quarta-feira, 22 de maio de 2013

Água: José Ernesto diz que foi "enganado" por Mário Lino


José Ernesto Oliveira, que recentemente renunciou ao mandato de presidente da Câmara de Évora, afirmou que foi enganado por Mário Lino, antigo presidente da empresa Águas de Portugal e ex-ministro das Obras Públicas.Em causa está a entrada do município no sistema multimunicipal Águas do Centro Alentejo.
A adesão “foi uma decisão minha na qual fui enganado”, afirmou, considerando-se enganado “pela Águas de Portugal, nomeadamente o presidente da empresa na altura, o Eng. Mário Lino, que depois foi ministro das Obras Públicas, que também subentendia sobre esta área”.
“Mário Lino foi das pessoas menos simpáticas para a Câmara de Évora”, frisou.
O antigo autarca explicou foi enganado pelo facto de o sistema ser constituído por seis municípios em vez de 14 e por servir 90 mil pessoas, das quais 60 mil são do concelho de Évora, em vez de 150 mil.
“O sistema chama-se multimunicipal, mas na prática é Évora mais cinco municípiozinhos pequeninos”, o que “significa um peso para a Câmara de Évora, que está a sozinha a suportar o sistema”, acrescentou. (aqui)

25 comentários:

  1. Quem te manda ser burro Zé??

    ResponderEliminar
  2. Este Zé borcalho devia desaparecer da nossa vista. Em vez da Embraer portuguesa devia ir é para a brasileira.

    ResponderEliminar
  3. As desculpas do mau pagador são sempre as mesmas: Alijar as responsabilidades.

    Agora assumir a incompetência e o compadrio com que geriu a cidade e o concelho é coisa que desconhece...

    ResponderEliminar
  4. "5 municipiozinhos" diz ele, nem tem respeito pelos outros

    ResponderEliminar
  5. A Camarazinha de Évora não apoia a Cultura no Concelho, mas apoia o wrestling na Praça de Touros José Ernesto D'Oliveira...

    ResponderEliminar
  6. Só foi engando, porque quis ser enganado. Bastava ter feito contas ao património municipal que foi entregue à AdCA, pelo preço da uva mijona, para perceber que estava a ser aldrabado.
    E bem foi avisado pelos serviços, para fazer contas. E, contudo, não quis (mandar) fazer uma única conta. Sua excelência ‘queria, podia e mandava’ por isso decidiu entregar o valioso património pelo preço sugerido pela outra parte interessada no negócio (a AdP).

    Vir agora dizer que foi enganado pelo Mário Lino, só serve para mostrar o seu verdadeiro carácter de incompetente e mentiroso compulsivo.

    O problema é que, agora, são os eborenses que vão pagar a factura de mais este erro de ‘sua excelência’ e do PS/Évora...

    ResponderEliminar
  7. O Mário Lino, canalha, competia-lhe defender os interesses da Águas de Portugal.
    O José Ernesto competia-lhe defender os interesses do povo de Évora.
    A CDU apontou as falhas do sistema que o Mário Lino impingiu ao José Ernesto.
    O José Ernesto fez-se surdo aos avisos da CDU.
    O José Ernesto é um gatuno e um f da p.

    ResponderEliminar
  8. Parece que o José Ernesto, em nome da câmara, atribuiu louvores aos colaboradores mais próximos.
    Elogios públicos aos dirigentes e técnicos que colaboraram e deram cobertura aos embustes que levaram o concelho à falência, e ao retrocesso.
    Até mesmo a Ruiva, apaniguada do gatuno das águas, levou um louvor.
    Na verdade, somos governados por gatunos.

    ResponderEliminar
  9. O Mário Lino fez o que devia: defender os interesses da empresa que geria.

    O PS e o seu representante na autarquia é que não cumpriram a sua obrigação: defender os interesses da edilidade, do concelho e dos eborenses!

    Vir agora com queixinhas (ainda por cima falsas!) só serve para mostrar o carácter e a verdadeira natureza da gentinha a quem os eborenses entregaram os seus destinos durante 12 anos.

