quarta-feira, 8 de maio de 2013

Alexandre Cancela d'Abreu é Personalidade de Arquitetura Paisagista 2013


Alexandre Cancela d'Abreu é professor aposentado da Universidade de Évora, instituição na qual se doutorou em Artes e Técnicas da Paisagem 1990), depois de se ter licenciado em Arquitetura Paisagista e Engenharia Agronómica pela Universidade Técnica de Lisboa (1977). Na Universidade onde continua a colaborar, através do Departamento de Planeamento Biofísico e Paisagístico, Alexandre Cancela d'Abreu desenvolveu investigação relevante na área do ordenamento do território, tendo elaborado importantes planos, estudos e pareceres.
Anualmente, o Prémio Nacional de Arquitetura Paisagista consagra o talento de arquitetos paisagistas, a excelência das suas obras e dos seus projetos realizados em território nacional e internacional. Para além disso, o Prémio Nacional de Arquitetura Paisagista distingue a Personalidade da Arquitetura Paisagista, valorizando assim os contributos mais significativos para o desenvolvimento da profissão em Portugal. 
Este ano celebra-se a 9ª edição do Prémio Nacional de Arquitetura Paisagista. O Prémio é organizado pelo Jornal Arquiteturas com o apoio da Planbelas e da Associação Portuguesa de Arquitetos Paisagistas.
A Cerimónia de Entrega do Prémio decorrerá amanhã,  dia 9 de Maio, às 19h30, no Lagoas Park Hotel, em Oeiras. (Nota de Imprensa)

6 comentários:

  1. Parabéns Alexandre pelo merecido prémio.
    Pena que alguns responsáveis da Cidade que adoptaste para viver durante tantos anos, e que sei que ainda amas, te tenham virado costas em favor de certos interesses mesquinhos e, no mínimo, obscuros.

    ResponderEliminar
  2. Pois se o Sr. É inteligente e de fora os poderes de hoje em Évora(PC/PS/PSD/CDS)se não militar nesses novos "terratenentes" ostracisam

    ResponderEliminar
  3. É incrível e lamentável que os responsáveis da Cidade não tenham curado de aproveitar as estadas de Gonçalo Ribeiro Teles e de Alexandre Cancela d'Abreu para lhes encomendar a requalificação de certos espaços verdes, nomeadamente os jardins,absolutamente assassinados como foi o caso do Jardim das Canas ou de outros deixados à incúria e ao desleixo como foi e é o caso do Jardim Público (antigo Passeio Público)

    ResponderEliminar
  4. Um grande candidato para Évora.

    ResponderEliminar
  5. Pelos critérios estários, defendidos num dos posts anteriores, não servia. Já tem 65 anos.

    ResponderEliminar
  6. Este serve. Não é da CDU

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.