico do PS considera que Cavaco Silva devia demitir o Governo, por este estar a "destruir em absoluto a sua imagem junto da esmagadora maioria dos portugueses".
    O histórico socialista Mário Soares acredita que Paulo Portas tem sido “chantageado pelo Governo, por causa do processo dos submarinos e dos carros de combate Pandur”, e que é este capítulo que o tem impedido de sair do executivo de Pedro Passos Coelho.

    Numa entrevista ao jornal i, Mário Soares, quando questionado sobre a actual situação do ministro dos Negócios Estrangeiros no Governo, disse que, quando o líder centrista ponderou pela primeira vez se ficava ou não no cargo, “o caso dos submarinos voltou à primeira linha. E isso obriga-o a continuar no Governo. O medo é que manda na vinha”.

    Numa análise sobre o actual estado do país, o antigo Presidente da República afirmou que os portugueses “querem que o Governo se demita”, criticando a “subserviência em relação à troika e à senhora Merkel”. Apesar disso, Soares acredita que, com o risco de a Alemanha entrar em recessão, “os neoliberais ainda vão ser surpreendidos”, e aponta o dedo a Durão Barroso, por ter vindo a “variar muito segundo os ventos”.

    Mário Soares entende também, em declarações na mesma entrevista, que Cavaco Silva devia “demitir o Governo, porque, como se tem visto, a legitimação do Governo está a destruir em absoluto a sua imagem junto da esmagadora maioria dos portugueses. O que é um perigo que nunca aconteceu”. E condena, por isso, que, recentemente, o Presidente da República tenha reafirmado a legitimidade do executivo, que “não fala com o povo que o elegeu – nem pode sair à rua sem ser vaiado”.

    Governo de esquerda ou maioria absoluta do PS?
    Soares congratulou-se, ainda, com a reunião da esquerda contra a austeridade que conseguiu organizar e que terá lugar na quinta-feira, na Aula Magna da Universidade de Lisboa, contando com a presença das direcções de PS, PCP e Bloco de Esquerda. Mas recusou, para já, dizer que o encontro pode impulsionar um futuro Governo de

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.