    ResponderEliminar
  10. A CDU fez o que lhe competia: estudou o processo, assinalou os embustes, avisou a câmara, e votou contra o negócio.
    O PS e o PSD fizeram o que lhes competia: ignoraram o bom trabalho da CDU, votaram a favor, e colaboraram no roubo ao concelho.
    O Bloco Central funciona em Évora.
    Cá estamos nós para pagar a roubalheira.

    ResponderEliminar
  11. A CDU detesta tanto o Mário Lino como o Zé Ernesto mas o Zé está aqui mais perto e dá jeito para a campanha local.

    Se não fosse o Zé a água ainda estava racionada!
    Comunas e outros bandalhos bem podem ladrar.

    Pinto de Montemor manda calar a cãozoada e mostra que tens um mínimo de decência.

    ResponderEliminar
  12. Àgua racionada? ò secretário tu que és estrangeirado não sabes nada do que falas. Nunca no tempo do PCP faltou água a evora.

    Digo-te eu nos 50 anos que tenho de vida

    ResponderEliminar
  13. António Gomes22 maio, 2013 17:40

    Segundo notícia hoje o Público, o Movimento Revolução Branca, interpôs providência cautelar para impedir a candidatura de Carlos Pinto de Sá à Câmara de Évora pela CDU.
    Haverá plano B, para A CDU, caso o Tribunal de Évora considere procedente essa providência Cautelar?

    ResponderEliminar
  14. Oh "Tó Gomes"...informa-nos de tudo...ai Tótó...


    Beja: Tribunal indefere Providência contra João Rocha

    Inês Patola - 10/05/2013 - 11:00 -

    --------------------------------------------------------------------------------

    O Movimento Revolução Branca viu indeferida a Providência Cautelar contra a candidatura de João Rocha à Câmara de Beja.


    O Tribunal Judicial de Beja indeferiu a Providência Cautelar que o Movimento Revolução Branca interpôs contra a candidatura de João Rocha, pela CDU, à presidência da Câmara Municipal de Beja nas próximas eleições autárquicas.

    Recorde-se que o Movimento Revolução Branca avançou com providências cautelares em vários locais por entender que algumas candidaturas não obedeciam à lei de limitação de mandatos e que no caso de João Rocha por ter cumprido vários mandatos, entre 1979 e 2012, na Câmara de Serpa estaria impossibilitado de se candidatar em Beja.

    ResponderEliminar
  15. @17:40
    Segundo notícia...
    a "providência cautelar para impedir a candidatura da CDU à Câmara de Beja" foi recusada pelo Tribunal...

    Como se vê, há sentenças para todos os gostos, sobre as mesmas providencias cautelares.
    Infelizmente os proponentes da lei não quiseram clarificá-la no local próprio: a AR.

    ResponderEliminar
  16. o secretario anda a controlar isto. Vai trabalhar xulo do estado

    ResponderEliminar
  17. António Gomes22 maio, 2013 19:55

    Chamares.me Tó Gomes, ainda aceito, agora Tótó, penso que já é ofensivo.
    Vejo que deves ser da CDU e estás com medo. Olha que o Tribunal de Évora, não é o mesmo de Beja.
    Aliás o meu comentário dava com objectividade, conhecimento de uma notícia publicada hoje na imprensa(no Público).
    Depois limitei-me a perguntar se a CDU de Évora tinha uma alternativa, caso o Tribunal dê razão ao MRB.
    Ficaste ofendido com isso. Se tal aconteceu, não te vejo como verdadeiro democrata.
    Segundo me constou, a providência teria sido indeferida, não com base nos fundamentos apresentados, mas porque o Tribunal, teria posto dúvidas, sobre a legitimidade do Movimento Revolução Branca, para ser parte no processo.
    Já agora, queria dizer-te, que sou contra a interpretação que a CDU, numa aliança vergonhosa com o PSD fez da lei.
    E sou contra porque o poder, sem limites, corrompe.Ou tens dúvidas?
    Ou não serás tu um verdadeiro Tótó.

    ResponderEliminar
  18. «poder, sem limites, corrompe...»

    Poder sem limites?
    Mas, então, já não há eleições nem leis no país?

    Se há corupção, e há muita, isso não se se resolve com leis absurdas com esta.
    Aliás, em 12 mandatos é tempo mais que suficente para muita corrupção e muitos desmandos.

