sexta-feira, 17 de maio de 2013

Começa hoje em Beja o I Encontro Ibérico sobre o Declínio do Montado


Vai decorrer hoje e amanhã, 17 e 18 de Maio de 2013, no Auditório do Instituto Politécnico de Beja, o I Encontro Ibérico sobre o Declínio do Montado, uma iniciativa organizada pelo Centro de Biotecnologia Agrícola e Agro-Alimentar do Alentejo (CEBAL), em parceria com o Instituto Politécnico de Beja, a Câmara Municipal de Beja e o Instituto del Corcho, la Madera y el Carbón Vegetal (IPROCOR). 
Os montados de sobro e azinho têm sofrido um importante declínio, com variadas implicações ecológicas e socioeconómicas. O ciclo de declínio caracteriza-se pela incapacidade das árvores de reagirem a um conjunto de fatores de stress. Estes fatores provocam uma diminuição gradual do vigor das árvores, seguida de uma redução das suas capacidades de defesa e do estabelecimento de condições favoráveis à instalação de agentes bióticos, que acabam por levar à morte da árvore. 
Este Encontro tem como temática central o declínio do montado. No dia 17 de Maio serão discutidas as principais causas do declínio do sobreiro e da azinheira (Sessão 1); avaliação do impacto económico-social do fenómeno, e a aplicação de novos conhecimentos disponíveis (Sessão 2); gestão e monitorização sustentável dos montados (Sessão 3) (programa detalhado em anexo). A secção de abertura contará com a presença do Senhor Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, o Doutor Francisco Gomes da Silva. 
No dia 18 de Maio terá lugar uma visita técnica, em estreita parceira com a União da Floresta Mediterrânica (UNAC), a um montado em declínio, e realizar-se-á na Herdade do Azinhal, Azinheira de Barros, Grândola. 
Durante o Encontro vai decorrer o lançamento oficial do projeto “GenoSuber – sequenciação do genoma do sobreiro” (ALENT-57-2011-20), liderado pelo CEBAL e co-financiado pelo InAlentejo. A apresentação pública deste projeto contará com a presença oficial da Senhora Secretária de Estado da Ciência, Doutora Leonor Parreira e com o Dr. António Amorim, do grupo Corticeira Amorim.(nota de imprensa)

1 comentário:

  1. de importância vital para o ALENTEJO

    - pelo valor comercial da produção

    _ pelo interesse paisagístico

    - pelos efeitos sobre a biodiversidade

    que seja proveitoso o encontro

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.