    Por isso, deixem-se de demagogias baratas e, se são efectivamente contra a corrupção, exijam leis que realmente punam os corruptos.

    ResponderEliminar
  19. Os chefes de governo da UE reúnem-se hoje em mais um Conselho Europeu. O tratamento dos dois temas da agenda reflete uma UE que perdeu a alma. Energia e política fiscal. Duas áreas da reserva de soberania dos Estados, onde a visão estratégica seria fundamental. Sobre energia reina a mais completa desordem e despropósito. A aliança entre energia e combate às alterações climáticas, que fez brilhar a UE entre 2007 e 2009, perdeu--se na falta de financiamento de uma
    ViraEuropa dominada pela austeridade germânica. No capítulo fiscal, apoiado num texto de 16 páginas da Comissão Europeia, a situação não melhora. O facto de, anualmente, o equivalente a um PIB da Espanha desaparecer sem pagar impostos parece não incomodar Bruxelas. A expressão "paraísos fiscais" aparece, furtivamente, duas vezes nesse documento cheio de retórica vazia. Na "Europa alemã" onde vivemos só se avança quando e onde Berlim quer. Não se combatem paraísos fiscais, mas prepara-se uma legislação que vai fazer de Chipre o modelo de resolução bancária. Mesmo antes de existir uma união bancária completa. Com isso, a fuga dos depósitos da periferia para o Norte vai continuar, de um modo insustentável. Portugal e a periferia só têm os custos da união económica e monetária (a perda da soberania monetária) e nenhum benefício (as empresas e os bancos financiam-se a uma taxa de juro muito superior à das economias mais ricas, ficando ainda estas com uma parte significativa dos impostos das empresas com mais sucesso, como é o caso da Holanda em relação às empresas do PSI-20 português). Berlim faz as regras, aplica as regras e joga contra os outros com as regras que ela mesmo impôs. A "Europa alemã" não é só uma ideia arrogante e egoísta. É um projeto incompetente que nos deixará a todos debaixo dos seus escombros. Se não mudarmos as regras antes de ser demasiado tarde.
    Viriato Soromenho Marques

    ResponderEliminar
  20. Qual é o problema do Pinto de Sá? Em evora tiras o xuleca do zé do cano, mas fica lá o brilhantina o melgas e o nalgas. Vais dizer que a mánica não fica oleada na mesma. Porra!

    Se o problema é a corrupção faz limpeza em ti próprio, ó secreátrio

    ResponderEliminar
  21. os louvoures do dr ernesto ao pereira o peleve e a ruiva do gatuno são um insulto a todos os eborenses independente da sua raça , religião ou ideologoia politica . é um insulto,não se insulta sssim os ciddadãos. grande vergonha para quem o fez e maior para quem o recebeu, so não é porque nenhusn tem vergonha na cara
    peçam desculpa aos cidadãos de evora

    ResponderEliminar
  22. Os eborenses deixaram-se inebriar pelo canto da sereia PS. Com eles no Governo e na Presidência da Câmara, Évora seria um paraíso de leite e mel...

    Passados 12 anos, em vez do paraíso temos um inferno à nossa espera. E os anjos que prometeram o paraíso mas nos levaram para o inferno, continuam com tempo de antena, a contar MENTIRAS e outras INTRUJICES.

    ResponderEliminar
  23. um presidente comunista, convertido à preça em "socialista", que governou casad€ com os patos bravos e rodeado de boyada do piorio. Viva a silveirinha e o estádio que só serviu para um estágio da bola

    ResponderEliminar
  24. @10:12
    Provavelmente por conhecer bem as capacidades da 'peça' é que o Partido Comunista nunca o propôs como candidato a Presidente da autarquia.

    E, provavelmente, por conhecerem bem as fraquezas e ambições megalómanas do sujeito, é que o Partido Socialista se pôs a jeito para servir de barriga de aluguer da sua desmesurada ambição e megalomania.
    A boyada e patos-bravos que passaram a andar à sua volta eram apenas parasitas à espera de receber as migalhas do devorismo em que ‘sua excelência’ instalou na CME.

    ResponderEliminar
  25. Sim concordo, o PCP fez bêm em ter excluído e não proposto este presidente comunista que se chama zé do cano

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.